Meet and Greet: vale a pena?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mark Ark
Enviar correções  |  Ver Acessos

Embora já tenha vivido alguns momentos especiais encontrando músicos que eu admiro, com direito a autógrafos e fotos, participei de um "meet and greet" típico apenas uma vez.

Fotos de Infância: Avril LavigneAC/DC: Brian revela segredo obscuro de Angus Young

Numa das apresentações do BLACK LABEL SOCIETY no Brasil acabei me interessando em participar do "meet and greet" que ocorreu algumas horas antes do show. Sou grande fã de Zakk Wylde e acabei pagando no site, com algumas semanas de antecedência, para conhecer meu ídolo.

O evento ocorreu num Rock-Bar em São Paulo para cerca de uma centena de fãs. Foi organizado uma fila para que os fãs pudessem, um a um, cumprimentar os músicos, ter um álbum autografado (e somente um) e posteriormente uma foto com a banda.

Primeiramente a fila se formou do lado de fora do bar, até que, para delírio dos fãs, a banda chegou numa van e rapidamente adentrou ao recinto. Lentamente a fila começou a andar, bem como minha expectativa. Quando passei pela porta senti um frio na barriga e após alguns minutos mal podia acreditar que era o Zakk em pessoa que estava sob o mesmo teto que eu.

Os membros da produção controlavam para que ninguém se excedesse: apenas um autógrafo por pessoa e depois disso a "fila anda". Preciso salientar que reconheço que é preciso organização para eventos como esse e até acho que foi bem planejado e executado, em nenhum momento me senti mal tratado.

No entanto, percebi que os membros da banda cumprimentavam friamente os fãs e assinavam mecanicamente os encartes. É claro que foi emocionante, mas ao mesmo tempo me senti numa linha de produção. Após os autógrafos outra fila para tirar fotos com a banda, quando chegou minha vez, posicionei me ao lado de Zakk e achei muito legal que ele colocou seu braço sobre meu ombro e, após a foto, um generoso tapinha nas minhas costas, meio que me empurrando.

Ressalto novamente que não me senti mal tratado e continuo fã de Zakk, tanto que fui a outros shows dele posteriormente. Apesar de suas habilidades na guitarra, ele é um ser humano e me coloquei no lugar dele. Acho que ele fez o melhor para agradar seus fãs, lembrando que faltavam poucas horas para o show, ele poderia ter ficado no Hotel descansando, mas foi lá e nem acho que foi pela grana. Esses eventos tem um custo e contando que ganhei um Kit com algumas palhetas e mais algumas bugigangas, além de uma foto profissional, acho que o preço foi justo.

Não me senti explorado, nem maltratado por uma estrela do tipo "não me toque", não estou reclamando disso, mas acho que tive uma experiência "plastificada". É um momento especial para o fã, mas do outro lado tem um músico se esforçando para dar atenção aos fãs, não por menosprezo, mas porque é algo cansativo mesmo.

Esses eventos costumam ser bem caros e exclusivos. Geram bastante expectativa e excitação, mas, por outro lado, podem ser bem frustrantes e até mesmo decepcionantes. Esse é a experiência e percepção que eu tive. Como disse não me arrependo, mas não sei se participarei novamente.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Opiniões

Fotos de Infância: Avril LavigneFotos de Infância
Avril Lavigne

AC/DC: Brian revela segredo obscuro de Angus YoungAC/DC
Brian revela segredo obscuro de Angus Young

MTV Unplugged: As 25 melhores apresentações da históriaMTV Unplugged
As 25 melhores apresentações da história

Históricas: Fotos de encontros inusitados entre rockstarsHistóricas
Fotos de encontros inusitados entre rockstars

Spin: os 40 melhores nomes de bandas de todos os temposSpin
Os 40 melhores nomes de bandas de todos os tempos

Iron Maiden: os 10 discos favoritos de Steve Harris em 1985Iron Maiden
Os 10 discos favoritos de Steve Harris em 1985

Steve Terreberry: 10 guitarristas que seguram a palheta de forma bizarraSteve Terreberry
10 guitarristas que seguram a palheta de forma bizarra


Sobre Mark Ark

Nascido em São Paulo em 1979, seu amor pelo metal e rock vem desde o final dos anos 80. Grande fã de Pantera e trash metal, mas curte Rock em geral (e outros estilos como Blues e Rap). Acessa o site há mais de 20 anos e em 2018 decidiu ser colaborador e criar seu próprio site rockaddict.com.br.

Mais matérias de Mark Ark no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336