Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden tocou no primeiro show de 2022

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemEvanescence anuncia a saída da guitarrista Jen Majura

imagemIron Maiden apresenta Eddie em versão samurai ao vivo; veja vídeo oficial

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos


Stamp

Filhos do Napster: jovens compram mais CDs que downloads

Por Nacho Belgrande
Fonte: Site do LoKaos Rock Show
Em 18/10/11

Por Paul Resnikoff, traduzido por Nacho Belgrande

Mas espere: os jovens não deveriam ser os consumidores de mídia mais progressistas, os mais confortáveis com a intangibilidade digital e a propriedade condicional? Parece que não: de acordo com um estudo publicado pelo NPD Group, os jovens na faixa etária de 2 a 14 anos nos EUA ainda compram mercadorias físicas desbragadamente.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Ou seja, SETENTA E NOVE POR CENTO DE SUAS AQUISIÇÕES PARA FINS DE ENTRETENIMENTO – levando em conta todos os tipos de mídia – são do tipo tangível. "Para cada dólar que os jovens «de 2 a 14 anos» gastam em entretenimento, US$0.79 vão para o formato físico, e US$0.21 vão para o conteúdo digital," relatam os autores do estudo compartilhado com o site Digital Music News.

Por mais estranho que isso pareça, a conta parece fechar. Em uma apresentação no começo desse ano, o analista do NPD Group, Russ Crupnick relatou que 55 por cento dos compradores de música – de todas as idades – ainda compram SOMENTE CDs, apesar do número de compradores estar diminuindo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lembre-se de que bens físicos são mais caros, e, portanto sua cota de valor é naturalmente mais forte. E, muito disso está sendo pago pelos pais «e esses pais também preencheram formulários de pesquisa». Tendo dito isso, a força do peso do físico parece incongruente com o que essa geração deveria estar fazendo, afinal esses são os bebês do pós-Napster, com muito pouco apego a coisas como lojas de discos, vinil ou propriedade de discos.

E o NPD descobriu que a maioria das compras está acontecendo pro lado da música. Em termos de coleções – passando por formatos físicos e digitais – a música é responsável por 72 POR CENTO DE TODAS AS MÍDIAS, seguida por filmes, jogos, programas de TV, livros e aplicativos.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Talvez as coisas ainda estejam mudando tão lentamente, que o formato físico ainda seja um bloco de gelo que continua a derreter. Apenas dois anos atrás, US$0.85 de cada dólar iam para o físico. "Enquanto a maioria do conteúdo de entretenimento dos jovens ainda é adquirido através de formatos físicos, o conteúdo adquirido digitalmente cresceu substancialmente ao longo dos últimos dois anos a um ritmo de 14 pontos percentuais para a música," disse o grupo de pesquisa.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande.