Resenha - Shaman (Planeta Beer, Ponta Grossa, 25/08/2002)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maria Aline
Enviar Correções  

Foto: Aranzazu Peyrotau, Espanha Retirada do Site Oficial
Foto: Aranzazu Peyrotau, Espanha Retirada do Site Oficial
Duas horas antes da anunciada para o início do show, já havia uma aglomeração de camisetas pretas na frente da casa de shows Planeta Beer, cena incomum na cidade de Ponta Grossa.

publicidade

Os portões foram abertos às 21h50, com a entrada controlada pelos seguranças para evitar tumulto. Cerca de 15 minutos depois a casa estava cheia assistindo ao show da banda Shadow Mask, que mostrou seu Heavy Melódico, já conhecido em todo o país, por aproximadamente 30 minutos.

Eram quase 23h00 quando ouviu-se a intro "Ancient Winds", que preparou o publico para a explosiva "Here I Am", seguida de "Distant Thunder" e a já conhecida "Time Will Come". O publico já estava fervendo, quando André Matos anunciou "For Tomorrow", que tem uma levada bem brasileira. Apesar de não ter o cd "Ritual" nas prateleiras na data do show, algumas pessoas acompanharam cantando as músicas, pois muitos já ouviram alguma coisa na internet. Mas logo ouvimos os toques familiares de "Wings of Reality", o que causou grande exaltação do público, agora cantando com mais vigor. Atrás veio "Lisbon", que dispensou a atuação de André Matos nos vocais, tão alto era o coro que vinha da platéia.

publicidade

Houve pausa para o descanso de André Matos, momento em que Hugo começa a demonstrar suas habilidades num solo, seguido então de uma jam progressiva bem interessante com os quatro músicos, dando uma brecha para o baixo de Luis e finalizadada com a técnica de Confessori num solo de bateria.

A segunda parte do show inicia com "Blind Spell", seguida de "Over Your Head" e a melodiosa "Fairy Tale". André anuncia o final do show com a música "Pride", que na gravação de estúdio contou com a participação de Tobias Sammet (Edguy). A banda deixa o palco ao som da galera pedindo "Carry On" e "Painkiller".

publicidade

Alguns minutos depois voltam para a execução de "Ritual" e um cover de "Burn" do Deep Purple. Antes de sair novamente André anuncia a volta aos tempos do Viper com "Living For the Night", acompanhada com muito entusiasmo e outra vez fazendo com que André Matos deixasse os vocais e testasse o potencial do público no refrão por vários minutos.

publicidade

Mais gritos, o público parecia incansável pedindo a volta da banda até que ouvimos a tão esperada "Unfinished Allegro" trazendo "Carry On" para delírio geral. Como se não bastasse, a noite foi encerrada ao som de "Painkiller", um verdadeiro presente para os fãs enlouquecidos ao som da música.

Um grande show, que mostrou a simpatia dos integrantes e a vontade da banda de fazer o que gosta : HEAVY METAL!!

publicidade


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin