Spock's Beard: Entrevista exclusiva com o ex-líder Neal Morse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos

Entrevista, texto e tradução por Thiago Corrêa Sarkis

Anos 80: bandas nacionais que o tempo esqueceuHeavy Metal: as piores capas dos grandes artistas do gênero

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No último mês de Outubro, o mundo do progressivo sofreu um dos maiores baques de sua história. Neal Morse, líder e principal compositor do Spock's Beard, decidiu abandonar a banda após o lançamento de "Snow", um dos mais aclamados álbuns da história do grupo.

O choque foi imenso e os fãs não conseguiam acreditar. Muitas questões ficaram para todos eles. Por que? O Spock's Beard irá continuar? Um novo membro entrará na banda? O que Neal Morse fará agora?

Melhor deixa que o próprio explique toda a situação. Foi o que fizemos nessa entrevista exclusiva. Morse respondeu a todas as questões gentilmente - incluindo algumas perguntas polêmicas e pessoais - e finalmente clareou as coisas:

WHIPLASH! - Você saiu do Spock's Beard logo depois do lançamento de "Snow". Já li mensagens de Nick D'Virgilio e Ryo Okumoto dizendo que você saiu da banda repentinamente e que eles não estavam esperando por isso; Quando você começou a pensar na idéia de sair da banda e porque você achou que esse seria o momento correto para fazê-lo?

NEAL MORSE / Toda a questão é realmente um evento espiritual, do começo ao fim. Eu sempre estive, ou melhor... pelo menos nos últimos dez anos mais ou menos, bem, de qualquer forma, estive interessado em estar mais perto de Deus. Eu me lembro nos anos 80 quando assistindo o filme "Field Of Dreams" ("Campo dos Sonhos") e pensando que eu "queria que alguém conversasse comigo num campo de milho e me dissesse o que fazer com a minha vida". De qualquer maneira, voltando à sua questão, eu me tornei um cristão nos últimos três anos porque senti Deus me conduzindo a isto e me instruindo. Então, venho rezando diariamente agora sobre tudo o que está acontecendo em minha vida... ou às vezes apenas coisas normais, gerais. Em Dezembro (N. do E.: Dezembro de 2002) passado quando rezei assim, senti que Deus queria que eu finalizasse "Snow" e então que eu saísse da banda. Então creio que foi quando comecei a pensar em sair da banda. Não seria minha escolha pessoal certamente, e foi muito difícil para que eu deixasse as coisas correrem assim.

WHIPLASH! - Como você se sentiu quando fez o comunicado a seus ex-companheiros de banda? E depois de declarar oficialmente... quais foram seus sentimentos?

NEAL MORSE / Enquanto eu dizia a eles, uma parte fora de mim dizia: "você está realmente fazendo isso?" Era bastante surreal. Algumas vezes eu ainda não acredito que de fato deixei o grupo. Foi como pular de um precipício ou algo assim. Depois, eu me sentia paralisado. No outro dia, me sentia estranho, como se eu não acreditasse no que estava acontecendo. Mas parecia OK para mim, quase calmo. Porém, cada dia era diferente. Acho que todos ficamos numa montanha-russa emocional por um tempo.

WHIPLASH! - Bom, o aspecto religioso influenciou então totalmente sua decisão. Alguns álbuns do Spock's Beard têm um toque religioso, incluindo "Snow". Você não acha que poderia ter levado à frente suas idéias religiosas com o Spock's Beard? Esse relativo toque religioso nos álbuns do Beard não eram mais o bastante pra você?

NEAL MORSE / Eu não acho que tenha qualquer razão concreta para que eu não continuasse e eu podia deixar meu coração guiar a situação. Só que simplesmente não parecia o desejo de Deus. Havia horas em que era difícil ser um compositor do Spock's Beard. Era difícil ficar ali em volta dizendo o que eu realmente queria dizer. Isso estava acontecendo um pouco comigo na composição de "Snow". "Wind At My Back", "I Will Go", "Love Beyond Words", e boa parte do álbum trata realmente das minhas experiências com Jesus e me dava um sentimento de algo incorreto pegando essas coisas e fazendo delas algo mais do que seguir falando sobre Jesus ou Deus o tempo inteiro. Mas certamente eu estaria capacitado a dizer e creio que poderia ter tentado no Spock's Beard. Só que o Spock's Beard não é uma banda cristã e fazer isso não parecia ser o correto pra mim. Eles também não entrariam nessa de qualquer maneira.

WHIPLASH! - Você tem essa questão religiosa desde a infância ou foi mesmo acontecendo nos últimos dez anos?

NEAL MORSE / Não, eu nunca estive envolvido com qualquer religião particular. Comecei a ir à Igreja da minha mulher (ela foi elevada numa igreja Pentecostal) há uns cinco anos atrás. Nós últimos três anos eu venho desenvolvendo... como dizer isso... meu envolvimento? Participação? Você sabe do que estou falando.

WHIPLASH! - Depois de uma declaração dessas, você não tem medo de sua mulher se tornar a Yoko Ono dos fãs de Spock's Beard? Quanto você credita sua decisão a ela?

NEAL MORSE / Yoko? (risos) Na verdade, ela nem ligava se eu estava ou não ligado à religião dela. Ela deixou isso como uma decisão própria minha. Ela não forçou as coisas ou me influenciou a sair da banda. Eu costumava ir à Igreja por mim mesmo. A decisão foi minha.

WHIPLASH! - Antes de perguntar isso, quero deixar claro que tenho todo respeito por sua escolha e estou apenas tentando outras maneiras de reflexão e também querendo ver sua opinião sobre esse assunto polêmico. Você não acha que há um aspecto ideológico e de lavagem cerebral neste processo de se tornar um religioso completo e dedicado? Na sua opinião, do que a religião trata em seu todo?

NEAL MORSE / Eu não acho que tenha a ver com o cérebro de maneira alguma! Nem com ideologia. Tem a ver com sua relação com Deus e com seu coração. Acredito que é muito pessoal. Li algo maravilhoso recentemente dizendo que o "Cristianismo não é uma religião, é uma relação". Isso resume essa questão pra mim. Não estou de fato interessado na religião. Não na idéia de uma organização ou algo assim. Eu estou sinceramente interessado em ser guiado por Deus, porque acredito que ele exista e que saiba e queira o que é melhor para nós. Eu não tento forçar nada disso em alguém e ninguém fez isso comigo também. Fui atraído pelo amor que senti por Deus na Igreja. Então, depois de um tempo, comecei a sentir algo novo em meu corpo e minha alma. Eu sabia que era o espírito de Deus ou o Espírito Santo mudando meu coração e minha vida. Isso é para mim, é sobre o que o cristianismo trata em seu todo... mas ainda estou aprendendo.

WHIPLASH! - Bem, você também deixou o TransAtlantic, algo que, creio eu, seus fãs não puderam de fato entender. O Spock's Beard tomava bastante do seu tempo, mas o TransAtlantic era mais ou menos um projeto paralelo, não tomava tanto tempo assim. Porque você decidiu também deixar o TransAtlantic?

NEAL MORSE / Bem, eu senti que era a coisa certa a se fazer. Sinceramente, eu não sei mais o que dizer.

WHIPLASH! - No site da gravadora que você acaba de abrir (Latter Rain Records), você diz que esse passo é uma separação de tudo aquilo que qualquer pessoa o escutou fazendo no passado. Você não irá mais compor músicas progressivas, seria isso?

NEAL MORSE / Certamente é possível compor progressivo sobre Deus. Estou trabalhando em algumas coisas assim agora (N. do E.: Ele mostra algumas demos instrumentais realmente belíssimas). Estou investigando, trabalhando, explorando, e tenho conseguido um bom resultado. Mas o que for que você faça, com certeza não irá agradar a todos. Você tem apenas que escrever o que está vindo de seu coração e ver o que acontece.

WHIPLASH! - A música "Amazing Love", da qual você participou, está disponível no álbum solo de Mark Leniger. O que você tem a dizer sobre as outras músicas do álbum e a sua participação nelas?

NEAL MORSE / Essas são músicas de igreja. Músicas de louvor. Eu toquei baixo, guitarra e teclados em várias das músicas. Foi um grande prazer ajudar meu bom amigo e gravar este CD.

WHIPLASH! - Musicalmente você pretende trabalhar em algo do estilo? Essa música pode refletir o que você virá a fazer nos próximos anos de sua carreira?

NEAL MORSE / Não, esta não é a direção que irei seguir. Este álbum é totalmente do Mark. Eu apenas o ajudei no álbum. Há um pouco de rock nele, mas a maior parte é de música gospel mesmo.

WHIPLASH! - Bem, se essa não é a direção que você vai seguir, qual será então? Você vai manter apenas a direção progressiva?

NEAL MORSE / Como eu disse, não sei como será. Não gosto muito de falar sobre o futuro. Estou trabalhando nesse projeto progressivo o qual você escutou agora há pouco. Tenho muitas demos. Estou desenvolvendo o trabalho. Tenho também um álbum completo de música pop cristã. Mas eu não sei o nome desses álbuns ou das músicas. Estou apenas trabalhando neles. Por agora, fica isso, estou trabalhando em algo relacionado ao prog rock.

WHIPLASH! - Você tem a idéia de montar uma banda nova ou seguirá mesmo uma carreira solo?

NEAL MORSE / Esse novo material no qual estou trabalhando parece ser um trabalho solo. Mas não quero falar muito disso. Ainda não estou certo de exatamente como as coisas acontecerão, mas provavelmente estarei fazendo algum lançamento em 2003.

WHIPLASH! - "Snow" foi o álbum mais bem-sucedido do Spock's pelo menos em relação às críticas. O que você acha disso? Você acha que realmente "Snow" é o melhor disco lançado pela banda até hoje? Quais seriam os destaques do disco para você?

NEAL MORSE / Não, "Snow" não é o meu predileto. "V" é provavelmente o disco que gravamos que mais gosto, apesar de gostar muito de todos. Eu sou o maior fã de Spock's Beard. Não me entenda errado, acho que "Snow" é fantástico, mas não é necessariamente meu favorito. É como comparar crianças. Não dá. Mas há músicas que se destacam muito pra mim no álbum. Primeiro a introdução, depois seguindo com "Stranger In A Strange Land". Adoro as harmonias e os refrões. Nick e eu sempre harmonizamos bem trabalhando juntos. "Love Beyond Words" realmente toca meu coração. Também amo a parte de saxofone em "2nd overture"... bem King Crimson (N. do E.: Neal "pensando alto"). Mas a minha parte favorita do "Snow" é a Wagneresca seção de cordas no final de "I'm Dying". Essa é absolutamente a coisa que mais gosto em todo o nosso trabalho.

WHIPLASH! - Apesar das boas críticas, algumas pessoas vêm comparando "Snow", inclusive no sentido de uma cópia mesmo, com o "Lamb Lies Down On Broadway" do Genesis. Você pensou neste álbum enquanto compunha "Snow"? Você acha que de fato há uma relação entre estes dois trabalhos?

NEAL MORSE / Bom, eles de fato têm coisas em comum. São dois álbuns duplos que contam a história de um homem jovem central passando por um tumulto espiritual, mas, diferente do que vem sendo dito, acho que "Snow" tem mais em comum com "Tommy" do The Who. Não sei... foi realmente difícil compô-lo por causa de todas essas coisas. É difícil ser original, com certeza. Por exemplo, quando Snow vai à cidade de Nova Iorque... eu realmente queria mudar aquilo e me lembro que Nick também queria, mas não conseguíamos achar algo que se encaixasse melhor para ser cantado. Então estávamos presos naquilo. Algumas vezes essas coisas ganham sua vida própria e você tem apenas que deixá-las fluir onde quer que elas desejem ir. Foi assim que aconteceu com "Snow".

WHIPLASH! - O personagem do álbum parece passar por uma angústia existencial profunda. Na capa, ele está com as mãos na cabeça e tendo dois caminhos para escolher. Nesse processo de sair do Spock's Beard, algumas vezes você teve que colocar a mão na cabeça e pensar em duas saídas das quais você teria que escolher apenas uma? Você se identifica com "Snow" neste e em outros pontos?

NEAL MORSE / Sim, definitivamente a capa do disco é uma estranha coincidência. Tudo o que fiz foi mandar uma demonstração do álbum para Thomas Ewerhard, diretor de arte da InsideOut Europe, e ele veio com essa idéia da capa, a qual é simplesmente perfeita. Eu e minha mulher olhamos para aquilo e eu pensei: "É exatamente como eu nessa encruzilhada". Mas nada disso foi planejado de fato.

WHIPLASH! - Bom, falando sobre o futuro agora... o baterista tomará conta dos vocais. Já vimos isso antes, com outras bandas. O que você espera de Nick D'Virgilio nos vocais?

NEAL MORSE / Ele tem uma voz bem alta e profunda, é por isso que dei a ele todas as passagens 'belas', você sabe, como as partes angelicais de "At The End Of The Day" e "Love Beyond Words". Mas eu descobri que ele é muito mais versátil do que eu imaginava. Se você conferiu o trabalho solo dele, sabe do que estou falando.

WHIPLASH! - Conheço o trabalho solo dele e acho que ele realmente canta bem. Mas ele não parece ter uma pegada muito "rock". Você não acha que será difícil para ele pegar todo o "feeling' de "Welcome to NYC", entre outras músicas?

NEAL MORSE / (N. do E.: Depois de pensar muito). Bem, não sei. Acho que ele pode fazê-lo. Será diferente, mas será bom. Acredito que provavelmente será ainda mais pesado. Conheço meu irmão e sei que ele está ansioso por trabalhar em algo mais pesado por um tempo. Talvez eu não pudesse cantar essas músicas que você disse ao vivo. Provavelmente depois de cantar "The Devil's Got My Thorat", eu teria que parar por uma semana ou mais.

WHIPLASH! - O que você espera do Spock's Beard depois da sua saída? Você acredita que eles serão capazes de manter o mesmo nível alto que a banda vem mostrando por todos estes anos?

NEAL MORSE / Eu acredito que o Spock's Beard vai seguir bem sem mim. Acho que eles serão abençoados. Sei como é difícil ver a coisas quando se está envolvido com elas, mas mesmo quando não podemos ver o que é possível Deus faz acontecer. Além disso, os caras do Spock's Beard são os melhores músicos do mundo, então creio que eles vão se sair muito bem. Eles são talentos fantásticos e creio que continuarão onde estão e manterão a qualidade.

WHIPLASH! - Por último... o que você tem escutado ultimamente?

NEAL MORSE / Tenho escutado bastante o novo do Flower Kings. Gosto muito deste novo disco. Venho escutando muito as minhas demos e também tenho escutado muito do Glass Hammer, uma banda de rock progressivo americana. Esses caras são incríveis. Tenho que contatá-los em breve. Acho que também são cristãos, não sei. Mas, de qualquer forma, eles têm um material realmente muito bom.

WHIPLASH! - Bom, espero que você possa realizar todos os seus novos objetivos e idéias. Muito obrigado pela entrevista. Pode deixar uma mensagem para os seus fãs, divulgar seu trabalho... esteja livre...

NEAL MORSE / Para todos os fãs que estão irritados com a minha saída: levem com o coração! Elvis não abandonou o prédio, ele apenas mudou suas roupas. Acho que vocês ficarão surpresos com o rendimento das coisas e o quão boas elas ficarão e irão acontecer. Sigam encorajados e apoiando o Spock's Beard e a mim. A música irá fluir para além de nossas expectativas.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Spocks Beard"


Mike Portnoy: os dez melhores discos de rock progressivoMike Portnoy
Os dez melhores discos de rock progressivo


Anos 80: bandas nacionais que o tempo esqueceuAnos 80
Bandas nacionais que o tempo esqueceu

Heavy Metal: as piores capas dos grandes artistas do gêneroHeavy Metal
As piores capas dos grandes artistas do gênero


adClio336|adClio336