Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemDave Mustaine cutuca Kiss e bandas "preguiçosas" que usam playbacks

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemAC/DC: Angus Young conta como é para ele o antes, o durante e o depois de um show

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemCinco bandas de rock que gravaram músicas de Michael Jackson, o Rei do Pop

imagemA categórica opinião de Dave Mustaine sobre religião "abusiva e falsa" de sua mãe

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim


Stamp

Audioslave: como foi trocar Zack de la Rocha por Chris Cornell, segundo Tom Morello

Por Igor Miranda
Em 18/08/20

A transição do Rage Against the Machine para o Audioslave pode ser considerada brusca para alguns. O guitarrista Tom Morello, o baixista Tim Commerford e o baterista Brad Wilk deixaram de tocar com o vocalista Zack de la Rocha para se juntar ao então frontman do Soundgarden, o saudoso Chris Cornell, nos deixou em maio de 2017, aos 52 anos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A parceria retratada no Audioslave durou entre 2001 e 2007, deixando três álbuns de sucesso, além de vários shows. Em entrevista ao canal da Rolling Stone no YouTube, com transcrição do Ultimate Guitar, Tom Morello relembrou como foi a mudança entre trabalhar com Zack de la Rocha e com Chris Cornell logo em seguida.

"Chris nos salvou. Na verdade, a gente salvou um ao outro. Nós estávamos meio à deriva, com muitas frustrações. Tentávamos lidar com isso e compor música. Fizemos o primeiro álbum (autointitulado, de 2002) tão rapidamente", afirmou Morello, inicialmente.

O guitarrista destacou o quanto Chris Cornell era único. "Nunca conhecemos um vocalista com aquele tipo de habilidade inata de conjurar uma melodia bela e assustadora, ao mesmo tempo, de forma tão natural. Nunca vi isso. Rick Rubin, que produziu nosso primeiro álbum, dizia: 'vocês não sabem o tamanho da sorte que têm'", contou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em seguida, Tom Morello fez uma comparação breve entre os dois vocalistas com os quais trabalhou. "Fomos de um dos melhores frontmen e letristas de todos os tempos, Zack de la Rocha, para um dos maiores cantores do rock como um todo", declarou.

O talento de Cornell se estendia, claro, ao processo de criação. "Seja uma progressão simples de três acordes ou um riff complicado na guitarra, Chris criaria, sem esforço, uma grande música a partir daquilo. Trabalhávamos em torno desse tipo de genialidade", afirmou.

Por fim, o aspecto pessoal também é mencionado por Morello. "Ele também era um grande cara. Sua genialidade consistia em explorar os cantos mais sombrios de sua psique - e eles estavam lá, com abundância, alimentando suas melhores músicas e fazendo com que ele se tornasse alguém, de certa forma, impossível de se conhecer por completo. Todos os dias sinto falta daquele cara. Ainda é horrível. A partida dele é uma ferida incurável", concluiu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A entrevista pode ser conferida na íntegra, em inglês e sem legendas, no player de vídeo a seguir.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Garimpeiro das Galáxias: Beldades globais e sua paixão pelo rock


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.