Verdade Soturna: Metal Extremo de Ubatuba

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Flávio Duarte, Fonte: One Degrau
Enviar correções  |  Ver Acessos

Ubatuba, litoral Norte de São Paulo, não tem apenas Sol, praia & surf! Tem rock n roll meu amigo, e bandas de alto nível que fazem frente a muitas bandas que estão aí na mídia! A muito tempo a cidade não tinha uma cena tão rica em estilos e qualidade!

Guns N' Roses: funkeiro assassina clássico máximo da bandaRiff: palavra sem tradução na língua portuguesa

Para falar um pouco sobre elas, estaremos apresentando algumas aqui no One Degrau! E nada melhor que começarmos com uma banda de Metal Extremo, a Verdade Soturna!

Coversamos com Sandro Neres, vocalista e guitarra base da banda que vem agora com uma nova formação e uma pegada mais pesada ainda!
Confiram:

ONE: Em primeiro lugar quero dizer que é um prazer ter vocês conosco novamente nessa retomada do One Degrau, já que vocês foram nossa primeira matéria quando ainda se chamavam Alanis na Cadeia! De lá pra cá muita coisa mudou além do nome da banda, nos fale da formação atual e como foi gravar a demo de vocês em São Paulo no Mr. Som Studio?

SANDRO: É uma grande honra pra nós estarmos inaugurando novamente o blog de vocês, bem, a nova formação conta com Max Ribeiro no baixo, Rafael Souza na bateria, Giasone Rebua na guitarra solo e Sandro Neres nos vocais e guitarra base. Acredito que essa nova formação trouxe um andamento mais pesado pra banda, pois os novos integrantes são específicos no gênero da música extrema e estão 100% decididos quanto a sua intenção de exercer esse gênero. Por mais que seja interessante trabalhar com músicos que trazem influências de outros gêneros pro meio da música extrema, não há como não perceber que o trabalho de quem está especificamente dedicado ao gênero trás um resultado muito mais puro e deixa o direcionamento mais seguro para se planejar os próximos passos. Quanto a gravação da demo de 2012, foi uma grande experiência que trouxe muito mais do que a própria demo em si. Foi a partir dali que a cena criou o vínculo que tem hoje diretamente com figuras importantes do metal no Brasil, e também acabou sendo a porta que levou também nossos parceiros do Overdose Nuclear a gravarem o trabalho deles lá e hoje podemos dizer que Ubatuba não é mais um lugar completamente desconhecido na cena do metal no Brasil

O: A Verdade Soturna já pode ser considerada uma banda veterana de Ubatuba, na batalha desde 2009, nesse tempo houve alguma mudança significativa no som de vocês ou estão na mesma pegada extrema?

S: Bem, como eu já disse anteriormente, a entrada dos novos integrantes somou com um direcionamento mais tradicional que estamos tomando agora. Levando nossa temática de protesto social para mais próximo das raízes da música extrema, sem abandonar nossa origem. Pra quem conferir nossos novos trabalhos e comparar com o antigo, não há como negar que o atual está mais agressivo musicalmente e até mesmo mais técnico.

O: A cena rock n roll de Ubatuba na minha opinião nunca esteve tão rica, bandas de qualidade brotando e as veteranas como vocês e a Psycos Jam matando a pau, na sua opinião você acha que dessa vez a galera está mais unida que em tempos atrás?

S: Acredito que as bandas novas que apareceram estão tendo uma boa oportunidade de usufruir de recursos e resultados do que as bandas mais antigas lutaram para conseguir,e que sinceramente não sei dizer ao certo se acredito que haja mais ou menos união entre elas, porque trabalho com música extrema e nesse ramo apenas o Overdose Nuclear reparte o legado da luta em Ubatuba, e entre nós, sem dúvida existe muito mais que uma união e sim uma verdadeira aliança, pois trabalhamos juntos em todos os nossos objetivos sendo quase como uma coisa só. No que diz respeito a união entre as outras bandas, da minha parte existe um grande respeito e admiração pelo trabalho de quem leva a sério e que demonstra respeito e competência.

O: Fale um pouco do Inverno de Aço, evento que já está se tornando tradição em Ubatuba...

S: O Inverno de Aço, é justamente o festival criado com a intenção de incluir Ubatuba na cena nacional, mesmo que de uma maneira gradativo. É sem dúvida uma tarefa difícil e exige grande dedicação e desprendimento que infelizmente ainda não conta com muito apoio de quem está de fora da cena do metal na cidade, porém em suas 2 edições já houve um avanço considerável que colocou a cidade e sua cena em contato direto com um número interessante de grupos envolvidos com a cena na região. Acredito que continuaremos com esse trabalho e que ainda alcançaremos metas maiores do que as que já foram alcançadas.

O: Quais os planos da banda para 2015? Alguma gravação a vista?

S: O ano de 2015 está sendo o ano de adaptação da nova formação, processo de composição do novo material e planejamento. Infelizmente não há nenhuma previsão de lançamento ou gravação pra esse ano ainda. Porém em 2016 não só haverá uma nova gravação, como também o lançamento e o início de sua campanha que provavelmente se estenderá até 2017.

O: Obrigado pela entrevista e sucesso pra vocês! Deixo esse espaço pra você dar um recado aos leitores do One Degrau e admiradores do seu trabalho.

S: Gostaria de em nome do Verdade Soturna agradecer a vocês do One Degrau pela oportunidade e as pessoas que nos apoiam e a cena por acreditar e manter acesa a chama da música extrema. Não é nada fácil lutar por um gênero que apesar de ter os seguidores mais fiéis, não tem muito espaço nem reconhecimento no mercado do entretenimento e para manter se na atividade é necessário muito mais que dedicação, é preciso ter fé e amor verdadeiro pelo gênero e a arte. A todos que compartilham desse sentimento fica nosso muito obrigado e a esses que dedicamos toda nossa arte.



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Verdade Soturna"


Guns N' Roses: funkeiro assassina clássico máximo da bandaGuns N' Roses
Funkeiro assassina clássico máximo da banda

Riff: palavra sem tradução na língua portuguesaRiff
Palavra sem tradução na língua portuguesa


Sobre Flávio Duarte

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin