Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba


Stamp

Intrigas: Bandas em família que terminaram mal

Por Gabriel Menezes
Fonte: Blog Cena
Em 04/09/09

Após anos de desentendimentos, em 2009 os irmãos GALLAGHER resolveram se separar, colocando o OASIS no hall das bandas em família que terminaram mal. A lista não é curta e nem é nova. Manter a harmonia dentro de um grupo não é uma tarefa fácil pra ninguém, e pode ser ainda mais difícil quando se tem ao lado um irmão, um primo ou um cônjuge. Na história da música pop existem alguns casos famosos deste tipo que também acabaram em rompimento.

Nos anos 60 o CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL se consagrou como a primeira banda norte americana a bater os BEATLES nos EUA após o início da Beatlemania. Entre os seus membros estavam o vocalista e guitarrista JOHN FORGETY e seu irmão TOM FORGETY, também na guitarra. A banda estava no auge quando Tom resolveu seguir em carreira solo após inúmeras discussões com o irmão. O CREEDENCE até continuou por algum tempo, mas a saída de um dos integrantes originais acabou sendo fatal. Pouco tempo depois John deixou o grupo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Também formado nos anos 60 e nos EUA, os BEACH BOYS tinham entre seus membros os irmãos BRIAN WILSON, CARL WILSON E DENNIS WILSON, além do primo MIKE LOVE. O gerente da banda era o patriarca da família Wilson, Murry, que cuidava de tudo com mãos de ferro, recorrendo até a castigos físicos quando necessário. A banda conquistou uma legião de fãs e para muitos – inclusive PAUL MCCARTNEY – é considerada como a maior rival dos BEATLES em termos de inovação.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Apesar do sucesso, a relação familiar entre os membros acabou se desgastando e trazendo conseqüências drásticas. O problema chegou a um ponto que em uma ocasião os irmãos Wilson surraram seu pai até que ele ficasse inconsciente. No final Murry foi demitido, mas os problemas emocionais causados em seus filhos deixaram seqüelas graves. O mais afetado foi Brian, que se afundou nas drogas. Atualmente o músico superou a dependência química e se apresenta regularmente com a sua banda. Dennis, que teve problemas com o álcool, morreu afogado em 1983. Carl morreu em 1998 em decorrência de um tumor no cérebro.

Caso parecido aconteceu com o JACKSON FIVE, grupo que revelou o astro MICHAEL JACKSON. Assim como os BEACH BOYS, o grupo era formado pelos irmãos Jacksons e administrado pelo patriarca da família, Joseph, que também tinha métodos duros. A diferença é que quando a banda estourou Michael tinha apenas oito anos de idade e, por isso, as seqüelas emocionais que ele carregou foram muito maiores. Não é preciso nem dizer como a história terminou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nos anos 70 o mundo foi contagiado pela música do ABBA. O grupo era formado por dois homens (BJÖRN ULVAEUS e BENNY ANDERSSON) e duas mulheres (ANNI-FRID FRIDA LYNGSTAD e AGNETHA FÄLTSKOG), que acabaram mais tarde formando dois casais. Em 1978 a estrutura começou a ruir com o divórcio de Björn e Agnetha. Mais tarde foi a vez de Benny e Frida também se separarem. Os quatro até que tentaram continuar trabalhando juntos, mas não deu certo. A separação definitiva veio em 1982.

Em 2004, o DARKNESS se tornou o grupo do ano na Inglaterra. O coração da banda era o vocalista e guitarrista JUSTIN HAWKINS e seu irmão DAN HAWKINS, também na guitarra. A empresária era Sue Whitehouse, namorada de justin. Foi aí que começaram os problemas. O primeiro conflito aconteceu com o baixista FRANK POULLAIN, que desconfiou da administração de Sue e acabou demitido.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em 2006 a banda chegou ao fim depois de inúmeras discussões entre os irmãos Hawkins, muitas delas tendo Whitehouse como pivô. Com o fim do grupo, DAN HAWKINS entrou com um processo contra a cunhada, a quem acusa de não ter lhe pagado todos os seus devidos lucros no DARKNESS.

No cenário nacional também existem casos famosos de bandas em família que terminaram mal. OS MUTANTES é um dos exemplos mais famosos, e neste caso havia irmãos e marido e mulher entre os membros. Recentemente o IRA também reforçou esta lista. A briga entre o vocalista NASI e seu irmão, o empresário da banda, virou até caso de polícia.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas quem tem uma banda com membros da família não precisa entrar em desespero. Também existem casos de grupos deste tipo que deram certo. Um grande exemplo disso é o AC/DC. ANGUS YOUNG e seu irmão MALCOLM YOUNG, que além de compositor das principais músicas ditava as ordens, passaram quase quarenta anos na estrada e tem o seu disco "Back in Black" como o terceiro mais vendido de todos os tempos. A parceria só foi encerrada em virtude da doença de Malcolm.

A verdade é que, sendo parentes ou não, o mais importante é o pensamento em equipe e o respeito mútuo. Não é apenas no rock’n roll e na música pop que é assim, mas em tudo na vida!

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net



publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Gabriel Menezes

Gabriel Menezes é jornalista, natural de Volta Redonda, no Sul Fluminense. Atualmente, mora na cidade do Rio de Janeiro. Edita o Blog Cena (www.blogcena.com), onde escreve sobre rock e cultura pop. É um apaixonado por rock'n roll, em quase todas as suas vertentes. É baixista e membro da banda Dakocaga (www.myspace.com/dakocaga).

Mais informações sobre

Mais matérias de Gabriel Menezes.