O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo dos Raimundos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Ribeiro
Enviar correções  |  Comentários  | 

A matéria a seguir foi publicada no Raimundos Official Web Fan Club em junho de 2001, comentando os motivos da saída do vocalista Rodolfo da banda RAIMUNDOS.

1979 acessosMr. Catra: Projeto Rock de cantor pede ajuda5000 acessosRob Halford: "Heterossexuais não conseguem cantar no Judas"

Hoje eu tive uma longa conversa com o Rodolfo. Ele estava super alegre, falante, e acima de tudo satisfeito com aquela que provavelmente foi a maior e mais difícil decisão da sua vida. Não existe mágoa, briga, nada disso. E quer saber no que a religião teve culpa nisso tudo? "A minha conversão serviu para eu me livrar das drogas, e dessa forma colocar a cabeça no lugar e ter coragem para lutar pelo que eu mais queria na vida, que era ser quem eu realmente sou".

Para entender isso, precisamos retroceder ao início da banda. "O Raimundos era o recreio da galera. Existia o Filhos de Menguele (banda do Digão), o Royal Street Flesh (primeira banda do Rodolfo), as duas bandas tinham letras sérias, conscientes. O Raimundos era a hora para tocar cover, não só do Ramones, mas Dead Kennedys, Suicidal. Aí entrou a parada do Zenilton, as letras engraçadas do Tello [amigo dos caras e na época vocalista do Filhos de Menguele], diferente do que ele fazia no Filhos. Só que esse recreio foi crescendo, as outras bandas ficaram para trás. O Raimundos, que era nossa diversão, virou trabalho, e aí chega um dia que perde a graça. Eu não me arrependo de nada do que fiz, absolutamente nada, só acho que chegou um ponto em que não tem mais porque continuar, eu tenho uma vida inteira pela frente, quero fazer algo diferente, quero compor letras que passem uma mensagem positiva para as pessoas. Você tem aí bandas como o Natiruts, o pessoal do Rap, tinha o Câmbio Negro, agora só o X (ex-vocalista do Câmbio Negro). São letras que tem uma mensagem, não são baboseira. O microfone é uma das armas mais poderosas que tem, e eu nunca o usei para passar uma mensagem consciente para o meu público. Eu vejo músicas como por exemplo o "Reggae do Maneiro", eu fico pensando como uma música dessas toma uma proporção tão grande. Um puta espaço que, ao invés de transmitir uma mensagem, fala que "não tem papel pra cagá". É ridículo!".

Não é nossa intenção "jogar a culpa" em ninguém, apenas esclarecendo os fatos para quem está lendo o texto: a música "Reggae do Maneiro" foi uma brincadeira gravada pela banda na época do álbum "Lapadas do Povo", que sequer entrou neste álbum, lançada posteriormente como Single apenas. Ela também não estava prevista para entrar no álbum "MTV Ao Vivo", no dia das gravações, em Curitiba, surgiu a idéia de fazer esta gravação com alguns integrantes do Fã Clube da banda, que estavam na cidade por causa das gravações - alguns tinham saído de outros estados para assistir os shows. Foi uma forma de presentear o Fã Clube, e a música foi escolhida porque com certeza não entraria no show, já que eles sequer a tocavam e talvez fosse a que tinha um melhor clima para a ocasião, visto que seria constrangedor tocar uma hardcore, por exemplo, sem público, apenas para 15 fãs. O fato é que a música foi a terceira de trabalho do álbum, não podemos dizer exatamente quais os critérios para a escolha mas sabemos que o Rodolfo não estava de acordo, tanto é que não quis gravar um clipe para a música e a MTV resolveu, então, aproveitando o sucesso da música nas rádios, colocar as gravações da música como um clipe - uma espécie de "improviso".

E sobre o seu relacionamento com os outros membros da banda: "acredito que isso tudo que esteja acontecendo só vai servir para nos aproximarmos mais ainda. Somos amigos, não tem mágoa. Outro dia falei com o Fred no telefone, hoje o Digão me ligou só para perguntar como eu estava. Isso nunca tinha acontecido. Eu fiquei feliz pacas! Dizer que existiam desentendimentos é normal, em qualquer banda existe, mas nada disso tem a ver com a minha saída. Durante esses últimos meses o Raimundos se tornou um trabalho, a gente só se falava no palco, fora dele era cada um pro seu canto... Pô, Raimundos era uma banda de amigos!".

Questionei então sobre uma mudança na carreira do Raimundos, e o Rodolfo novamente foi direto: "mudar o estilo não dá, a gente mudou de certa forma no "Lapadas do Povo", não o estilo mas fizemos algumas letras mais sérias como "Baile Funky", "Wipe Out" e "Andar na Pedra", e vejam o que aconteceu. Raimundos caiu de produção, menos shows, menos discos, menos músicas de trabalho. Mesmo que eu estivesse satisfeito - isso porque nem tínhamos deixado de ser divertidos, apenas fomos um pouco mais sérios - eu tinha que pensar nos outros da banda, o cara tem que pagar a escola dos filhos, essas coisas. O Raimundos nasceu para ser uma banda divertida, teria que ser assim para sempre. Só que eu sou um ser humano, tenho minhas vontades e não posso viver uma vida inteira fazendo uma coisa que não me agrada, para agradar os outros. Fingir que sou uma coisa que não sou. O que mais acontecia quando eu conhecia pessoas era ouvir "cara, eu imaginava você totalmente diferente", era foda. A minha imagem transmitia uma coisa que eu não era. O Raimundos teve uma carreira brilhante, acabamos no auge, muito melhor do que bandas que acabam na sarjeta. O que eu, Rodolfo, tinha que fazer pela banda, eu fiz. Foram 13 anos no Raimundos, é muito tempo, agora quero partir para outras experiências".

Existe alguma divergência com a gravadora? "Não existe, mas é aquele negócio, eles sempre falam "é bom ir lá porque vende mais disco, faz mais show". E para quem tem que sustentar família, não tem jeito, não tem como fugir. Eu não tenho nada contra as gravadoras, quando eu tiver o meu trabalho eu vou procurar a que tiver a melhor opção, vou lá no meu contrato e falo "eu não faço isso e isso". Não quero nunca mais fazer play-back na vida, vou nos programas que eu estiver afim, vou na MTV, no programa do Gastão. Não quero mais fazer coisas contra a minha vontade. Se eu não conseguir seguir do meu jeito, eu lanço o meu trabalho, para lançar o CD do Royal (Street Flesh, banda paralela) eu inventei uma gravadora, criei. O Lobão fez isso. Hoje em dia existem outras formas de se lançar, portanto farei da forma que for mais conveniente".

E como você acha que as pessoas, os fãs do Raimundos, receberão você na sua nova carreira? "Eu sei que muitos fãs do Raimundos adoram nossas letras sérias também, então aguardem, que nada acabou. Ninguém morreu! Não é como o Ramones, que infelizmente o Joey morreu e acabou-se tudo. Aqui são quatro caras, vivos, e cada um vai seguir o seu caminho. Eu não posso falar pelos outros, só por mim, e eu estou muito feliz com a minha nova vida artística que começará agora. Eu tenho já algumas músicas compostas, esse ano ainda estarei lançando material novo. Não sei ainda se montarei uma banda, ou gravarei sozinho (Rodolfo é multi-instrumentista), mas o que importa é que eu vou fazer aquilo que eu quero, não que no Raimundos eu não fizesse mas eram quatro caras, quatro cabeças para decidir as coisas. Se eu quisesse gravar um estilo diferente, precisaria do aval dos outros. Agora não, eu posso gravar o que eu quero, nada contra o estilo do Raimundos, muito pelo contrário, mas se der vontade de fazer algo diferente, esse é o momento. Eu sou roqueiro, sou do hardcore, mas se pintar a vontade de incluir outros ritmos... "Deixa Eu Falar" tem uma letra do caralho, "Mulher de Fases", "Bestinha"... São letras lindas. Eu não quero mais ser pressionado a fazer letras engraçadas ou divertidas. Mas que fique claro, a pressão não vinha de ninguém em específico, mas como já expliquei, vinha do nome "Raimundos". Não pensem que eu vou cantar louvando ao Senhor, ser cantor gospel, não é isso. A minha religião nada tem a ver com a minha decisão, o meu descontentamento, que já vinha de anos. Eu sei separar as coisas".

Neste momento eu citei a matéria da revista Capricho, e ele enfatizou que "não mudaram uma vírgula". Então eu questionei se ele não achava que o fato da matéria ter saído na mesma época, não teria agido negativamente, encobrindo o verdadeiro motivo de sua saída da banda, e ele falou: "foi uma coincidência de datas, a entrevista foi feita já tem um tempo, na época do Rock & Gol. Eu ainda estava na banda, tínhamos shows na mesma semana. Tanto que não falo nada de acabar com a banda, muito pelo contrário, falo de planos. Foi tudo uma coincidência, aquela entrevista eu só quis mostrar a minha experiência de vida, dos problemas que tive com as drogas e encontrei a solução em Jesus. Não é vergonha nenhuma para mim falar que Jesus me salvou, muito pelo contrário. Vergonha eu tinha quando lia as minhas entrevistas, quando ouvia a minha música no rádio. Eu desligava. Raimundos era para ser uma banda contra o sistema, hardcore. Não para falar besteira, para ser igual letra de funk e só mudar o ritmo. Raimundos foi uma fase da minha vida, da qual guardarei boas lembranças para sempre, mas agora eu começo uma nova fase. Faz um favor para mim, inclua no texto a letra da música "20 e Poucos Anos". É uma das letras mais "hardcore" que nós gravamos, e exprime exatamente o que estou passando agora".

20 e Poucos Anos - "MTV Ao Vivo Raimundos"
Letra: Fábio Jr.

Você já sabe
Me conhece muito bem
Eu sou capaz de ir e vou
Muito mais além
Do que você imagina
Eu não desisto
Assim tão fácil, meu amor
Das coisas que eu quero fazer
E ainda não fiz
Na vida tudo tem seu preço, seu valor
E eu só quero dessa vida é ser feliz

Eu não abro mão
Nem por você, nem por ninguém
Eu me desfaço dos meus planos
Quero saber bem mais
Que os meus 20 e poucos anos

Tem gente ainda
Me esperando pra contar
As novidades que eu
Já canso de saber
Eu sei também
Tem gente me enganando
Mas que bobagem
Já é tempo de crescer

Aqui encerro o meu texto com um certo alívio por saber que o cara que, na minha opinião, escreve as letras mais legais do rock nacional, continuará na ativa, compondo e escrevendo, neste que será o segundo capítulo de sua vida. E também fico na torcida pelos outros, é claro, pois tenho certeza que Fred, Digão e Canisso têm talento de sobra, e encontrarão também o caminho para continuarem a alegrar os fãs, juntos ou cada um em sua carreira. E é por isso que o "Raimundos" nunca vai se acabar!

Rodrigo Ribeiro
Organizador do Fã Clube Oficial do Raimundos.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

RaimundosRaimundos
"Eu perdoei, mas eu não esqueci", diz Digão

1979 acessosMr. Catra: Projeto Rock de cantor pede ajuda246 acessosSPTV: A História do Rock no Brasil, dos 80 aos 20000 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Raimundos"

RaimundosRaimundos
Ivete Sangalo canta e toca bateria em DVD

RaimundosRaimundos
Canisso relembra fase pós-Raimundos

RaimundosRaimundos
Ficou aquele gostinho de que podia ser melhor

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Raimundos"

Rob HalfordRob Halford
"Não creio que um heterossexual possa fazer o que faço!"

Foo FightersFoo Fighters
Pelo Twitter, banda responde ao vídeo viral

AnittaAnitta
"Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

5000 acessosAngra e Detonator: "Sem nenhuma dúvida, esse cara comprou a mídia!"5000 acessosMetallica: Hammett e Ulrich escolhem álbuns e músicas da década passada5000 acessosMetallica: a evolução de James Hetfield ao longo dos anos5000 acessosKorn: "Se pudesse usar drogas de vez em quando, usaria!"5000 acessosRush: Perguntas e Respostas e curiosidades sobre a banda4562 acessosStone Temple Pilots: Scott não tinha condições de ser o vocalista

Sobre Rodrigo Ribeiro

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online