Viver de Música: bandas se foderão cada vez mais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: site do LoKaos Rock Show
Enviar correções  |  Comentários  | 

Essas são as vozes que parecem estar se levantando. Em um debate na conferência SF MusiTech em fevereiro de 2012, o fundador da Cracker and Camper van Beethoven, David Lowery argumentou que o investimento próximo de zero e a ganância de empresas como a Apple estão tornando a vida os artistas mais difícil do que nunca. O bem-articulado argumento reforçou a tese de que ‘o novo chefe é pior que o antigo chefe’, e foi postado na integra no Facebook. Eis as palavras de Lowery:

5000 acessosKurt Cobain e Layne Staley: a coincidência de suas mortes5000 acessosMetal: nomes do gênero que assumiram ser cristãos

“As gravadoras e os artistas não precisam reinventar seu modelo de negócio para adequarem-se à nova realidade. ELES JÁ O FIZERAM. É isso que temos feito nos últimos dez anos. E NÓS SABEMOS QUE ELE NA VERDADE É PIOR PRO ARTISTA”.

“Nós sabemos disso empiricamente. Os fatos e as evidências estão aí. Vamos começar com a melhor hipótese. Vamos olhar apenas para a divisão de faturamento bruto e gastos. A situação onde o artista lança o disco por si próprio em sua própria gravadora. Okay, a grande maioria das vendas rola pelo iTunes e pela Amazon. Quanto o artista recebe? Bem, se você for independente, você recebe 61% do bruto, porque você precisa de um distribuidor ou de um atravessador para chegar ao iTunes. O iTunes em si fica com mais de 30% por apenas armazenar as músicas em seu servidor. ELES NÃO FAZEM MAIS ABSOLUTAMENTE NADA”.

“É por isso que Steve Jobs era um gênio. Ele não tinha medo de ser ganancioso. Então agora um contrato com uma gravadora nos moldes antigos pode ter arrancado 20-35% do faturamento bruto (a maioria dos relatórios que os artistas recebem são errados e baixos porque eles não incluem os royalties mecânicos)”.

“Os antigos contratos não eram muito bons se analisados de cara, mas se você começar a cavar, eles não eram tão ruins como as pessoas pensam. E eu vou mostrar a vocês como na maioria dos casos ELES ERAM UM NEGÓCIO MELHOR PROS ARTISTAS QUE O NOVO MODELO. 61% do bruto é muito melhor do que 20-35% até que você considere o fato que sob o novo modelo o artista é responsável por todos os aspectos da produção, promoção e distribuição do disco”.

“O artista paga pela gravação, o artista paga por toda a publicidade, promoção e divulgação. E eis o elemento-chave. O artista absorve os custos de turnê. Você sabe que apenas um punhado de artistas vive apenas de turnês, certo? A maioria precisa de outro emprego ou necessita de apoio da gravadora pra excursionar”.

”Sair em turnê só rende o suficiente para pagar a equipe e cobrir os gastos. Sair em turnê só faz sentido se aumentar suas vendas. Os artistas muitas vezes saem em turnê de graça na esperança que a turnê se pague à medida que as vendas subam.”

“Na verdade, as gravadoras nos moldes antigos costumavam pagar aos artistas para saírem em turnê [na verdade ainda pagam]. Uma vez que você contabilize o apoio a turnês que era pago aos artistas, o novo modelo é ainda mais desgraçado pros artistas. A menos, claro, que você não excursione”.

“Além disso, o novo modelo faz com que os artistas assumam TODO O RISCO. O risco de fazer um disco que não se paga. O risco de sair em turnês que não aumentem as vendas o suficiente e se tornem um prejuízo”.

“Agora considere o iTunes e Amazon, que são as maiores empresas musicais do momento. Elas não dão NENHUM CAPITAL e NÃO TEM NENHUM RISCO e elas ficam com 30% do faturamento bruto em troca. Pelo menos o antigo sistema dividia um pouco do risco! Poxa, as antigas gravadoras não eram tão malignas se comparadas às novas!” ·

“Então, essencialmente, O NOVO CHEFE no novo modelo são o iTunes e a Amazon [e o Google, indiretamente]. E O NOVO CHEFE é na verdade mais ganancioso do que o antigo”.

“Agora, claro que o artista independente ainda pode vender tantos discos que a porcentagem mais alta de faturamento de 61% ultrapasse os custos iniciais. Mas eu aposto que esse não é o caso da maioria de seus artistas favoritos. Os custos inflacionados e as responsabilidades tornam O NOVO MODELO um negócio pior. Os artistas que passam melhor nesse novo sistema são poucos. É por isso que tantos artistas que aparentemente poderiam se tornar independentes não o fazem. Eles ainda usam as gravadoras. Olhe com atenção para o último disco de seu artista favorito. Ainda é de uma gravadora tradicional? Muitas das bandas bem-empresariadas e espertas ainda estão em gravadoras. Por que? Porque o NOVO MODELO é pior”.

“Mas você nem precisava de todo esse argumento complexo para ver isso, certo? Você já viu o problema, não é?”

“No novo modelo, você tem essas empresas parasitas [iTunes, etc.] que tomam 30% do faturamento e não fornecem valor agregado. Por mais desgraçado que o modelo antigo fosse, não havia essa entidade parasitária gigante sugando 30% da renda bruta de nada. Isso deveria sugerir para qualquer pessoa inteligente que há algo de muito errado com o NOVO MODELO”.

“Agora eu estou tão surpreso quanto vocês por termos desenvolvido um sistema ainda pior que o antigo. Mas os fatos são os fatos. Nós o fizemos. E não estou feliz com isso, tampouco”.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 15 de fevereiro de 2012

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias

Kurt Cobain e Layne StaleyKurt Cobain e Layne Staley
A coincidência de suas mortes

MetalMetal
Nomes do gênero que assumiram ser cristãos

InfluênciasInfluências
Folk Metal e Música Celta

5000 acessosAstros mortos: como estariam alguns se ainda estivessem vivos?5000 acessosDeath Metal: as 10 melhores (ou piores?) capas do estilo5000 acessosUncut Magazine: fãs elegem as 10 melhores músicas do Pink Floyd5000 acessosLita Ford: "Sharon Osbourne nunca perdoa nem tampouco esquece"5000 acessosTatuagens: Você vai se arrepender delas quando ficar velho?4134 acessosDr. Sin: a crise do rock nacional

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online