Vitor Rodrigues: "King Diamond é uma das minhas influências"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Luciano Piantonni, Fonte: Hard And Heavy
Enviar correções  |  Ver Acessos

Todos já estão cansados de saber que o VOODOOPRIEST é a nova banda de Vitor Rodrigues, famoso por integrar o Torture Squad por anos. Sua nova empreitada - ao lado de outras feras da cena - deixou de ser uma promessa, e se revelou um dos grandes nomes do Metal nacional, com o lançamento do EP auto intitulado, além da realização de shows "raçudos", cheios de energia, e muito bem comentados, destacando seu som bastante encorpado, variando entre o Thrash e o Death com maestria.

Metal Progressivo: os dez melhores álbuns do estiloBatom, laquê...: Como formar uma banda de Hard Rock em 69 lições

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em São Paulo, eles fizeram um concorrido show de estreia, cercado de imprensa e fãs, mostrando que o VOODOOPRIEST pode muito mais.

Aproveitamos uma folga do vocalista para batermos um papo.

HARD AND HEAVY- O EP de estreia do Voodoopriest tem feito bastante barulho na cena, sendo um dos CDs mais vendidos em uma conceituada loja da Galeria do Rock. Agora que o Voodoopriest deixou de ser uma "expectativa" e virou uma "realidade", como você avalia essas composições?

Vitor Rodrigues - Foi um caminho de certa forma rápido, mas natural. O que era abstrato se tornou concreto ao longo de cada ensaio, e agora com os shows sendo realizados, pudemos sentir que a confiança vai se tornando parte da banda. O fato do EP ser o mais vendido é a prova de que estamos no caminho certo e vai credenciando o Voodoopriest a ser uma das forças do metal nacional.

HARD AND HEAVY - Todos os integrantes participaram do processo de composição das músicas?

Vitor Rodrigues - Para o EP eu já tinha composto duas músicas. O Renato De Luccas e o César Covero vieram com mais sons, e ficamos todos lapidando cada uma delas até chegar o dia da gravação. Todos participaram do processo dando opiniões e sugestões para que as músicas ficassem do jeito que a gente queria.

HARD AND HEAVY - Por que vocês optaram por lançar um EP e não um disco completo?

Vitor Rodrigues - Optamos, na verdade, o formato do EP para apresentar ao público a sonoridade do Voodoopriest e ver seu impacto na cena. Foi uma espécie de cartão de visitas para sabermos o que funcionaria ou não, e pelo visto o público está curtindo muito.

HARD AND HEAVY - Como está o processo de criação do primeiro full length da banda?

Vitor Rodrigues - Temos muitas músicas, mas estamos dando espaço no momento aos shows de divulgação do EP. Creio que na metade do ano estaremos organizando e começando o processo de criação do primeiro trabalho full length do Voodoopriest.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

HARD AND HEAVY - Qual a comparação que você faria entre seu trabalho no Torture Squad, com o Voodoopriest?

Vitor Rodrigues - Creio que não foge muito do que eu fazia no Torture Squad, o que mudam são as novas influências agregadas às minhas, e isso já diferencia o estilo das duas bandas, mesmo porque o Voodoopriest tem duas guitarras e membros com uma diversidade musical muito grande, e é isso que dá alquimia e personalidade na hora de compor e tocar.

HARD AND HEAVY - Eu mesmo, percebo que seus vocais expandiram, criando algo mais versátil, mais flexível, com relação ao que desenvolvia no TS...

Vitor Rodrigues - Isso foi graças ao Brendan Duffey, do Norcal Studios, que me fez ir mais por esse lado. Aproveitar o dom que tenho de mudar os timbres de voz e aplicar isso ao som. O resultado foi muito satisfatório e me fez lembrar o motivo pelo qual optei por usar essa habilidade. Há tempos atrás, no começo da minha carreira, ficava intrigado com a facilidade do King Diamond de fazer tantas vozes em uma música, e pensei se isso funcionaria para o meu estilo, que era mais voltado ao thrash e death. Na gravação do EP, essa grande influência ficou latente, e mostrou a versatilidade e a facilidade com a qual eu posso mudar o timbre da minha voz. Ou seja, King Diamond é uma das minhas maiores influências no vocal.

Para ler a entrevista completa, acesse:

http://hardandheavy.com.br/ptbr/?p=3970




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Voodoo Priest"


Vitor Rodrigues: Walk on home, Phil!Vitor Rodrigues
"Walk on home, Phil!"

Thrash Metal: 20 bandas brasileiras de qualidade inquestionávelThrash Metal
20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável


Metal Progressivo: os dez melhores álbuns do estiloMetal Progressivo
Os dez melhores álbuns do estilo

Batom, laquê...: Como formar uma banda de Hard Rock em 69 liçõesBatom, laquê...
Como formar uma banda de Hard Rock em 69 lições


Sobre Luciano Piantonni

Luciano Piantonni, é editor do site Hard And Heavy ([email protected]) e redator da revista Rock Brigade. Natural de Santo André (ABC Paulista) começou sua história com a música aos 8 anos quando foi assistir ao show do Kiss, em 1983. Desde então, acompanha Rock e Metal como suas maiores paixões. Já foi colaborador da revista Roadie Crew (entre 2006 e 2007), além de jornais e sites. Possui uma assessoria de imprensa, LP Metal Press, onde trabalha com os shows de diversas produtoras como Liberation MC, Tumba Productions, SG Entertainment, TC7 Produções, entre outras.

Mais matérias de Luciano Piantonni no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline