Death Angel: Thrash Metal da velha escola em seu melhor

Resenha - Death Angel (Clube Internacional, Recife, 30/10/2010)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por José Correia JOSCO
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.








Thrash Metal da "velha escola" em seu melhor estilo! Esta é a expressão que ficou cravada nas mentes dos "headbangers" que compareceram ao Clube Internacional do Recife (CIR, ou simplesmente Internacional), no último sábado, 30 de outubro de 2010. DEATH ANGEL (California/Estados Unidos), que teve como banda de abertura CRUOR (Pernambuco/Brasil), realizou um grande espetáculo em sua passagem por Recife, na primeira turnê brasileira da banda, intitulada "Sonic Retribution Tour".

Apesar de a estação primavera ainda encontrar-se na metade de seu tempo, em Recife, o clima dá ares de verão. Com temperaturas elevadíssimas, mesmo durante a noite, os “metalheads” da cidade e região reuniram-se outra vez para prestigiar mais uma atração gringa. O gênero da vez era (novamente!) o Thrash Metal. E já virou um círculo vicioso, pois este ano já passaram pela cidade outros dois grandes destaques mundiais deste mesmo gênero: OVERKILL e MEGADETH. Ambas as bandas no mês de março. Isto sem mencionar os festivais e shows de bandas locais, onde destacou-se a banda "thrasher" recifense CANGAÇO, representante brasileira da edição 2010 do Wacken Open Air, na Alemanha.

Boa parte do público, formado por gerações distintas, já estava em frente ao palco do Internacional para conferir a apresentação da banda de abertura. Os veteranos da CRUOR foram os escolhidos para esta recepção. Eles são os mesmos que dividiram o palco no já histórico show do MEGADETH, mencionado acima.

Bastante conhecidos do público local, Wilfred Gadêlha (vocal), Jairo Neto (baixo), Túlio Falcão (guitarra) e Bruno "Bacalhau" Montenegro (bateria) entoaram seus clássicos, assim como as novas composições, e mandaram muito bem nos covers de SEPULTURA e SLAYER com alto nível técnico e performance competente.

Apesar do atraso para o início do show de abertura, o público não parecia preocupado. Ao contrário, todos curtiram bastante a apresentação dos pernambucanos, que realizaram um show muito instigante. Aos poucos, estes músicos vão se firmando como um dos grandes nomes atuais do Thrash Metal em Pernambuco. Mais que isso: a cada nova apresentação, a integração e o entrosamento da banda fluem com muito mais harmonia.

Bom para os apreciadores do gênero. Melhor ainda para a cena regional.

Eis que surge o momento de uma pequena pausa para a preparação do show principal da noite, como de praxe.

É importante, entretanto, fazer uma observação sobre algo um tanto inusitado. CRUOR conseguiu uma façanha de duplo efeito: manter o público devidamente aquecido para a próxima atração, bem como deixá-los exaustos. Várias eram as pessoas que não aguentaram ficar em pé e aproveitaram a "transição" entre as bandas para recomporem-se, sentados e espalhados pelo amplo salão do CIR ou aproveitando o tempo para se reidratarem.

Mas a pausa não duraria tanto tempo quanto o necessário para tal recarga de energias. Então, entram em cena os astros da Bay Area.

Para esta turnê, o DEATH ANGEL trouxe um repertório composto por músicas de toda a sua discografia, que conta com 6 títulos, incluindo o mais recente, "Relentless Retribution", lançado em setembro de 2010.

Mark Osegueda (vocal), Rob Cavestany (guitarra), Ted Aguilar (guitarra), Sammy Diosdado (baixo) e Will Carroll (bateria), após uma breve "Intro", sem perdão aos já sofridos e ávidos fãs, emitem sua descarga do puro, velho e ótimo Thrash Metal.

A partir da feroz entrada, ao som de "I Chose The Sky", já era de se esperar por uma grande apresentação do grupo, que transitava com folga pelo imenso palco à sua disposição.

Ao retornar às origens, com "Evil Priest", os músicos não acreditaram no que viram à sua frente: uma multidão insana de pessoas "bangueando", retribuindo o presente sem perder o ânimo, em uma clara referência ao título do álbum recém chegado ("Relentless Retribution").

Não há cena mais gratificante em um show de Heavy Metal do que uma banda ver o público em massa "bater cabeça" e cantar suas músicas em coro! É algo notável e que não se observa com tanta frequência.

DEATH ANGEL faz um passeio musical sobre suas composições ao trazer "Buried Alive", "Voracious Souls" e "Relentless Revolution". E a aventura continua com a impetuosa "Claws In So Deep", passando por "Seemingly Endless Time" e "Stop", do fantástico álbum "Act III" (1990). Isto apenas deixa o público ainda mais insano.

Mas a festa não acabou ainda!

Osegueda & Cia. convidam os "headbangers" a mais um passeio harmonioso, seguindo com "3rd Floor", "This Hate", "Thrown To The Wolves" até "Lord Of Hate", "Falling Asleep" (esta não deixa ninguém cair no sono, como o título sugere) e "Truce".

É neste momento que a banda aproveita para sair de cena, deixando o público ansioso pelo retorno. Mas é uma pausa necessária. O calor de Recife quase os abatia.

Para finalizar a apresentação, a banda traz uma enxurrada de clássicos: "Thrashers", "Bored", "The Ultra-Violence" (apenas "Intro") e a finalização com a matadora "Kill As One".

Mark Osegueda trocou palavras com o público durante vários momentos, sempre agradecendo pela presença e disposição. Era visível a satisfação dos músicos. Ele, inclusive, manifestou interesse da banda em retornar para um próximo show no futuro.

Com perfeita aparelhagem de som, boa iluminação, organização e segurança, os caprichos da produção local, em conjunto com o público que eventualmente cantava junto com a banda sem parar de agitar, contribuíram para o sucesso do evento.

O palco gigante fez com que os músicos realizassem um show à parte de interpretaçao. Isto foi claramente notado por qualquer dos indivíduos que teve a oportunidade de assistir à apresentação dos americanos. A energia era contagiante e o público respondia “na mesma moeda”, com muita vibração.

A competente equipe de segurança Pit Bull teve momentos de trabalho intenso para contornar a situação dos "headbangers" mais insanos, que ficavam próximos à grade que divide a plateia e o palco. Felizmente, nenhuma peripécia grave foi registrada.

“MINHA VIDA POR UM COPO COM ÁGUA!”

É recomendadíssimo a qualquer pessoa que vá assistir a um show de Metal em Recife nesta época do ano que adquira, ao menos, uma garrafa de água mineral para compensar a perda de líquido gerada pelo calor constante. Que o diga o vocalista Mark Osegueda! Ele não parava de beber água durante praticamente toda a apresentação da banda. A nova estrutura do Internacional é a responsável por esta proeza, que deixou o salão do clube praticamente similar a uma sauna.

Após o espetáculo, alguns sortudos conseguiram registrar fotos com os músicos, na saída do camarim. Sem exceção, todos os membros da banda foram bastante simpáticos e prestativos, atendendo aos pedidos dos fãs para autógrafos e fotos.

Para não dizer que foi tudo perfeito, sentia-se a ausência de material de "merchandising" da banda. Isto fez com que muitas pessoas voltassem para casa sem uma lembrança física, a não ser aqueles que conseguiram meter a mão nas baquetas e palhetas que foram distribuídas. Ainda assim, a satisfação total estava estampada no rosto de cada um dos aficionados.

E desta forma, mais uma vez, os "headbangers" de Recife e região tiveram a oportunidade de apreciar um ótimo espetáculo de Heavy Metal, graças aos esforços constantes dos produtores nacionais, a exemplo do João Marinho (Blackout Discos, Recife), responsável por este e tantos outros eventos. O público, a propósito, elogiou bastante a produção em função da escolha das bandas que se apresentaram.

O Heavy Metal reina absoluto nesta temporada de shows pela capital pernambucana. Enquanto estas palavras são registradas, o IRON MAIDEN anuncia em seu website oficial a turnê “Round The World Trip”, onde presenteia os brasileiros com 6 datas para 2011. A cidade de Recife também foi contemplada, com show em 3 de abril de 2011. E ainda este ano, teremos apresentação da banda ANGRA, que vem para Recife divulgar seu recém lançado trabalho de estúdio, Aqua (agosto de 2010).

E que venham muito mais shows!

SETLIST DEATH ANGEL
I Chose The Sky (Relentless Retribution, 2010)
Evil Priest (The Ultra-Violence, 1987)
Buried Alive (Killing Season, 2008)
Voracious Souls (The Ultra-Violence, 1987)
Relentless Revolution (Relentless Retribution, 2010)
Claws In So Deep (Relentless Retribution, 2010)
Seemingly Endless Time (Act III, 1990)
Stop (Act III, 1990)
3rd Floor (Frolic Through the Park, 1988)
This Hate (Relentless Retribution, 2010)
Thrown To The Wolves (The Art of Dying, 2004)
Lord Of Hate (Killing Season, 2008)
Falling Asleep (Act III, 1990)
Truce (Relentless Retribution, 2010)
Thrashers (The Ultra-Violence, 1987)
Bored (Frolic Through the Park, 1988)
The Ultra-Violence (apenas Intro) (The Ultra-Violence, 1987)
Kill As One (The Ultra-Violence, 1987)

SETLIST CRUOR
Whitechapel (EP Unburied, 2010)
Septem Sermones Ad Mortuos (EP Unburied, 2010)
Slow Death Machine (Insane Harmony, 1995)
Not Today (EP Unburied, 2010)
Escape To The Void (cover Sepultura)
Under The Sun (música nova)
Tortura (Insane Harmony, 1995)
Postmortem (cover Slayer)
Seca (Insane Harmony, 1995)

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Death Angel (Clube Internacional, Recife, 30/10/2010)

447 acessosDeath Angel: o prodígio da Bay Area não decepcionou Recife450 acessosDeath Angel: a arte do thrash metal no Recife

Thrash MetalThrash Metal
Os 10 melhores discos do século 21, segundo o Loudwire

559 acessosLoudwire: os dez melhores álbuns de thrash metal do século 210 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Death Angel"

CinemaCinema
As melhores músicas de Rock/Metal em filmes de terror

Rock e MetalRock e Metal
E se as capas dos álbuns fossem honestas?

Metal HeavyMetal Heavy
10 clássicos para entender o Thrash Metal

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Death Angel"0 acessosTodas as matérias sobre "Cruor"

Axl Rose no AC/DCAxl Rose no AC/DC
O que Ozzy Osbourne achou disto?

Brian MayBrian May
"Axl Rose sempre foi uma pessoa amável!"

GwarGwar
Morre o vocalista Oderus Urungus aos 50 anos

5000 acessosIron Maiden: quinze canções que definem a banda5000 acessosLemmy Kilmister fala de Sharon e Iron Maiden5000 acessosCapas clássicas: os locais onde foram feitas nos dias de hoje5000 acessosBateristas: alguns que usam a pegada tradicional para tocar5000 acessosGuns N' Roses: os Jovens Pistoleiros, sexo, drogas e RnR4213 acessosGeoff Nicholls: 15 curiosidades sobre o músico oculto do Black Sabbath

Sobre José Correia JOSCO

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online