Se a vovó me entendesse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Wendell Penedo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Eu estava sentado na cozinha, tomando um café, num dia desses em que você não está muito disposto a pensar ou fazer grandes discursos defendendo o que você acredita, quando minha avó perguntou "que tipo de musica eu gostava", eu disse : Gosto de metal vó. Ela fez lá um gemido de quem entendeu e saiu.

Black Sabbath: avó de Iommi era brasileira e pais eram católicosRoqueiros conservadores: a direita do rock na revista Veja

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas a pobre velhinha que mal consegue falar português direito não tinha idéia da crise que acabara de criar na cabeça do neto.

Quando eu tentei pensar em um nome para meu estilo musical fiquei em dúvida, eu não posso dizer que curto rock, pois é capaz de alguém me perguntar se sou fã do U2, mas falar em "Metal" se tornou algo tão vago quanto o "Rock".

Um emaranhado de "Metais" surgem em minha cabeça quando abro minha pasta de CD's, é um festival de Black Metal, Death Metal, Doom Metal, Thrash Metal, Heavy Metal, que a minha cabeça não agüenta.

Eu percebo que essa infinidade de rótulos só enfraquece o que poderia ser um grande movimento, o Metal. Sim, eu quero estar em um festival com a camiseta do Iron Maiden sem um cara-pintada com sua camiseta do Impaled Nazarene me olhando de cara feia, ou cochichando que eu sou isso ou aquilo. Assim como o Headbanger é preconceituoso em relação a outros estilos ele é preconceituoso também com outros Headbangers e por isso, eu acho que os rótulos deveriam ser banidos, claro, tão fácil seria eu dizer para qualquer um que eu amo o Metal, sem algum espertinho perguntar "Ae, que tipo de metal?".

Na maior parte das vezes quando me perguntam que tipo de som eu escuto, eu digo "Gosto de bandas no estilo do Opeth", assim ninguém mais me enche, pois o Opeth não pode ser classificado sem que sejam empregadas dezenas de barras para mostrar algo/difícil/de ser/ entendido/metal. Mas como eu poderia dizer "vó, eu curto bandas como o Opeth", tadinha, iria ver se era mesmo café o que eu bebia.

Não existem limites para o absurdo, tanto que num dia desses uma amiga, se referindo aos italianos do Rhapsody, me disse se tratar de "Power Metal Épico Sinfônico Barroco", eu pedi para ela repetir, eu não teria decorado assim na primeira vez. Foi nesse dia que eu comecei a ficar preocupado, a vovó foi só a gota d'água.

Meu irmãozinho, um viciado em mp3 de bandas underground, me aparece com cada vertente do metal que eu até o momento nunca ouvi falar, e é com ele que eu mais discuto sobre esses rótulos, afinal "o Iced Earth é thrash ou power thrash?" já viu, acaba quase em tapa.

Inicialmente eu me sentia envergonhado, e até meio ignorante por não saber do que se tratavam alguns desses sub-estilos, mas agora estou ciente que muitos que eu ouço por ai são inventados por fãs malucos e acabam nem ganhando uma circulação geral, então eu continuo gostando de bandas como o Opeth, e não, não conheço nenhuma banda de Speed GrindCore para recomendar.

Como um carinha disse uma vez:

"Tirem a primeira palavra e deixem só uma: Metal" (Chuck Schuldiner - Death)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Opiniões

Black Sabbath: avó de Iommi era brasileira e pais eram católicosBlack Sabbath
Avó de Iommi era brasileira e pais eram católicos

Roqueiros conservadores: a direita do rock na revista VejaRoqueiros conservadores
A direita do rock na revista Veja


Sobre Wendell Penedo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336