Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemBaixista do Faith No More diz que integrantes odiavam músicas do "The Real Thing"

imagemMetallica: a explicação da banda para o volume do baixo no And Justice For All

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemOzzy acha que suas novas músicas deveriam ter sido gravadas pelo Black Sabbath

imagemA história da capa de "Christ Illusion", que fez o Slayer ter problemas

imagemO álbum de David Bowie que Mick Jagger disse que achou "horrível"

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione

imagemLars Ulrich: "Não sou um baterista particularmente talentoso"

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemRevista Veja diz que Rock in Rio virou "túmulo do rock" e explica motivo

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

imagemJohn Frusciante responde qual foi o motivo de seu retorno ao Red Hot Chili Peppers


In-Edit

Johnny Ramone morreu querendo consertar o "End Of The Century"

Por André Garcia
Em 25/02/22

Johnny Ramone tinha tanto arrependimento por um dos álbuns dos Ramones que literalmente morreu querendo o "consertar". Isso foi o que revelou o site faroutmagazine.co.uk ao publicar que ele tinha planos de retrabalhar o descomungado "End Of The Century" (1980).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ed Stasium, colaborador de longa data da banda, tanto como produtor quanto como engenheiro de som, em 2016 falou à Rolling Stone sobre o assunto. Ele declarou que o guitarrista, falecido em 2004, se referiu como "seu último desejo" a seus planos de finalmente "retirar as coisas de Phil" do disco.

Mas será que "End Of The Century" é mesmo tão ruim assim? Bom, para responder isso, é preciso conhecer o tal "Phil" a quem Johnny se referia.

O furacão Phil Spector

Phil Spector, desde a década de 60, era uma lenda da produção musical com seus inconfundíveis arranjos orquestrados grandiosos. Arranjos esses que, com o pomposo nome de "Wall of Sound", acabavam deixando em segundo plano a própria música em si.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Essa sua característica tão marcante o colocou em enrascadas, a maior delas foi despertar a ira de Paul McCartney, que teve suas melodias soterradas por orquestras em "Let it Be" (1970). Por conta desse histórico, soou como uma falha na Matrix o anúncio de que ele, dez anos depois disso, trabalharia com os Ramones. Mas trabalhou; e assim foi lançado "End Of The Century".

O álbum, eternizado como o menos punk já gravado por eles, representou uma guinada para o pop. Visando soar mais palatável na esperança (não realizada) de aumentar as vendas, suas já estabelecidas características deram lugar a um som mais refinado e polido, que colocou o vocalista Joey em primeiro plano — e praticamente excluiu os demais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em sessões bizarras de tão excêntricas, Dee Dee Ramone contou em sua autobiografia que o Spector trabalhava não apenas armado, como fazendo questão de manter seu revólver sempre à mostra. Quando a tensão entre ele e a banda chegou ao ápice, "ele apontou uma arma para meu coração e recomendou que eu e o resto da banda voltássemos para a sala do piano."

O baixista recordou ainda que, eventualmente, o produtor "se sentaria atrás de seu piano de cauda preto e nos faria ouvir ele cantar e tocar 'Baby, I Love You' até 4:30 da manhã."

Em entrevista dada em 1982, o conservador e purista Johnny Ramone, que desejava sempre que cada novo disco dos Ramones soasse como o primeiro, falou sobre aquela famigerada gravação:

"Trabalhar com Phil era muito complicado. Talvez seja porque ele é perfeccionista, então gosta de passar um tempão refazendo as coisas e ouvindo de novo e de novo… Isso consome muito tempo, é complicado para a gente. Rock n roll tem que ser espontâneo — e um pouco mais rápido."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Zé do Caixão: o que ele pensava sobre o Iron Maiden e bandas pesadas preferidas