Adler's Appetite: O ex-Guns vive do passado, mas quem se importa?

Resenha - Adler's Appetite (Manifesto Bar, São Paulo, 08/05/2009)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.









Já disse isso em outra resenha publicada no site (do show do Ted Poley), mas vale repetir: falar em Hard Rock atualmente é falar em Manifesto Bar. Nos últimos anos muitos ícones desse estilo passaram por lá e dessa vez não foi diferente.

Os fãs que estiveram no bar nesta sexta-feira 08 de maio, viram a apresentação da banda de Steven Adler, o ADLER'S APPETITE. Baterista original de uma das maiores bandas de Hard Rock do mundo (para muitos, a maior de todas), o GUNS N' ROSES, Steven gravou o imortal e multiplatinado álbum "Appetite For Destruction", ao lado de Axl Rose, Slash e companhia.

E veio ao Brasil com essa proposta: trazer algumas das músicas clássicas desse álbum para o público paulistano, como "Paradise City" e "Sweet Child O'Mine". Embora Steven tenha passado por muitos momentos difíceis em sua carreira - demissão do GUNS N' ROSES no auge do sucesso, em 1990, em razão de sua dependência química de heroína; processo judicial contra a própria banda em 1992; derrame em 1996; e idas e vindas com seu projeto ADLER'S APPETITE nos últimos anos - o baterista mostrou em São Paulo que ainda tem lenha pra queimar e muito carisma.

Pra esquentar o público presente, INDIAN BALLS foi a banda escolhida para a abertura da noite, composto de músicos competentes, que mantiveram todos os ansiosos fãs do GUNS N' ROSES entretidos o tempo todo.

O INDIAN BALLS entrou no palco pouco depois da meia noite, trazendo um som pesado e muito entrosamento, superando com competência e bom humor alguns problemas técnicos de ajustes da guitarra, baixo e microfone (sobrou para o André, responsável pela parte de som do Manifesto Bar, que ouviu o vocalista Renaton xingá-lo de "viado", com apoio do público, em tom de brincadeira, é claro). Em meio a músicas próprias, como "My Kind Of Vibe", o INDIAN BALLS fez o que toda banda de abertura deve fazer para ser bem recebida por um público que, obviamente, fica sempre na expectativa do artista principal, mandando ver alguns covers, escolhidos a dedo: "Walk", do PANTERA, "Rebel Yell", do BILLY IDOL e "Panama", do VAN HALEN. Tiros certeiros.

Pra fechar a curta apresentação de 40 minutos, "All The Way Down", música que Renaton (vocal), Davva (guitarra), H2O (baixo) e Phil (bateria), tiveram o prazer de gravar com Paul Dianno (ex-IRON MAIDEN).

Passado esse ótimo "aperitivo", o roadie do ADLER'S APPETITE passou a correr de um lado para o outro, para acertar todos os instrumentos, ligar cabos, testar amplificadores e colocar bebidas e toalhas no palco. Mas tudo correu bem e, por volta de 01:40h, Steven Adler e sua banda entraram em cena.

O público entrou em alvoroço e a pista, que estava lotada, tornou-se um verdadeiro amontoado de gente. "It's So Easy" abriu o show, para logo de cara mostrar que a madrugada seria mesmo muito boa. Steven, durante toda a apresentação, manteve estampado no rosto um enorme sorriso, estando visivelmente emocionado. É verdade que, em alguns momentos, mostrou-se bastante exausto, até mesmo em razão dos anos e anos de vivência com drogas pesadas, mas não quando esteve no comando do seu "kit" de bateria, pois naquele espaço do palco, Steven, em plena forma, dominou as baquetas muito bem.

Vieram "Out Ta Get Me", a ótima "Nightrain" e a não menos interessante, "My Michelle". Essas quatro músicas já deixaram o público de alma lavada, mas não parou por aí.

A promessa era de que o álbum "Appetite For Destruction" seria tocado na íntegra, conforme anunciado. Mas todos que estavam ali presentes não se decepcionaram por isto não ter ocorrido, pois "Civil War" apareceu no set list como uma grata surpresa. Steven foi demitido do GUNS N' ROSES na época das gravações de "Use or Illusion I e II", e "Civil War" é a única música creditada ao baterista, pois foi gravada por ele antes de sua demissão (posteriormente Matt Sorum o substituiu e gravou o restante dos dois álbuns). Canção marcante, que soou muito bem ao vivo.

Na seqüência, a agitada "Mr. Brownstone", que após sua execução fez Steven sair de trás da bateria para ir à frente cumprimentar o público, que gritava, em coro, "Olê, Adler, Olê, Adler". "Knockin' On Heaven's Door", composta originalmente por BOB DYLAN, também não ficou de fora, sendo seguida por "Rocket Queen", quando Steven assumiu o microfone para apresentar os outros integrantes da banda: Chip Z'Nuff (baixo), Rick Stitch (vocal), Alex Grossi e Michael Thomas (guitarras).

"Mama Kin" veio para surpreender a muitos, como única música representante do álbum "GN'R Lies", dando a prévia da trinca final, de arrebentar. Primeiro "Sweet Child O'Mine", com seu riff espetacular, conhecido mundialmente, executado no show por Michael Thomas. Depois, "Paradise City", com o riff inicial dessa vez sendo puxado por Alex Grossi. Tenho certeza de que veio à mente de muitos ali presentes o clipe da música, que mostra o GUNS N' ROSES, com sua formação clássica, tocando no Giants Stadium, em New Jersey, com imagens da passagem de som e do enorme público. Fechando a trinca, o hino "Welcome To The Jungle", seguida de arremesso de palhetas e baquetas e agradecimentos por parte dos cinco responsáveis pela alegria dessa noite histórica em São Paulo.

Mesmo tendo vida curta, o ADLER'S APPETITE já passou por diversas formações, valendo o registro de que a formação atual se mostra bastante coesa e entrosada no palco. Rick Stitch, ainda que tenha entrado na banda há menos de um mês, já está em casa, tem uma boa voz e canta as canções do GUNS N' ROSES com muita propriedade. Michael Thomas e Alex Grossi mostraram muita energia e presença de palco. Chip Z'Nuff tem um estilo próprio - não se movimentou muito no palco, vestiu um terno branco, com um lenço no pescoço e um chapéu que poderia ser usado por avós de todas as idades - mas mandou muito bem, tocando seu baixo como se estivesse em um outro planeta, ajudando com os "backing vocals".

Apesar de todos os ex-membros do GUNS estarem na ativa, participando de bandas/projetos, uma reunião da formação original da banda parece ser mesmo impossível, restando pelo menos o gostinho de que essa verdadeira entidade do Rock, o GUNS N' ROSES, passou pelo Brasil em 2009, ainda que representada por um único membro original: Steven Adler.

Muitos podem dizer que Steven vive do passado, executando músicas de uma banda que ele não faz parte há quase 20 anos, mas garanto que o público do Manifesto Bar e todos aqueles fãs que têm assistido shows do ADLER'S APPETITE nesta turnê, não estão muito preocupados com isso...

Após o show, Steven e sua banda interagiram com os fãs no 2º andar do Manifesto Bar, dando autógrafos e tirando fotos, com muita boa vontade e simpatia, tornando essa noite ainda mais inesquecível.

Set List:
01. It's So Easy
02. Out Ta Get Me
03. Nightrain
04. My Michelle
05. Civil War
06. Mr. Brownstone
07. Knockin' On Heaven's Door
08. Rocket Queen
09. Mama Kin
10. Sweet Child O' Mine
11. Paradise City
12. Welcome To The Jungle



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Steven Adler"Todas as matérias sobre "Guns N' Roses"


Guns N' Roses: banda estará na trilha do novo Exterminador do Futuro?Guns N' Roses
Banda estará na trilha do novo Exterminador do Futuro?

Rodz Online: Os bastidores de Appetite For Destruction, do Guns N' Roses (vídeo)Rodz Online: Todo Fã é um idiota (vídeo)

Guns N' Roses: Tracii Guns saiu após Axl Rose sumir e reaparecer mandãoGuns N' Roses
Tracii Guns saiu após Axl Rose sumir e reaparecer "mandão"

Guns N' Roses: banda estaria com shows marcados no Lolla chileno e argentinoGuns N' Roses
Banda estaria com shows marcados no Lolla chileno e argentino

Resenha - Appetite For Destruction - Guns N' RosesGuns N' Roses
Em 1987, o álbum que definiu uma geração

Guns N' Roses: box luxuoso encalha e itens são vendidos separadamenteGuns N' Roses
Box luxuoso encalha e itens são vendidos separadamente

Guns N' Roses: a história do EP Live @ Like a Suicide (vídeo)Guns N' Roses
A história do EP Live @ Like a Suicide (vídeo)

Guns N' Roses: vire um integrante caveira da banda em filtro de FacebookGuns N' Roses
Vire um integrante caveira da banda em filtro de Facebook

Lizzie Grey: morre músico que tocou com músicos do Guns, Mötley e maisLizzie Grey
Morre músico que tocou com músicos do Guns, Mötley e mais

Ed Sheeran: não é mais do U2 a turnê mais lucrativa da história

Guns N' Roses: até DJ Ashba quis volta de Slash, por isso saiu amigavelmenteGuns N' Roses
Até DJ Ashba quis volta de Slash, por isso saiu amigavelmente

Slash: pequenininho em foto com Matt Sorum e Gilby ClarkeSlash
Pequenininho em foto com Matt Sorum e Gilby Clarke

Axl Rose vs Metallica: É claro que teve treta em 1992 (vídeo)Axl Rose vs Metallica
É claro que teve treta em 1992 (vídeo)

Vocais: quinze vozes feias que se tornaram marcantes no RockVocais
Quinze "vozes feias" que se tornaram marcantes no Rock

Axl Rose: o Donald Trump do rock & roll, diz o próprioAxl Rose
O Donald Trump do rock & roll, diz o próprio

Guns N' Roses: Slash e DJ Ashba, as semelhançasGuns N' Roses
Slash e DJ Ashba, as semelhanças

W. Axl Rose: pós-GNR, ele pensou em se lançar como artista soloW. Axl Rose
Pós-GNR, ele pensou em se lançar como artista solo


Joey Ramone: em 1989 falando de Metallica, AC/DC e GN'RJoey Ramone
Em 1989 falando de Metallica, AC/DC e GN'R

Metal Sucks: Top 25 vocalistas do metal modernoMetal Sucks
Top 25 vocalistas do metal moderno

Fotos de Infância: Robert Plant, do Led ZeppelinFotos de Infância
Robert Plant, do Led Zeppelin

Separados no nascimento: Ronnie James Dio e Maria BethaniaÁlbuns: os vinte piores discos de todos os temposMick Jagger: dando em cima de uma Katy Perry quase adolescente?Metallica: A opinião de Ron McGovney sobre Mustaine

Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.