Angra: o primeiro show da turnê mundial, em Salvador

Resenha - Angra (Bahia Café Hall, Salvador, 28/08/2010)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Monica Fontes
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Depois de ficar quatro anos sem gravar devido a problemas internos e de empresariamento que quase resultaram no fim da banda, o Angra lança “Aqua”, seu novo álbum conceitual e o sétimo da carreira, totalmente baseado na obra do poeta inglês William Shakespeare – “A Tempestade” – e produzido pelo próprio grupo. Além de trazer de volta à cena uma das melhores bandas de Heavy Metal do país, o disco também marca o retorno do baterista Ricardo Confessori.

890 acessosRafael Bittencourt: "Eu nunca fui tão feliz", making of #235000 acessosRush: Um Adeus Aos Reis

Foto da chamada: Antonio Cezar

A cidade escolhida para o primeiro show da turnê mundial foi Salvador, no Bahia Rock Festival, que recebeu muito bem o grupo e lotou o espaço com um público em torno de 3.000 pessoas, receptivo e ansioso para ver a banda executar as novas músicas.

Antes da apresentação do Angra aconteceu o show da banda baiana de Thrash Metal Minus Blindness que também estava lançando seu CD “Vile Veil”. O guitarrista Ricardo Primata, que participou do disco, estava presente e foi chamado para tocar a faixa “Red Sun Rise”. Na parte final do show, a vocalista da banda Templarius, Inis Leahyo, e o guitarrista Vitor Matos (Cobalto), fizeram um tributo ao melhor vocalista de todos os tempos, Ronnie James Dio, com a música “Holy Diver”.

Poucos minutos depois teria início o show do Angra e a expectativa era enorme por parte do público. A impactante intro “Viderunt Te Aquæ” com a sequência imediata de “Arising Thunder” surtiram um excelente efeito ao vivo e mostraram que a banda estava realmente de volta e na sua melhor forma. O show seguiu com alguns clássicos da primeira formação como “Angels Cry” e “Silence And Distance”, sendo executados de forma brilhante pelo vocalista Edu Falaschi, que aproveitou para interagir e agradecer ao público que sempre os receberam tão bem em Salvador. Após a execução de “Deus Le Volt” e “Spread Your Fire”, é a vez de mais uma faixa do “Aqua” - “The Rage Of The Waters”, que vem sendo considerada uma das melhores do novo álbum. Na sequência, “Heroes Of Sand”, uma das preferidas dos fãs e considerada por muitos como uma das melhores do show, com uma performance arrasadora de Edu Falaschi. Fechando a primeira parte, “The Voice Commanding You”, do álbum anterior “Aurora Consurgens”.

O grupo inicia o set acústico com “Wishing Well” do quinto disco “Temple Of Shadows”. Essa parte do show tem opiniões diversas. Uma parte do público acha cansativo e outros gostam muito justamente por mostrar os integrantes de forma mais intimista e descontraída. Mesmo assim, a maioria concorda que “Late Redemption” é sempre um dos momentos mais bonitos, principalmente quando o público canta os versos de Milton Nascimento. Finalizando o acústico, “Bleeding Heart”, com uma grande participação dos fãs.

Voltando ao palco para a parte final do show, é a vez de “Lisbon”, do álbum “Fireworks”, que Falaschi vem conduzindo com muita personalidade. Na sequência, mais uma inédita - “Awake From Darkness”, seguida de “Rebirth”, do disco homônimo, “Crossing” e “Nothing To Say”, do “Holy Land”. Finalizando, “Carry On”/”Nova Era” interligadas, como a banda já vinha fazendo nos shows anteriores, e “Gate XIII” no encerramento.

Um set list bem variado, abrangendo toda a carreira do grupo em um show que mostrou o total entrosamento entre os músicos, visivelmente felizes pela superação de um período difícil, pelo retorno à estrada, e principalmente, pelo lançamento de mais um disco marcante em sua carreira.

Set List:
Viderunt Te Aquæ
Arising Thunder
Angels Cry
Silence And Distance
Waiting Silence
Deus Le Volt!
Spread Your Fire
The Rage Of The Waters
Heroes Of Sand
The Voice Commanding You
Wishing Well (acústica)
Late Redemption (acústica)
Bleeding Heart (acústica)
Lisbon
Awake From Darkness
Rebirth
Crossing
Nothing To Say
Carry On/Nova Era
Gate XIII

Line Up:
Edu Falaschi – Vocal
Kiko Loureiro – Guitarra
Rafael Bittencourt – Guitarra
Felipe Andreoli – Baixo
Ricardo Confessori – Bateria
Daniel Santos – Teclado (convidado)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

890 acessosRafael Bittencourt: "Eu nunca fui tão feliz", making of #23315 acessosRedeTV!: Sonoridades entrevista a banda Angra nesta quinta-feira535 acessosAngra Fest: Fabio Lione e Pompeu convidam fãs para o festival3812 acessosNando Moura: a trolagem do Megadeth e o Top 5 do Kiko Loureiro3801 acessosAngra: "É o melhor baixista com quem eu já trabalhei, um MONSTRO!"5000 acessosKiko Loureiro: "minha resposta para o Nando Moura"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

AngraAngra
Ouça o cover de "Walk" do Pantera com Renatón nos vocais

Luís MariuttiLuís Mariutti
Pelos fãs e meus filhos eu faria algo com o Angra

Kiko LoureiroKiko Loureiro
"Essa menina toca melhor do que eu"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"


RushRush
Um Adeus Aos Reis

DoorsDoors
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Meet & GreetMeet & Greet
Como os roqueiros de verdade se comportam

5000 acessosMilhões: Os eventos com maior público da história da música5000 acessosMax Cavalera: triste ver uma banda tão importante virar uma merda5000 acessosTony Iommi: opiniões sobre Dio, Rhoads e Halford5000 acessosNirvana e Iron Maiden: Kurt Cobain era fã da Donzela de Ferro5000 acessosQueen: A genialidade de Brian May5000 acessosRock e Metal: Algumas das melhores duplas de guitarristas

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Monica Fontes

Mônica Fontes - Carioca, nascida em 1968, vive no Rio de Janeiro e é tradutora de inglês e espanhol. Apaixonada por música, leitura e cinema, começou a ouvir rock aos 13 anos, já tendo presenciado grandes shows e eventos desse gênero. Além do rock, também se interessa por outros estilos, como o Pop e MPB. Led Zeppelin, Deep Purple, Black Sabbath, Pink Floyd, U2 e Guns N'Roses são algumas de suas bandas preferidas, sem deixar de prestigiar as excelentes bandas e artistas nacionais. Acessa o Whiplash há alguns anos e começou a colaborar por gostar de traduzir os diversos assuntos relacionados no site.

Mais matérias de Monica Fontes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online