BH está na rota dos grandes shows internacionais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Durante anos relegada a segundo ou terceiro plano quanto à turnê de artistas internacionais no Brasil, que passavam somente por São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, Belo Horizonte está, pouco a pouco, novamente se acostumando a fazer parte do calendário de grandes nomes da música mundial. Rock, metal, jazz, pop, hardcore, eletrônica, instrumental, progressivo... todos os principais representantes de uma imensa gama de estilos agora se apresentam para o público diversificado - embora imprevisível - da capital mineira.

Rock Ao Vivo: fotos e resenha dos shows de Scorpions,WWhitesnake e Helloween em POAMemoráveis como a música: os 25 melhores logos de bandas

No início do ano uma união dos principais produtores da cidade veio para tentar fortalecer o cenário. Gegê Lara, da Electra Produções, Lúcio Oliveira, da Art BHZ, Aluízer Malab, da Malab e Márcia Ribeiro, da Nó de Rosas, quatro dos mais experientes nomes da área em Belo Horizonte, uniram seus trabalhos afim de facilitar e fortalecer as possibilidades de viabilizar grandes espetáculos. Até maio deste ano, a cidade já viu os shows de ARMIN VAN BUUREN, DREAM THEATER, HELLOWEEN & GAMMA RAY, INTERPOL, WHITESNAKE, QUEENSRYCHE, JOHN PIZZARELLI e RUFUS WAINWRIGHT. Há ainda rumores quanto a vinda de ALANIS MORRISSETE, LENNY KRAVITZ, FOO FIGHTERS e RAGE AGAINST THE MACHINE. Além disto, nomes como SCORPIONS, MEGADETH e JOE SATRIANI já estão confirmados. Sem contar que 2007 teve LCD SOUNDSYSTEM, TIESTO, JETHRO TULL, STEVE VAI e RITE OF STRINGS, dentre outros. Ainda muito pouco perto do fluxo de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, mas um avanço para quem se encontrava um pouco esquecida no circuito.

Uma das dificuldades é a imprevisibilidade do público mineiro. È uma incógnita quão bem sucedido shows de certos estilos podem ser. Mesmo assim, o rock, o metal, o jazz e o progressivo sempre tiveram público cativo na cidade. Maurício Almeida, assistindo a esta mudança de padrão, dá o seu relato: "É uma satisfação enorme, visto que os rockeiros que têm hoje seus 20 e poucos anos, estão podendo curtir grandes shows. Estou esperançoso que estes shows venham trazer além de outros nomes do cenário internacional, investimentos para a cidade que tem pouca estrutura para esses mesmos eventos."

A mudança é tão visível que criou um fenômeno inverso: a quantidade de bons shows próximos uns dos outros leva o público a ter que escolher a qual assistir, gerando espetáculos às vezes vazios. É o que comenta Ronan Oliveira: "fico muito feliz, como fã, pelo fato de que algumas bandas que eu achei que não conseguiria ver nunca vieram aqui depois de tanto tempo. O único ponto negativo é como essas bandas estão passando aqui no mesmo período, isso complica, porque muita gente não tem grana pra ir em todos os shows, assim, há uma possibilidade do show não ficar tão cheio quanto o esperado, como o QUEENSRYCHE."

Um último fator enxergado por Leonardo Bridges, que acompanha o cenário atentamente, é a "esperteza" dos produtores. Com o maior volume de shows, o valor de ingressos na capital mineira também passou a se adequar à realidade de outras cidades. Mudança feita de forma brusca, atingindo diretamente o público, ainda atordoado. Segundo ele: "os promotores tem um pouco de culpa também, o preço dos ingressos aumentou consideravelmente. No WHITESNAKE, por exemplo, estava 70 reais a meia. Quem pagou 140 naquele show bancou o ingresso de 3 pessoas. O povo não é burro. O dólar tá baixo, o cenário tá bom, mas não há como bancar este lucro extra que muitos produtores tentam tirar. O que, no fundo, acaba sendo um tiro no próprio pé, já que a escassez de público atrapalha a vinda de futuros eventos."

É uma nova realidade que gera várias frentes de uma discussão saudável e necessária para uma cidade que se acostumou a ficar de fora. Arestas que terão que ser acertadas para que este momento não seja apenas passageiro, e Belo Horizonte consolide-se como a terceira (ou quarta) força no cenário nacional. Novos problemas que precisam ser solucionados, chegando a um denominador comum favorável a todos. Que se ache o caminho.

Veja abaixo foto de divulgação do público no show do WHITESNAKE




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Whitesnake"


Rock Ao Vivo: fotos e resenha dos shows de Scorpions,WWhitesnake e Helloween em POARock In Rio 1985: História & Bastidores - Parte 1 (vídeo)

Rock in Rio: Whitesnake e Foo Fighters velhos e novos clássicos na Cidade do RockRock in Rio
Whitesnake e Foo Fighters velhos e novos clássicos na Cidade do Rock

Enciclopédia do Rock: Whitesnake por Adriano FalabellaWhitesnake: Galeria de fotos do show em Curitiba

Resenha - Rockfest (Allianz Parque, São Paulo, 21/09/2019)Resenha - Rockfest (Allianz Parque, São Paulo, 21/09/2019)

Rockfest SP: veja vídeos e repertórios de Scorpions, Whitesnake, Helloween e EuropeRockfest SP
Veja vídeos e repertórios de Scorpions, Whitesnake, Helloween e Europe

David Coverdale: no Rock in Rio 1985, voo com Freddie Mercury e jingle com Roupa NovaDavid Coverdale
No Rock in Rio 1985, voo com Freddie Mercury e jingle com Roupa Nova

Whitesnake: David Coverdale comemora aniversário com Scorpions em São PauloWhitesnake
David Coverdale comemora aniversário com Scorpions em São Paulo

Europe: Com tempestade, show não contou com seu maior clássico pela primeira vezEurope
Com tempestade, show não contou com seu maior clássico pela primeira vez

Scorpions, Whitesnake e Europe: veja o repertório das bandas no show em CuritibaScorpions, Whitesnake e Europe
Veja o repertório das bandas no show em Curitiba

Em Curitiba: granizo interrompe show do Europe e atrasa Whitesnake; veja vídeoEm Curitiba
Granizo interrompe show do Europe e atrasa Whitesnake; veja vídeo

Whitesnake: Coverdale trará a família para acompanhar os shows do BrasilWhitesnake
Coverdale trará a família para acompanhar os shows do Brasil

Whitesnake: vídeo da nova faixa "Trouble Is Your Middle Name"

Whitesnake: assista ao novo clipe da música Trouble Is Your Middle NameWhitesnake
Assista ao novo clipe da música "Trouble Is Your Middle Name"

Mudanças: 10 bandas que não soam mais como em seus primeiros discosMudanças
10 bandas que não soam mais como em seus primeiros discos

Classic Rock: revista elege 100 melhores músicas de rockClassic Rock
Revista elege 100 melhores músicas de rock

Doug Aldrich: David Coverdale é um mestre, o melhorDoug Aldrich
"David Coverdale é um mestre, o melhor"


Memoráveis como a música: os 25 melhores logos de bandasMemoráveis como a música
Os 25 melhores logos de bandas

Presença de Palco: dicas para iniciantesPresença de Palco
Dicas para iniciantes

Iron Maiden: Bruce Dickinson revela sua canção de merdaIron Maiden
Bruce Dickinson revela sua "canção de merda"

Nirvana: Dave Grohl explica porque não toca clássicos ao vivoNirvana
Dave Grohl explica porque não toca clássicos ao vivo

Simone Simons: Rammstein me faz querer mexer a bundaSimone Simons
"Rammstein me faz querer mexer a bunda"

Avenged Sevenfold: membros escolhem seus álbuns favoritos de 2015Avenged Sevenfold
Membros escolhem seus álbuns favoritos de 2015

Nirvana: Kurt Cobain leva surra em cima do palco em 1991Nirvana
Kurt Cobain leva surra em cima do palco em 1991


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336