The GazettE: show no Saitama Super Arena

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Emanuel Seagal, Fonte: JaMe Brasil
Enviar Correções  

Live report do the GazettE no Saitama Super Arena no dia 5 de setembro de 2009.

Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura

Max Cavalera: triste ver uma banda tão importante virar uma merda

2009 marcou o sétimo aniversário do the GazettE. Mesmo assim, a turnê que eles fizeram para marcar este evento, assim como o lançamento do último álbum DIM, foram mais do que simplesmente eventos de aniversário. Eles podem também ser vistos como amostras do que pode vir a ser o futuro da banda. O fato de planejarem o encerramento da turnê na Saitama Super Arena, um local muito maior do que aqueles onde a banda normalmente toca, é uma prova da sua ambição. Entretanto, foi também um teste importante e, com um público tão grande como júri, uma nota mediana não seria satisfatória. Vamos ver se the GazettE foram aprovados no teste com louvor.

Uma coisa era certa: às 5 da tarde, no horário anunciado para o início do show, a Saitama Super Arena e suas redondezas estavam repletas de fãs. Como sempre, o show se passava tanto no público como no palco, considerando-se que os espectadores não pouparam esforços para vestir-se à altura do evento. Raramente houveram tantos cosplayers vestidos como o Reita em um local fechado como este; apesar de sua capacidade de 20.000 pessoas, os ingressos estavam esgotados. Uma apresentação impressionante, especialmente ao final de uma turnê de vinte e duas datas no Japão, para a qual the GazettE mereceu uma nota 10.

Logo após o horário oficial marcado, o show começou. A escuridão cobria o local antes do palco ser iluminado, acompanhada da música DIM e do aplauso da plateia. O palco estava iluminado por uma luz vermelha bem forte e a chegada de cada membro foi marcada por um raio branco que cruzou a nossa visão. E, de repente, ainda com os nossos olhos ofuscados pela entrada da banda, a primeira música, The Invisible Wall, começou. Foi um ponto de partida perfeito para o show, dando à plateia a oportunidade de entrar no espírito do show e adaptá-lo ao palco de Saitama. Um palco muito simples, que somente tinha dois telões grandes, um em cada lado, para mostrar a banda tocando e seis telões menores. Os músicos também estavam vestidos de maneira mais sóbria; o vocalista Ruki apareceu com uma camisa branca e luvas pretas, enquanto o resto da banda estava, em sua maioria, vestida de preto.

Como resultado, o the GazettE parecia querer dar uma atmosfera bem especial ao início do show, para o qual o novo álbum DIM parece estar bem adequado. A plateia sentiu isto e deixou-se levar pelo espírito daquela primeira música, ouvindo calmamente em sua maioria enquanto alguns headbangers podiam ser vistos em pontos isolados. A música terminou com um homem cometendo suicídio nos telões explodindo a própria cabeça enquanto Ruki o imitava apontando o dedo para a própria têmpora. Se o the GazettE quisesse dar ideias suicidas para a sua plateia, eles poderiam ter conseguido se decidissem continuar com esta atmosfera. Felizmente, eles tinham outro projeto em mente.

Leia a matéria completa no link abaixo.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaMotörhead
Em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura

Max Cavalera: triste ver uma banda tão importante virar uma merdaMax Cavalera
Triste ver uma banda tão importante virar uma merda


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin