Sammy Hagar: contando histórias sem atacar ninguém

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  


O lendário roqueiro Sammy Hagar vai lançar sua autobiografia intitulada "Red: My Uncensored Life In Rock", em 15 de março de 2011 pela It Books, uma editora da HarperCollins Publishers.

"O livro está basicamente pronto, mas os editores querem que eu me aprofunde mais em algumas partes", disse Hagar ao Marin Independent Journal no mês passado. "Eles disseram: 'Houve problemas no VAN HALEN? Bem, que tipo de problemas?' A forma como escrevi esse livro foi só apenas eu contando histórias, desde a infância até agora. Há humor, há coisas tristes, coisas inspiradoras."

publicidade

De acordo com Sammy, seu livro não vai atacar ninguém. "É sexo, drogas, rock 'n' roll, tequila e sucesso e carros e dinheiro e fama e fortuna", ele disse. "Eu cheguei ao topo. É muito louco. Eu fiquei chocado quando li meu próprio livro. Me pôs os pés no chão. Eu disse: 'Uau, que cara.' Eu tive a vida mais completa do planeta. Eu posso imaginar as pessoas pensando que esse cara não poderia ter feito isso tudo em uma vida. Mas eu fui um garoto ocupado."

publicidade

Hagar, o Red Rocker multi-platinado, é mais conhecido como o bombástico frontman do VAN HALEN, um dos grupos de rock de maior vendagem na história, e o vocalista do grupo de hard rock CHICKENFOOT.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Chris Cornell: ele não dava sinais de que se mataria, diz esposaChris Cornell
Ele não dava sinais de que se mataria, diz esposa

Slipknot: veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuaisSlipknot
Veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuais


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin