[an error occurred while processing this directive]

Matérias Mais Lidas


Stamp

"Farsa" da Mobile Fidelity abre crise no conceito de "áudio puramente analógico"

Por Bruce William
Postado em 08 de agosto de 2022

Saiu no Washington Post: Mike Esposito é proprietário de uma loja de discos de vinil em Phoenix que posta vídeos no youtube. E um destes vídeos caiu como uma bomba no universo dos audiófilos pois nele Mike afirma saber por "fontes seguras" que os trabalhos produzidos pela MoFi (Mobile Fidelity), empresa que se gaba de lançar no mercado discos com a maior qualidade possível, que vêm inclusive grafados com a expressão "Original Master Recording", na verdade usa arquivos digitais no processo de masterização, o que horroriza por completo os puristas que apregoam a qualidade superior do áudio "totalmente analógico".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal
Patrick Perkins @ www.unsplash.com
Patrick Perkins @ www.unsplash.com

A princípio alguns especialistas tentaram defender a MoFi fazendo posts em grupos de discussão especializados onde acusavam Mike de espalhar boatos infundados para ganhar visualizações no youtube, até que o vice-presidente de desenvolvimento da companhia decidiu ligar para Mike e convidá-lo a pegar um avião e ir para a Califórnia conhecer pessoalmente o processo de fabricação da MoFi.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Na verdade, a acusação de Mike não era que a empresa não entregava bons produtos - ele inclusive apontava no vídeo que alguns dos discos lançados pela MoFi são seus favoritos de sempre - mas ficou decepcionado ao saber que vinha sendo enganado todo este tempo.

E o resultado da viagem não poderia ter sido pior: Mike ouviu da boca de engenheiros de som da empresa que aquilo era verdade, havia sim um processo digital na produção dos discos da MoFi, conforme ele relatou em outro vídeo. "É o maior desastre que já aconteceu no meio do vinil", "Eles mentiram o tempo todo para a gente" e "Eu nunca teria encomendado um único produto Mobile Fidelity se soubesse que era proveniente de uma matriz digital" estão entre os comentários feitos nos fóruns especialistas desde então.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - DEN
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ao contrário do que muitos pensam, grande parte das gravadoras usam arquivos digitais para fazer álbuns o tempo todo, é a norma da indústria há mais de uma década. Mas algumas fábricas especializadas – a Analogue Productions, com sede no Kansas, a Electric Recording Co. de Londres e a MoFi entre elas – há muito defendem o "calor" do analógico. "Não que você não possa fazer bons discos com o digital, mas não fica tão natural como quando você usa a fita master original", diz Bernie Grundman, engenheiro de masterização que trabalhou nas gravações originais de "Aja" do Steely Dan, "Thriller" de Michael Jackson e "The Chronic" do Dr. Dre, dentre inúmeros outros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A MoFi foi fundada em 1977 para produzir material direcionado para audiófilos. A empresa cresceu durante a década de 1980, mas em 1999, com as vendas de vinil despencando, acabou declarando falência. Jim Davis, proprietário da Music Direct, com sede em Chicago, empresa especializada em equipamentos de áudio, comprou a gravadora e reviveu a MoFi. Em vários de seus lançamentos, a empresa inclui um folheto descrevendo em detalhes como cria seus discos, mas sutilmente omitindo qualquer menção a uma etapa digital. Durante o recente ressurgimento do vinil (as vendas de vinil em 2021 atingiram sua marca mais alta em 30 anos), os lançamentos especiais da MoFi se esgotam rapidamente e só são encontrados depois em lojas de usados a preços muito mais elevados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E no início deste ano, a MoFi anunciou uma reedição do "Thriller" lançado por Michael Jackson em 1982 usando um processo chamado "One Step". No comunicado de imprensa informaram que a tiragem seria de 40 mil cópias. Mas um especialista alemão, Michael Ludwigs, questionou como isto poderia ser possível, pois o processo de fabricação "One Step" faria com que a fita original tivesse que ser executada dezenas de vezes para resultar numa quantidade tão grande de cópias, e dificilmente a gravadora que detém a master permitiria que isto acontecesse. "Esse é o tipo de coisa que deteriora a fita", diz Grundman. "Foi aí que eu acho que todo mundo começou a se perguntar se havia algo errado", disse Ryan K. Smith, engenheiro de masterização da Sterling Sound.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - DEN
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A revelação feita pela MoFi faz boa parte da comunidade audiófila entrar em uma espécie de crise existencial. A qualidade da música digitalizada tem sido criticada há muito tempo por causa da quantidade de dados que são excluídos dos arquivos para que os MP3s possam caber em dispositivos móveis. Mas hoje em dia, com o equipamento certo, as gravações digitais em arquivos lossless podem ser tão boas que podem enganar até os melhores ouvidos. Muitos dos discos que foram produzidos pela MoFi estão em várias listas de melhores álbuns análogicos de todos os tempos.

Por fim, Randy Braun, um audiófilo e advogado em Nova York, disse que com isto fica comprovado o que ele vêm dizendo há anos, que a massa de pessoas que são contra o formato digital está mentindo para si mesma: "Estes que afirmam ter ouvidos de ouro e que podem notar a diferença entre o formato analógico e o digital, bem, parece que vocês na verdade não conseguem fazer isto".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - WHIP
Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

Sexo e Satã: as mensagens subliminares em capas de Rock / Metal


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Bruce William

Quando Socram chegou no Whiplash.net era tudo mato, JPA lhe entregou uma foice e disse "go ahead!". Usou vários nomes, chegou a hora do "verdadeiro". Nunca teve pretensão de se dizer jornalista, no máximo historiador do rock, já que é formado na área. Continua apaixonado por uma Fuchsbau, que fica mais linda a cada dia que passa ♥. Na foto com a Melody, que já virou estrelinha...
Mais matérias de Bruce William.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS