Audioslave: como foi trocar Zack de la Rocha por Chris Cornell, segundo Tom Morello

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda
Enviar Correções  

A transição do Rage Against the Machine para o Audioslave pode ser considerada brusca para alguns. O guitarrista Tom Morello, o baixista Tim Commerford e o baterista Brad Wilk deixaram de tocar com o vocalista Zack de la Rocha para se juntar ao então frontman do Soundgarden, o saudoso Chris Cornell, nos deixou em maio de 2017, aos 52 anos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A parceria retratada no Audioslave durou entre 2001 e 2007, deixando três álbuns de sucesso, além de vários shows. Em entrevista ao canal da Rolling Stone no YouTube, com transcrição do Ultimate Guitar, Tom Morello relembrou como foi a mudança entre trabalhar com Zack de la Rocha e com Chris Cornell logo em seguida.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Chris nos salvou. Na verdade, a gente salvou um ao outro. Nós estávamos meio à deriva, com muitas frustrações. Tentávamos lidar com isso e compor música. Fizemos o primeiro álbum (autointitulado, de 2002) tão rapidamente", afirmou Morello, inicialmente.

O guitarrista destacou o quanto Chris Cornell era único. "Nunca conhecemos um vocalista com aquele tipo de habilidade inata de conjurar uma melodia bela e assustadora, ao mesmo tempo, de forma tão natural. Nunca vi isso. Rick Rubin, que produziu nosso primeiro álbum, dizia: 'vocês não sabem o tamanho da sorte que têm'", contou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em seguida, Tom Morello fez uma comparação breve entre os dois vocalistas com os quais trabalhou. "Fomos de um dos melhores frontmen e letristas de todos os tempos, Zack de la Rocha, para um dos maiores cantores do rock como um todo", declarou.

O talento de Cornell se estendia, claro, ao processo de criação. "Seja uma progressão simples de três acordes ou um riff complicado na guitarra, Chris criaria, sem esforço, uma grande música a partir daquilo. Trabalhávamos em torno desse tipo de genialidade", afirmou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por fim, o aspecto pessoal também é mencionado por Morello. "Ele também era um grande cara. Sua genialidade consistia em explorar os cantos mais sombrios de sua psique - e eles estavam lá, com abundância, alimentando suas melhores músicas e fazendo com que ele se tornasse alguém, de certa forma, impossível de se conhecer por completo. Todos os dias sinto falta daquele cara. Ainda é horrível. A partida dele é uma ferida incurável", concluiu.

A entrevista pode ser conferida na íntegra, em inglês e sem legendas, no player de vídeo a seguir.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Max Cavalera: Não dou a mínima para o que pensa o pessoal do Korn ou qualquer outro!Max Cavalera
"Não dou a mínima para o que pensa o pessoal do Korn ou qualquer outro!"

Guns N' Roses: Qual o patrimônio dos músicos da banda?Guns N' Roses
Qual o patrimônio dos músicos da banda?


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

WhiFin Goo336 Goo336 Cli336 GooAdHor Goo336