Scott Weiland: promovendo autobiografia (áudio em inglês)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 03/06/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O frontman Scott Weiland do STONE TEMPLE PILOTS/ex-VELVET REVOLVER foi entrevistado na edição da última sexta-feira (27 de maio) do programa "The Kevin & Bean Show" na radio KROQ-FM (106.7) de Los Angeles. Ouça a conversa através do player abaixo. (Nota: a entrevista conversa em torno da marca de 29 minutos e 20 segundos).

803 acessosStone Temple Pilots: Por que eles devem entrar para o Rock Hall?5000 acessosCoincidências: Imagens usadas por grandes bandas em outras capas?

A autobiografia de Scott Weiland, "Not Dead & Not For Sale" ("Nem morto e nem à venda", em tradução livre), foi lançada em 17 de maio pela Scribner da Simon & Schuster. O cantor colaborou no projeto com David Ritz, o letrista de "Sexual Healing" que co-escreveu autobiografia de figuras como Marvin Gaye, Aretha Franklin, Ray Charles e mais recentemente Don Rickles.

Um trecho de "Not Dead & Not For Sale" pode ser visto na RollingStone.com.

No início dos anos 90, o STONE TEMPLE PILOTS — não o U2, NIRVANA, nem o PEARL JAM — era a banda mais quente do mundo. O STP superou mega-bandas como AEROSMITH e GUNS N' ROSES na MTV e nos rankings da Billboard. Weiland tornou-se um frontman icônico na tradição de Mick Jagger, David Bowie, e Robert Plant.

Então, quando o STP desmoronou, foi Weiland quem emergiu como emblema dos excessos das estrelas do rock com envolvimentos com drogas amplamente divulgados e passagens por reabilitações. Weiland desde então fez uma série de retornos incríveis, liderando o supergrupo VELVET REVOLVER, lançando trabalho solo, e, mais recentemente, se reunindo com o STONE TEMPLE PILOTS. Ele ainda luta contra a bebida mas prevaleceu como um pai amoroso e dedicado, bem como um artista de negócios cujo dom da criatividade está longe de se esgotar.

O livro explora os primeiros anos de Weiland como coroinha junto com sua primeira experiência com sexo e drogas. Weiland discute suas complexas relações com seus pais, padrasto, irmãos e como amor de sua vida Mary Forsberg Weiland. Os leitores aprenderão as histórias fascinantes por trás de suas músicas mais conhecidas e como foi estar lá no início do fenômeno grunge, como a Rolling Stone proclamou em sua capa "o ano em que o punk sucumbiu". "Not Dead & Not for Sale" é um memorial sólido – um livro apaixonado, perspicaz, com um toque de humor que se lê com extraordinária força narrativa.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

803 acessosStone Temple Pilots: Por que eles devem entrar para o Rock Hall?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Stone Temple Pilots"

Scott WeilandScott Weiland
Ligação descreve momento em que ele foi encontrado

BandasBandas
Audiófilos elegem as maiores da história do rock

Velvet RevolverVelvet Revolver
Scott Weiland fala sobre sua relação com as drogas

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Stone Temple Pilots"

CoincidênciasCoincidências
Imagens usadas por grandes bandas em outras capas?

Quiet RiotQuiet Riot
Quebrando disco de banda brasileira em 1985

Além do MaidenAlém do Maiden
A História da New Wave Of British Heavy Metal

5000 acessosRob Halford: "Heterossexuais não conseguem cantar no Judas"5000 acessosA morte das grandes bandas: vá a todo show grande que puder5000 acessosSpin: os 40 melhores nomes de bandas de todos os tempos3942 acessosJudas Priest: garotos tocam Hell Patrol em festival de Halloween5000 acessosMetal para Bebês: canções de ninar para filhos headbangers5000 acessosGuns N' Roses: Fã quer comprar acervo de Axl por US$ 1 bilhão

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online