AC/DC: "Ainda não escolhemos o título", diz Brian

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Carlos Rafael Braun, Fonte: Brave Words, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Brian Johnson, vocalista do AC/DC, foi entrevistado pelo Bob Rivers Show, e falou sobre vários assuntos, como o teste que fez para entrar na banda e o novo álbum, que deve ser lançado ainda este ano.

3105 acessosPhil Rudd: por que ele se recusa a fazer solos de bateria5000 acessosSteve Vai: O dia em que ele foi humilhado por Chimbinha

Seu ingresso no AC/DC: "Bon Scott foi um dos maiores vocalistas que já existiram, ele era um grande poeta. Se você ouve algumas de suas músicas, elas são quase poéticas. Nunca me esquecerei de quando fui para Londres, ia fazer um comercial para a Hoover, precisava de dinheiro. Os garotos disseram: 'Se está vindo a Londres, venha e mostre a sua voz'. Nunca estivera em um teste antes, então quando acabei essa propaganda para a Hoover, fui para o Vanilla Studios e encontrei os garotos sentados, parecendo desapontados e cabisbaixos. Eu pensava por quê - eu estava três horas atrasado e nem tinha percebido! Cantei algumas músicas para eles sem pensar em nada - eu estava lá para me divertir e voltar para casa dizendo que eu cantara com o AC/DC, isso já estava bom demais para mim. Aparentemente, acho que era o que eles precisavam, me pediram para ficar mais algumas semanas e o resto todos sabem. Duas semanas depois eu estava em um avião para Bahamas, onde iríamos gravar. Me disseram que tínhamos seis semanas, depois disso estávamos sem dinheiro. Os garotos deviam quase um milhão".

Se sentiam que criavam algo especial ao gravarem o "Back In Black" "Não. Logo que terminávamos uma música, Mutt Lange (produtor) preparava a próxima e dizia: 'Brian, tire meia hora de folga e prepare sua voz'. Era tudo o que podíamos fazer, pois não tínhamos tempo para sentar e ouvir o que havíamos feito. Tudo passou tão rápido. Eu me lembro que estava no avião para casa, pensando se o álbum era bom mesmo. Foi um choque quando recebi uma cópia duas semanas depois. Colocaram um vinil por baixo da porta e eu coloquei no meu toca-discos. Eu não acreditava que era eu. Não achei que podia fazer coisas daquele nível. É por isso que amo esse novo álbum que acabamos de gravar. É exatamente a mesma história e não acontecia desde que conhecemos Brendam O' Brien, há dois meses. Ele foi mágico. Trabalhamos todos os dias - incluindo sábados e domingos - e aqui estou eu, de volta para casa e sem idéia do que acabei de fazer! Foi muito rápido. Espero que tenha o mesmo resultado".

Se já foi escolhido o título do novo álbum? "Não, ainda não. Essa sempre parece ser a última e mais difícil decisão a se fazer. Você tem que ser cuidadoso por que vai ter que conviver com o título pelo resto da sua vida!"

Sobre seu estilo de cantar "Eu lembro de Eric Burdon, do THE ANIMALS - ele era meu ídolo, quando jovem. Em Newcastle, eu costumava vê-lo cantar, 'there is a house in New Orleans, they call the rising sun', mas ele falava do mesmo jeito que eu, então, um dia, lhe perguntei: "Porque canta assim?'. E ele respondeu: 'É o único jeito de se cantar o Rock 'N Roll, Brian. Foi inventado na América, portanto, cante como um americano'. Todas as bandas cantam com sotaque americano, porque nós literalmente copiamos tudo dos artistas negros do Blues. Não sabíamos o que era um 'thang' - falávamos 'thing'. Não sabíamos o que significava, mas soava bem".

Como cuida da sua garganta: "Eu não cuido (risadas). Eu fumo, gosto de vinho e adoro whisky. Para ser sincero, não há como controlar a paixão, e é isso que faz a minha voz. Quando ouço um guitarra, depois a bateria, tudo sai naturalmente e não há como segurar".

Voltando ao assunto do seu teste para o AC/DC. Você não cantou uma música do AC/DC, mas sim da TINA TURNER? "Verdade, era 'Nutbush City Limits'. Depois, eles perguntaram: 'Conhece alguma das nossas?' e eu disse: 'Acho que conheço 'Whole Lotta Rosie', e eu a cantei. Essas duas músicas eu cantei com eles, e essas duas músicas me garantiram o emprego".

Clique aqui para ouvir a entrevista.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Phil RuddPhil Rudd
Por que ele se recusa a fazer solos de bateria

1467 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify753 acessosAC/DC: a primeira vez com "Let There Be Rock"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "AC/DC"

Sempre a mesma coisaSempre a mesma coisa
12 bandas que nunca mudam

BundesligaBundesliga
Revista alemã faz tabela como se fosse um show

Acredite se quiserAcredite se quiser
Celine Dion gosta mesmo é de Heavy Metal...

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "AC/DC"

HumorHumor
O dia em que Steve Vai foi humilhado por Chimbinha

Total GuitarTotal Guitar
Os melhores e piores covers da história

Collectors RoomCollectors Room
Baixos, guitarras, calcinhas, e máquina de pinball do Kiss?

5000 acessosMetallica: noiva toca "Master..." na bateria no casamento5000 acessosHeavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregos5000 acessosOs diários secretos de Roger Waters5000 acessosAstros mortos: como estariam alguns se ainda estivessem vivos?5000 acessosCults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendas5000 acessosU2: Bono diz que não aguenta ouvir a própria "Vox"

Sobre Carlos Rafael Braun

Guitarrista e cachaceiro nas horas vagas.

Mais matérias de Carlos Rafael Braun no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online