Sepultura: Bom público, boa organização, clima de festa...

Resenha - Sepultura (Portuários, Santos, 04/09/2004)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando De Santis
Enviar correções  |  Ver Acessos







Já fazia mais de uma década que o Sepultura, banda que carrega o nome do Brasil pelos quatro cantos do globo, não pisava em Santos, para fazer uma apresentação para o fanático público do litoral. Bom público presente ao clube, boa organização, clima de festa, enfim, tudo perfeito para um sábado memorável.

A abertura do show ficou por conta dos santistas do Drive V (que já fora chamado de Cajamanga). Fazendo um som meio que nu-metal, com um vocal que às vezes lembrava Zack de La Rocha, o pessoal do Drive V aqueceu muito bem a galera, que já se apertava próximo ao palco, tocando músicas próprias e covers, como a muito bem executada, "Duallity" do Slipknot e "War Pigs" do Black Sabbath. A segunda banda a subir no palco foi o Chemical Disaster, que toca um death metal muito bom. Por um azar imenso, quando eu estava em frente ao palco, tirando fotos, notei que por algum motivo obscuro, a bateria da minha câmera zerou! Tive que sair correndo para comprar pilhas em uma padaria ao lado da Vila Belmiro e quando voltei, já havia acabado o show deles. Não pude conferir a apresentação, mas os comentários do público presente foram muito positivos.

Massacration, a banda formada por integrantes do programa da MTV, "Hermes & Renato", subiu ao palco na seqüência para divertir e empolgar os fãs que aguardavam pelo Sepultura. Não acreditei quando vi praticamente todo mundo gritando "Massacration, Massacration", não sabia que eram tão populares... e para a minha surpresa, o público cantava todas as músicas do set. Após tocar a vinheta do programa Hermes & Renato, o ator mais gordinho do programa (desculpe, não sei o nome) subiu no palco sambando e cantando, para depois entrar os integrantes do Massacration. "Metal Milk Shake" abriu o show e nos intervalos das músicas, rolavam as tradicionais palhaçadas. Impressionante também a presença de palco dos rapazes! "Metal Bucetation" foi o ápice (!!!) do show, que foi encerrado com "Metal Massacre Attack", que teve a participação daquele tiozinho doido, que só grita, no programa da MTV. Hilária a apresentação, sem ser cansativa e com todas as músicas muito bem tocadas.

Com um público ansioso, com olhares fixos e com diversos fotógrafos com os umbigos colados ao palco, o Sepultura entrou fazendo o que melhor sabe: porrada na orelha da galera. Formado por Andreas Kisser (guitarra), Paulo Jr. (baixo), Igor Cavalera (bateria) e Derrick Green (vocal), o quarteto mais famoso do Brasil começou a apresentação com "Apes of God". Igor Cavalera tocava como se tivesse raiva da bateria... socava, dava pena da pobre batera, Mr. Green que entrou tocando guitarra, encarava o público, meio que intimando a galera a se empolgar, Paulo ficava mais na dele, porém totalmente competente, enquanto Andreas agradou a todos, usando uma camiseta da burrinha, a Portuguesa Santista, que é querida por santistas, corintianos, são paulinos e palmeirenses do Litoral. O setlist foi muito bem diversificado, passando por todas as fases do Sepultura. "Biotech is Godzilla" e "Propaganda" agradaram em cheio no início do show, porém o pau comeu mesmo nas mais antigas como, "Troops Of Doom" e no medley "Innerself / Beneath The Remains".

Em determinado momento do show, Andreas soltou os riffs iniciais de "Seek and Destroy" do Metallica, mas logo a seguir, anunciou que viria pela frente "Desesperate Cry" do disco "Arise". "Refuse / Resist" teve praticamente emendada a famosa "Territory", que fez todos os presentes pularem e cantarem de forma insana. A primeira parte do show foi fechada com o medley de "Arise / Dead Embryonic Cells", que era um dos momentos mais aguardados. A volta para o encore teve "Parabéns a você", para o baterista Igor Cavalera, que completava 34 anos. "Come Back Alive" foi a música da volta, quando Derrick anunciou que "Roots Bloody Roots" seria a última música. Após o grito de "Sepultura do Brasil" de Derrick, a banda fechou o show com uma energia impressionante, parecia que era a primeira música do set!

Apresentação de gala da banda que é orgulho nacional. O público de Santos saiu do clube Portuários totalmente satisfeito com o que viu e ouviu. Agora só resta torcer para que a volta do Sepultura a Santos, não demore mais de dez anos...



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Sepultura"


Sepultura: Max e Andreas comentam gravação do Roots com índiosSepultura
Max e Andreas comentam gravação do "Roots" com índios

Mente aberta: músicos de metal que tocam ou já tocaram em outros estilosMente aberta
Músicos de metal que tocam ou já tocaram em outros estilos


Rockstars: Tatuagens que possivelmente geram arrependimentoRockstars
Tatuagens que possivelmente geram arrependimento

Separados no nascimento: Geddy Lee e Marquito do RatinhoSeparados no nascimento
Geddy Lee e Marquito do Ratinho


Sobre Fernando De Santis

Paulistano, nascido em 1979, Fernando De Santis passa grande parte do seu tempo viajando entre São Paulo, Santos e Curitiba. Nas horas de viagens dentro de ônibus ou aviões, costuma ouvir Hard Rock, Heavy Metal e demos de qualquer estilo. Atualmente trabalha como webdesigner para o Estado de São Paulo. Mantém o site "We Burn", dedicado ao Helloween desde 1998, que nunca lhe trouxe nenhum dinheiro, mas rendeu muito amigos.

Mais informações sobre Fernando De Santis

Mais matérias de Fernando De Santis no Whiplash.Net.