Arch Enemy: "Eu sou a chefe", diz Angela Gossow

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Matheus Sachet, Fonte: Brazilian Apocalypse
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 03/04/10. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O Brazilian Apocalypse publicou a tradução de uma entrevista com Angela Gossow, realizada pela Globalcomment; confira alguns trechos:

623 acessosArch Enemy: confira o vídeo oficial da música "The Race"5000 acessosKiss: a mais longa e reveladora entrevista de Eric Singer

O que você fazia antes de se juntar ao Arch Enemy?

"Eu era uma publicitária e gerente de marketing gráfico de uma grande empresa. Eu estive em bandas desde 1990, como um hobby. Eu fui para a universidade e estudei Economia. Eu tive um trabalho real.

Eu não sou uma sonhadora, então eu realmente nunca pensei que eu poderia fazer isto como profissão. Mas quando eu entrei pro Arch Enemy ele ficou muito popular, e o metal em si se tornou muito maior e mais aceito. Agora, temos bandas como Slipknot e Metallica que são enormes".

Metal parece ser muito maior na Europa, nos Estados Unidos é ainda mais uma coisa alternativa.

"Nos Estados Unidos você tem algumas bandas realmente grandes - Lamb of God, Slayer, Metallica, Megadeth e Slipknot, e é isso. Não há nenhuma seção sólida no meio. Eu acho que é definitivamente mais difícil nos Estados Unidos. Quando tocamos no Canadá tocamos facilmente na frente de 1500-2000 pessoas todas as noites.

Nos Estados Unidos é realmente um saco misto - que vai de 400-1200 ou 1600, para cima e para baixo o tempo todo. Nova York não é nenhum problema, mas quando você sai de lá, não é como na Europa, onde você pode encontrar todos os metalheads em todos os lugares".

Após fazer turnês na Europa e na América, você tem alguma teoria sobre o motivo disso?

"Talvez as sociedades sejam diferentes. América é muito maior e eu acho muito mais tradicional ainda quando se trata do papel das mulheres também. Não é tão equilibrado. É a mais uma festa da salsicha na América. Na Europa, há muito mais mulheres em shows de metal e eu acho que elas trazem uma vibração diferente. É mais agradável, parece mais com a sociedade real".

Qual a porcentagem da audiência que você diria das mulheres na Europa?

"Talvez 40%, contra 20% na América".

Você sente que houve qualquer progresso para as mulheres na cena no momento em que você pessoalmente tenha estado envolvida?

"Eu acho que é mais fácil para que as mulheres entrar em bandas, pois está provado que funciona. Na verdade, às vezes isso trabalha em favor de uma banda, é uma coisa boa para promoção. Mas em termos de ser visto como um objeto sexual em primeiro lugar, isso não mudou, ainda é o mesmo velho jogo. As pessoas comentam sobre sua aparência antes de ouvir o que você faz, é um pouco chato realmente para as mulheres".

Você sente que ainda há pressão sobre você para se vestir?

"Não há nenhuma pressão em mim mesma porque tenho meu próprio estilo, mas acho que especialmente para mulheres jovens, elas são muito orientadas pelas roupas, porque elas recebem um monte de aplausos por isso quando elas parecem gostosas. Eu acho que é um pouco como uma faca de dois gumes - se você é vista apenas como uma garota gostosa ninguém vai ouvir a sua bateria ou guitarra ou o seu canto. Algumas apenas usam isso como uma ferramenta para chamar a atenção.

Nós sempre evitamos isso, que algumas vezes não é possível porque isso simplesmente acontece. Certa vez eu estava no concurso das garotas mais gostosas do metal na Revolver e eu odiei isso. Eu não queria fazê-lo, mas a gravadora acabou fazendo de qualquer jeito, mandou uma foto e lá vai você - de repente você vê sua foto em alguma coisa estúpida que você não quer ser associadas. É realmente difícil combater isso, mas fizemos muito bem. Arch Enemy é visto como uma banda, não aquela garota gostosa Angela sendo apoiada por alguns caras".

Em termos de Arch Enemy você sente que o resto dos caras dão suporte sobre como vocês querem ser vistos?

"Bem, eu gerencio o Arch Enemy agora, desde 2008, então eu tomo todas as decisões de qualquer maneira. (Risos) Nós demitimos o nosso empresário antigo, e desde então são só as coisas que eu quero. (Risos)

Nós recebemos muito ódio de caras, porque eles estão com muito medo disso, alguns deles estão com medo e assustados. Eles odeiam que as mulheres assumam o controle, e eu sou a chefe do Arch Enemy, por assim dizer. Eu tenho quatro caras que estão por trás de mim totalmente como uma parede, há 100% de apoio. Falamos sobre tudo, e então eu executo. Funciona muito bem".

Foi por causa da sua experiência com negócios que você acabou ficando no comando?

"Sim, eu tenho um conhecimento muito profundo de negócios e de financiamento. Eu entendo a maneira como funciona o sistema de marketing, e eu sei as maneiras que você pode promover sua banda, sem ter que expor seus peitos. Existem muitas outras formas - escrever ótimos álbuns , e estar em turnê. Isso é o que fazemos de melhor.

Nós fazemos muitas turnês, e é por isso que sempre ficamos lá fora e nas mentes dos nossos fãs. Nós não temos que fazer as coisas de promoção baratas. Estou tão feliz que tenho uma boa educação, e eu sei o que estou fazendo, porque o negócio da música está cheio de armadilhas e a maioria das bandas sangra, elas não ganham nenhum dinheiro com isso".

Leia a matéria completa no link abaixo.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 03 de abril de 2013


Arch EnemyArch Enemy
Alissa não se prende à ideia de morte por ser ateia

623 acessosArch Enemy: confira o vídeo oficial da música "The Race"1325 acessosGuitarristas: em vídeo, o Top Ten do Metal Moderno178 acessosEm 02/10/1996: Arch Enemy lança seu álbum debut Black Earth778 acessosDoyle e Alissa: Na capa da Vegan Health & Fitness Magazine2731 acessosMulheres que cantam Metal: estúdio/ao vivo, expectativa e realidade0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Arch Enemy"

The AgonistThe Agonist
Alissa descreve demissão como "pior traição da vida"

Arch EnemyArch Enemy
"Sem chance para uma diva numa banda de metal"

Orgulho NacionalOrgulho Nacional
As capas mais bonitas por artistas brasileiros

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Arch Enemy"


KissKiss
A mais longa e reveladora entrevista de Eric Singer

Blind MelonBlind Melon
"Dream Theater? Desliga essa porra!"

LágrimasLágrimas
25 músicas para chorar

5000 acessosPlanno D: 10 coisas que irritam metaleiros (vídeo)5000 acessosDave Mustaine: "há bandas cujo nome me ofende"5000 acessosPantera: "odiei gravar Cowboys From Hell", diz Phil Anselmo5000 acessosSlayer: Tom Araya confessa impressões positivas sobre a música pop5000 acessosMuricy Ramalho: um jovem de cabelo comprido que gostava de rock5000 acessosMetallica: Lars mandou apagar baixo de Jason em AJFA, diz produtor

Sobre Matheus Sachet

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online