Symphony X: "Metal é levado a sério na Europa e Ásia"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Kako Sales, Fonte: Blabbermouth.Net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 08/03/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Darryl Smyers, do Dallas Observer, recentemente conduziu uma entrevista com o vocalista Russell Allen, dos metres do Metal Progressivo Norte-Americano, Symphony X. Alguns trechos da conversa seguem abaixo.

3353 acessosDragonforce: Herman Li elege seus cinco riffs favoritos5000 acessosHeaven & Hell: mistérios e autocensura na capa de álbum

Dallas Observer: Sua banda sempre tem tido mais sucesso na Europa e Ásia, assim como várias outras bandas de Metal. Por que isso acontece?

Russell Allen: Metal é levado a sério naqueles locais há gerações. Aqui (N. do T.: Estados Unidos), nos tornamos vítimas de tendências e queremos subdividir e categorizar tudo. A banda que o seu pai curtia não possui mais relevância cultural. Aqui é assim, o sabor do momento. Queremos o que está em alta agora e não nos importamos se era bom há cinco semanas. A mentalidade é essa. O resto do mundo é totalmente diferente. Eles se prendem a algo. E eles gostam disso. Eles ensinam isso aos seus amigos mais jovens e à família. Metal é como um negócio de família. Pode ser assim também na América, mas a cena está saturada.

DO: A banda aborda algumas grandes obras literárias. Há alguma razão de vocês terem escolhido compor baseados em obras épicas?

RA: Isso obviamente cria um ambiente sonoro quando você tem uma ótima literatura como referência. Aquelas mensagens são atemporais. Alguns podem argumentar que isso é clichê, mas eu acredito firmemente que elas são atemporais e verdadeiras. Existe amor, existe perda e existe traição. Existem todas as emoções humanas primárias. Aliadas a essas histórias estão as consequências desses personagens que sucubem a essas emoções. É bastante coisa para as pessoas digerirem. Eu não li essas coisas quando era mais novo, mas tenho conhecimento sobre elas. Sou um grande fã de temas porque temas permanecem. Por exemplo, há muito de “Paraíso Perdido” em “Guerra nas Estrelas”. Todos esses melodramas rolando por aí já foram contados pela grande literatura. Há um link entre Odisseu e Luke Skywalker. São contos clássicos que nos inspiram e nós contamos essas histórias do nosso jeito.

DO: Com “Iconoclast”, vocês se afastaram da literatura e falaram sobre um mundo futurístico onde máquinas controlam tudo. O álbum é algum tipo de trilha sonora para os filmes do “Exterminador do Futuro”?

RA: Pode se dizer que sim. Quando você fala sobre máquinas, você pode pensar do forma unidimensional, mas a tecnologia realmente está além das máquinas. Está na alteração genética dos alimentos. Vai nos construir ou nos destruir. O álbum é sobre a incerteza do nosso futuro e se a tecnologia irá ou não ser nossa salvação ou nossa desgraça. Deixamos o gênio sair da lâmpada. Todo mundo está no Facebook e todo mundo está no Twitter. A mídia social está escravizando a população. Já está acontecendo. É algo real que pode causar um dano imenso na vida de alguém.

Leia a entrevista na íntegra no Dallas Observer.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

DragonforceDragonforce
Herman Li elege seus cinco riffs favoritos

1120 acessosAllen/Lande: Magnus Karlsson está de volta ao projeto0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Symphony X"

Metal SinfônicoMetal Sinfônico
Dez álbuns essenciais do gênero

Prog MetalProg Metal
Os 10 discos essenciais segundo o TeamRock

Álbuns ConceituaisÁlbuns Conceituais
Blog elege o top 10 do Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Symphony X"

Heaven & HellHeaven & Hell
Mistérios e autocensura na capa de álbum

Quentin TarantinoQuentin Tarantino
O Top 5 do rock n' roll na carreira do diretor

Deep PurpleDeep Purple
A contestada entrevista na Globo em 2006

5000 acessosGibson: as dez melhores composições épicas do rock5000 acessosBlack Sabbath: Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"5000 acessosR.E.M.: banda é dona da faixa que mais faz o homem chorar5000 acessosAndy Warhol: da Colagem à Formatação do Kaos3669 acessosBaixistas: vídeo mostra os 10 maiores da história do Rock e Metal5000 acessosKiss: O segredo da maquiagem da banda

Sobre Kako Sales

Mineiro de Januária, baterista autodidata, cresceu em ambiente familiar ligado à música popular e erudita. Seu pai chegou a fazer pequenas turnês com bandas da Jovem Guarda como tecladista no fim da década de 70. Aos 10 anos, iniciou os estudos de teoria musical e piano clássico. Teve o primeiro contato com o mundo do metal ao escutar o CD Angels Cry do Angra, aos 15 anos. Desde então tem se dedicado a conhecer, colecionar e difundir o melhor do metal brasileiro e mundial. Graduado em Letras/Inglês, principalmente por influência da língua-mãe do rock, tem como principais ícones do metal as bandas Angra, Symphony X, Dream Theater e Opeth.

Mais informações sobre Kako Sales

Mais matérias de Kako Sales no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online