Iron Man: Tony Iommi relata sua trajetória em livro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por João Paulo Linhares Gonçalves, Fonte: Ripando a História do Rock
Enviar correções  |  Comentários  | 


Vamos falar sobre o livro "Iron Man: My Journey through Heaven and Hell with Black Sabbath", simplesmente a biografia do grande guitarrista Tony Iommi, o mestre de riffs fantásticos a frente do Black Sabbath em todas as suas formações. Falarei sobre as impressões que tive ao ler o livro recentemente. Antes que alguém se anime muito, revelo que li a versão digital em inglês. Este livro ainda não foi lançado por aqui...
2668 acessosAses das seis cordas: Guitarristas e suas assinaturas5000 acessosBon Scott, o eterno Rocker...

O livro conta toda a história do grande guitarrista, desde sua infância até os dias atuais, quando excursionou como Heaven And Hell - ele chega a falar da morte de Ronnie James Dio (mas não cita nada sobre sua recente descoberta de estar com linfoma). Curiosamente, a abetura do livro começa falando sobre o acidente que decepou partes dos dedos de Iommi, no seu último dia de trabalho, obrigando-o a transformar totalmente seu jeito de tocar (ele fala como construiu os dedais que usa até hoje). Acredito que uma forma de mostrar a superação que ele teve que passar para se tornar um dos guitarristas mais importantes da história do rock.

Os primeiros capítulos do livro contam um pouco da infância e da adolescência de Iommi, mostram que antes de tentar a sorte na guitarra ele chegou a tentar tocar arcodeão (!?!?!?), mostra o momento em que ele conhece Bill Ward, quando vê o anúncio de Ozzy, a formação da banda como Earth, o porquê da mudança de nome e toda a história do Black Sabbath. Um capítulo interessante é a passagem meio que instantânea que Iommi fez no Jethro Tull. Com direito a descrever como foi a gravação do especial que acabou gerando o filme "Rock and Roll Circus", dos Rolling Stones.

Outros detalhes que me chamaram a atenção foi Iommi revelar que era, sim, o líder da banda. E o que mais se interessava em explorar as sonoridades no estúdio, enquanto gravavam os discos da banda. Outra curiosidade interessante é que no disco "Master Of Reality", eu jurava que aquela tossida na introdução de "Sweet Leaf" era do Ozzy. Não é, é do Iommi!

Próximo do fim da era Ozzy, temos detalhes interessantes também. Iommi explica os problemas com os agentes, a falta de dinheiro, apesar das altas vendas, e os efeitos destes problemas nos relacionamentos entre os integrantes. Mas os detalhes que mais me chamaram a atenção foram que Ozzy chegou a cantar em "Children Of The Sea" (clássico na voz de Dio - Iommi revela que ainda tem uma fita em algum lugar com esta versão com Ozzy). E que Sharon, futura esposa do madman, na época ajudando o pai a gerenciar a carreira do Sabbath, apresentou Dio a Iommi (depois ela romperia com o pai e ficaria com Ozzy). Mais pra frente, ficamos sabendo que Gillan topou entrar para a banda após uma bebedeira. No dia seguinte, nada se lembrava. Mas acabou gravando o álbum... Alguns capítulos dedicados à vida privada do guitarrista talvez não interessem tanto, exceto o que ele revela alguns detalhes de seu relacionamento com Lita Ford. E tome casamentos e divórcios, problemas com a guarda da filha, etc. Mas estes capítulos estão entrelaçados entre os outros e a leitura flui facilmente.

Para quem já leu a biografia de Ozzy Osbourne ("Eu sou Ozzy"), percebemos claramente que Ozzy era mais lunático, aventureiro, e Iommi era mais pé no chão, aquele que olhava os detalhes de gravação, a musicalidade, criação dos riffs. Ambos se viciaram em drogas, mas Ozzy é bem mais profundo e variado em termos de substâncias. Iommi ficou mais restrito à cocaína e por um período de tempo mais curto.

Para todos que gostam do Black Sabbath em todas as suas fases, este é um livro que as descreve, aliás, é o único que pode descrever, pois somente ele lá esteve durante todo o tempo, com todas as mudanças de formação. Não é um livro de revelações bombásticas, mas uma biografia que nos permite conhecer um pouco mais a fundo este mestre de riffs chamado Tony Iommi, uma pessoa fantástica pelo que pude perceber lendo sua biografia. Recomendo a todos os amantes do belo heavy metal que ele sempre praticou, em especial os que não tenham preconceito com as fases do Sabbath pós-Ozzy. Este livro foi lançado nos EUA no final do ano passado (novembro; outubro na Europa) e não vejo previsão de lançamento aqui no Brasil. Para quem tiver inglês bom, vale a pena!

Alguns vídeos:

"Sweet Leaf", com a tossida de Iommi:

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

"Children Of The Grave", com Rob Halford nos vocais:

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

"Children Of The Sea", com Dio nos vocais:

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Recomendo a leitura deste post ao som de "Sabbath Bloody Sabbath"! Até a próxima!!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Seis cordasSeis cordas
Guitarristas e suas assinaturas

2384 acessosJimmy Copley: baterista morre aos 64 anos de idade712 acessosHeavy Lero: Black Sabbath com Ozzy, a terceira parte431 acessosSamantha Fish: guitarrista blueseira faz cover de "War Pigs"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Sabbath"

MetalMetal
E se as letras fossem posts motivacionais?

Pactos?Pactos?
Os envolvimentos de bandas com ocultismo

Bill WardBill Ward
Explicando saída do Heaven & Hell em 2006

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Livros0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"

Bon ScottBon Scott
Em 1980, um dos dias mais tristes do rock n' roll

SarcófagoSarcófago
Polêmica e pioneirismo em termos de Death Metal

Tom ArayaTom Araya
"Não sou ateu; acredito em Deus!"

5000 acessosGuns N' Roses: a família brasileira de Axl Rose5000 acessosFotos clássicas: Axl Rose e seu 'tijolão' celular5000 acessosFrances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fã4366 acessosMike Portnoy: reunião do Black Sabbath sem Ward não é reunião5000 acessosJohn Petrucci: Pink Floyd é Progressivo, embora os caras não fossem muito técnicos5000 acessosNikki Sixx: "transei com a mulher do Bruce Dickinson"

Sobre João Paulo Linhares Gonçalves

Roqueiro convicto, de carteirinha, desde os treze anos de idade. Já tive diversas bandas preferidas: de Iron Maiden, Metallica e Black Sabbath a The Who, Pink Floyd e Rolling Stones. O heavy metal sempre me atraiu muito, mas o rock praticado nos anos 60 e 70 é fascinante e estou sempre escutando. De vez em quando, dou chance ao punk, rock alternativo, blues, até ao jazz e MPB, pra variar.

Mais matérias de João Paulo Linhares Gonçalves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online