Dream Theater: "ser mente fechada prejudica outros estilos musicais", diz Mangini

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 18/07/16. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O Drumtalk, um podcast em vídeo apresentado pelo baterista e cinegrafista alemão Philipp Koch, conduziu uma entrevista com o baterista do DREAM THEATER, Mike Mangini, no ano passado, em Bonn, Alemanha. O video da conversa pode ser conferido logo abaixo.

951 acessosRio Rock City: Mike Portnoy e a carreira depois do Dream Theater5000 acessosQuiet Riot: quebrando disco de banda brasileira em 1985

Falando sobre o quanto é importante para os músicos manterem a mente aberta e apreciarem, ou pelo menos reconhecerem outros estilos musicais, Mangini disse: "Acho que a pior coisa que você pode fazer como um músico é incorrer à mentira do preconceito por pura ignorância e não reconhecer o que é preciso para tocar outros estilos ou o quanto é trabalhoso para começar a notar a música. Ou seja, como você pode dizer que algo é musical ou não, se você não pode processá-la em primeiro lugar, quando você nem sequer conhece, você não têm o direito de julgá-lo. Você não pode fazer música desse jeito, porque você não conhece.

"Sabe aquele cara que toca com baquetas tipo brushes [escovas]... brushes podem ter tudo a ver com sua música em um ambiente adequado", continuou ele. "Tocar com bumbos e pratos o mais alto e rápido que você puder pode ser a coisa mais musical do mundo em um ambiente adequado.

"Existe preconceito em relação a isso... Digamos que um músico de jazz... A pior coisa que um músico de jazz pode fazer é dizer que 'speed/death metal não tem nenhum sentimento, cara - não tem groove', Bem, essa pessoa provavelmente nunca ficou na frente de um sistema de PA com alguém que trabalhou pra caramba para conseguir fazer seus pés darem conta de executar 15 batidas por segundo ou algo assim e os bumbos voam através de um sistema de PA. Não me diga que isso não tem sentimento, porque isso praticamente meche comigo, por causa desse feeling. E então quando você tem uma grande perspectiva do que há a ser feito, você é respeitado por outras pessoas, assim como você tem respeito pelo trabalho que eles fizeram. Você pode não gostar da música, você pode não acompanhá-la, mas pelo menos você tem que ter respeito pelo estilo musical, e isso muda você, muda a forma como você vê sua própria música".

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 19 de julho de 2016

Mike PortnoyMike Portnoy
O que ele acha sobre "estar em muitas bandas"?

951 acessosRio Rock City: Mike Portnoy e a carreira depois do Dream Theater967 acessosDream Theater: Images and Words conquistando gerações após 25 anos0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dream Theater"

Dream TheaterDream Theater
John Myung, o habilidoso baixista caladão

Dream TheaterDream Theater
John Myung não tinha planos de ser baixista

Contra-baixoContra-baixo
As melhores introduções do Heavy Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Dream Theater"

Quiet RiotQuiet Riot
Quebrando disco de banda brasileira em 1985

Bonnie RottenBonnie Rotten
Estrela pornô fala do amor ao Metal

Van HalenVan Halen
O constrangedor encontro de Eddie com o Nirvana

5000 acessosRush: Um Adeus Aos Reis5000 acessosRoger Moreira: chamando Pitty de "imbecil" via rede social5000 acessosMetallica: James Hetfield imitando Dave Mustaine na TV5000 acessosMetal: como o mito do True levou tantas bandas a serem fake4489 acessosMarty Friedman: "Sim, você pode dizer que sou um hipócrita."5000 acessosPantera: o fã que teve que raspar a cabeça no mesmo lugar da tatuagem de Anselmo

Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online