Matérias Mais Lidas

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemO arrependimento que David Bowie carregava em relação a Elvis Presley

imagemTestament está confirmado na edição brasileira do Summer Breeze, segundo jornalista

imagemRick Wakeman relembra época em que o Yes abria show para o Black Sabbath

imagemA dura bronca dos Titãs em Nando Reis durante gravação de "Titanomaquia"

imagemRolling Stones: Keith Richards compara tocar com Brian Jones, Mick Taylor e Ron Wood

imagemShow do Dream Theater em São Paulo não será mais realizado no Pavilhão Pacaembu

imagem4 hits do Deep Purple cujos riffs Ritchie Blackmore já confessou ter copiado

imagemA reação de Stevie Ray Vaughan ao ouvir Jimi Hendrix pela primeira vez

imagemRob Trujillo presta tributo ao Rage Against The Machine após shows em Nova Iorque

imagemThin Lizzy e o álbum picareta de covers do Deep Purple que garantiu sua sobrevivência

imagemO hit dos Engenheiros sobre Humberto não querer ser guru dos jovens igual Renato Russo

imagemRoger Waters sobre tocar Pink Floyd sem David Gilmour: "Não tenho problema algum"

imagemPor que o processo de composição da Legião Urbana e Engenheiros era tão diferente?

imagemCinquenta grandes músicas lançadas por bandas de rock e heavy metal em 2022


Stamp

The Doors: Produtor dizia que "Love Her Madly" era "ruim pra c*cete"

Por André Garcia
Em 02/08/22

Em 1970, por mais que tivesse passado apenas três anos do lançamento de seu álbum de estreia, o The Doors já tinha vivido tanta coisa naquele tempo que ele parecia muito mais longo. O quarteto chegou ao topo das paradas, saiu na capa de todas as revistas e lotou as maiores casas de show do país. Mas, por outro lado, uma acusação de atentado ao pudor no palco por parte de Jim Morrison o arrastou para os tribunais, e a banda quase acabou em meio a cancelamentos e a péssima repercussão.

Foto: Divulgação - Capa do Primeiro Álbum
Foto: Divulgação - Capa do Primeiro Álbum

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em dezembro daquele ano Morrison e companhia retornaram ao estúdio para gravar "L. A. Woman" e tentar deixar tudo aquilo para trás. "Love Her Madly", uma das faixas de maior destaque, conforme publicado pela Ultimate Classic Rock, partiu do guitarrista Robby Krieger, como ele próprio contou.

"Eu topei com ela com um riff legal e alguns acordes de shuffle, e então 'Love Her Madly' começou a ganhar forma. Eu cheguei em nossa sala de ensaios no La Cienega e cantei a música. Era blueseira, uma coisa quase folk rock que Arthur Lee e Love poderiam ter feito. Ray Manzarek colocou um ótimo teclado tipo um cravo, e John Densmore acrescentou a bateria militar e o shuffle, então ela ficou com um toque latino. Era uma música fácil de ouvir, mas Jim [Morrison] adorou ela; ele gostava de interpretar."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se "Love Her Madly" conseguiu agradar ao já desanimado de tudo vocalista, o produtor Paul Rothchild odiou a ponto de se demitir do projeto. "Tédio sem fim" e "ruim pra c*ralho" foram algumas das formas como ele definiu a faixa.

"Eu dizia aquilo para eles na esperança de que eles ficassem com raiva o bastante para fazerem algo que prestasse", confessou Rothchild. "Eu dizia: 'Isso não é rock n roll! Isso é música para um coquetel num lounge! 'Love Her Madly' exatamente o tipo de música que eu me referia. Aquela foi a música que me fez abandonar o estúdio. Pode ter vendido um milhão de cópias, mas não significa nada para mim."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com Paul Rothchild abandonando o barco, a banda decidiu auto produzir o disco em parceria com seu engenheiro de som de longa data Bruce Botnick. "Love Her Madly" não apenas foi lançada como segunda faixa de "L. A. Woman" como ainda foi seu primeiro single, que chegou a #11 nas paradas da Billboard.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net



publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

The Doors comenta a gravação da icônica faixa "Riders on the Storm

The Doors: Produtor dizia que "Love Her Madly" era "ruim pra c*cete"

The Doors e seu desastroso último show com Jim Morrison

The Doors: Tecladista Ray Manzarek acreditava que Jim Morrison forjou sua morte

The Doors: A opinião de Jim Morrison sobre Pink Floyd e Miles Davis

A resposta de Jim Morrison quando perguntado suas músicas preferidas do The Doors

A única música do The Doors que Jim Morrison se recusou a cantar: "Sem chance!"

John Densmore, do The Doors, comenta o rumor da morte forjada de Jim Morrison

Capas: montagens com clássicos (e alguns não tão clássicos)

Classic Rock: elegendo os 10 melhores álbuns de estréia

Ultimate Classic Rock: Top 10 músicas para o fim do mundo

Metallica: a letra que fez Hammett e Hetfield chorarem

Slash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?


Sobre André Garcia

Sou redator e tradutor freelancer e escritor, autor do livro de contos Liber IMP. Ouço rock desde pequeno, leio coisas sobre bandas desde sempre e escrevo sobre ela já tem anos. Cresci como fã de Iron Maiden e paladino do rock, mas já me tratei. Hoje sou fã de nomes como Beatles, David Bowie, The Cure, Kraftwerk e Velvet Underground, e de cenas como a Londres psicodélica, a Nova Iorque proto-punk e a Manchester pós-punk. Escrevo notas e notícias rápidas para o Whiplash.Net visando compartilhar conteúdo relevante sobre música e cultura pop.

Mais matérias de André Garcia.