Metallica: Em 1991 eles mudaram a face da música pela 2ª vez

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Site do LoKaos Rock Show
Enviar correções  |  Ver Acessos

No dia 12 de Agosto de 1991 o METALLICA lançava um disco auto-intitulado, comumente chamado de 'Black Album'. Até então, o Metallica era uma banda que vendia patches bordadas (ou pintadas em tecido preto grosso, como no Brasil) para caras com cabelos longos e sebosos.

Slayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecidoHumor: Não basta ouvir Master Of Puppets para ser Thrash

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A partir do lançamento desse disco, tudo mudou no Metal: pro Metallica, pros fãs de Metal, pros fãs do Metallica e pras pessoas que não eram nem fãs de Metal e muito menos de Metallica. Esse produto - difícil chamá-lo somente de 'disco', já que foi um dos últimos lançamentos épicos que abrangeram vinil, CD e cassete (e vídeo cassete também, uma vez que tanto o longo e custoso processo de gravação como a infindável turnê para promovê-lo foram lançados em duas fitas VHS e dois Laser Discs separadamente à época) - tem, dentre duas muitas qualidades, uma escolha muito feliz na sequência e cronologia das faixas, algo que se torna meio intangível em tempos de função shuffle e playlists. Tal seleção faz do 'Black Album' uma audição coesa e com uma unidade orgânica raramente capturada por uma banda - além de até hoje, mesmo com os avanços tecnológicos que a informática trouxe para a fonografia desde então, poder facilmente levantar a taça de melhor qualidade de som num disco de Heavy Metal na história.

'Metallica' fez com que muito mais pessoas que jamais cogitariam sequer chegar perto de uma banda com tal nome fossem atrás dos trabalhos anteriores da banda do que o contrário - fãs egressos que se ofenderam com a ascensão da banda ao megaestrelato cujo trono a banda ainda ocupa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Black Album tirou a pecha de banda underground do grupo. De repente, o material da banda não era mais trocado em fitas cassete obtidas através do amigo de um amigo de um colega de trabalho. Ao invés disso, você podia ouvir o Metallica na rádio, a começar pelo primeiro single de trabalho, "Enter Sandman". Até a presente data, estima-se que somadas, as vendas de CDs, vinis, e cassetes, 'Metallica' cheguem a 12 milhões de cópias. Isso não contabiliza as vendas de singles, EPs, camisetas, revistas, pôsteres, patches, bonés, moletons, cadernos, fitas VHS, Laser Discs, DVDs-Audio, downloads legalizados, etc. Antes de irem para casa e começarem a pensar no sucessor para o trabalho, o Metallica tinha feito quase 400 shows para promovê-lo. Dificilmente qualquer outra banda terá, até onde o futuro nos permita ver, um volume de exposição e comercialização tão maciço e intenso.

Diga você o que quiser sobre 'Metallica', e sobre tudo que eles tenham lançado depois nos últimos vinte anos: o 'Black Album' ainda soa tão forte quanto nunca, e para a maioria que está lendo isso, permanece sendo uma memória essencial de sua infância ou juventude.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção OpiniõesTodas as matérias sobre "Metallica"


Metallica: Lars Ulrich revela o segredo para tocar bateria até hojeMetallica
Lars Ulrich revela o segredo para tocar bateria até hoje

James Hetfield: Brasil e Justin Bieber no seu top 10 de 2015James Hetfield
Brasil e Justin Bieber no seu top 10 de 2015


Slayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecidoSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

Humor: Não basta ouvir Master Of Puppets para ser ThrashHumor
Não basta ouvir Master Of Puppets para ser Thrash


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280