Exodus: Gary Holt diz qual a contribuição mais importante da banda para o Thrash

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carol Manzatti, Fonte: UltimateGuitar.com, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Em entrevista a Full Metal Jackie, Gary Holt foi questionado sobre qual era sua opinião a respeito da contribuição mais importante da banda EXODUS no gênero Thrash Metal.

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1990Freddie Mercury: a descoberta do vírus em 1987

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ele disse: "A coisa mais importante que contribuímos no Thrash? Isso é simples, fazer o Thrash Metal (risos). Quer dizer, somos indiscutivelmente a primeira banda de thrash. E a única outra que você pode realmente argumentar sobre isso (sobre os primórdios do gênero e a representatividade) é o Metallica."

"Acho que, no momento em que ambos começamos a fazer o nosso trabalho, nenhum de nós sabia que o outro existia. Então, sim, definitivamente nossa contribuição foi essa, porque ajudamos a criar o Thrash".

Holt continuou: "Mas o 'Big Four','Big Five','Big Ten', sei la... Nós fomos um dos primeiros, então eu acho que teriamos todo o direito de estar lá. Eu sempre disse, quando todos falam sobre esse 'Big' sei la oque, eles sempre se esquecem dos alemães. Kreator (formado em 1982), Destruction (formado em 1982) e Sodom (formado em 1981) também fizeram parte do início, eles estavam lá antes de muitas bandas de thrash americanas que as pessoas gostam de ficar lançando hipótese se merece ou não entrar nisso. Então eu acho que não deveriam limitar o 'thrash' aos Estados Unidos, acho que os alemães também devem ter uma voz nisso".

Durante o resto da entrevista, Holt confirmou que o Exodus estará em estúdio no final deste ano para trabalhar no seu 11º álbum, o sucessor do Blood In, Blood Out de 2014:

"Sim, é isso que faremos. Antes da turnê com o Slayer, eu tive seis meses de folga, então eu realmente usei esse tempo sabiamente, apenas escrevendo e fazendo uns improvisos com o Tom (baterista) e juntando coisas. Nós conseguimos terminar de compor algumas músicas inteiras e temos vários riffs. Estamos realmente entusiasmados com a forma como as coisas estão acontecendo, então estamos ansiosos para chegar a esse ponto, ir para o estúdio de uma vez".

Relembre a faixa Salt The Wound, que faz parte do último disco do Exodus (2014) com a participação de Kirk Hammet, o primeiro guitarrista da banda




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Exodus"Todas as matérias sobre "Gary Holt"


Exodus: Dokken e Ratt OK, mas Enuff Z'Nuff é uma merdaExodus
"Dokken e Ratt OK, mas Enuff Z'Nuff é uma merda"

Exodus: A opinião de Gary Holt sobre as bandas EmoExodus
A opinião de Gary Holt sobre as bandas Emo


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1990Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1990

Freddie Mercury: a descoberta do vírus em 1987Freddie Mercury
A descoberta do vírus em 1987


Sobre Carol Manzatti

Ex-baterista, cozinheira, apaixonada por rock'n'roll. Viveria da música se possível, mas ainda não foi aceita no Iron Maiden, então seguirá só escrevendo sobre bandas. Fã do Darth Vader.

Mais matérias de Carol Manzatti no Whiplash.Net.

adGoo336