Matérias Mais Lidas

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemIron Maiden faz mais um show da "Legacy Of The Beast World Tour"; veja setlist

imagemA definição de rock n roll segundo quem melhor entende do assunto: Mick Jagger

imagemLuciana Gimenez tentou aprender com Mick Jagger algo que não funcionou para ela

imagemMike Shinoda não está nada feliz com a interferência das redes sociais na música

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemKiko Loureiro explica efeito colateral da saída de Andre Matos que o fez crescer

imagemTodos os discos do Nightwish, do pior para o melhor, em lista da Metal Hammer

imagemMetallica vai lançar toca discos super invocado, que obviamente custará uma fortuna

imagemFernanda Lira, da Crypta, e o papo reto sobre "se falar de política vai perder fãs"

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemRockers lamentam e se enfurecem com tiroteio que resultou em 19 crianças mortas no Texas


Stamp

Em 08/08/1992: Um desastroso show conjunto do Guns N' Roses e Metallica

Por Igor Miranda
Fonte: Van do Halen

O Metallica e o Guns N’ Roses eram as duas bandas mais populares de Rock na América – e até mesmo no mundo -, graças principalmente ao sucesso dos lançamentos do "Black Album" e dos dois "Use Your Illusion", em 1991, correspondentes aos grupos citados anterior e respectivamente. Por sorte, o Metallica era uma das poucas grandes bandas do gênero que não tinham desavenças com o Guns N’ Roses (especialmente com o vocalista Axl Rose). Dessa forma, surgiu a Guns N’ Roses/Metallica Stadium Tour: uma turnê conjunta, com as duas bandas assumindo o headline, pela América do Norte. A tour durou de 17 de julho até 6 de outubro de 1992.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas não é sobre a turnê em geral que este texto fala. É sobre o seu incidente mais curioso, que ocorreu em 8 de agosto de 1992 – no Stade Olympique da cidade de Montreal, Canadá.

Durante o show do Metallica (mais precisamente na introdução da música Fade To Black), o frontman James Hetfield sofreu queimaduras de segundo e terceiro graus em seus braços, mãos, pernas, costas e rosto, principalmente na parte esquerda do corpo. O acidente, causado graças a uma confusão relacionada ao novo sistema de pirotecnia, fez com que Hetfield ficasse no local onde sairia uma chama de aproximadamente 4 metros.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

James Hetfield expondo parte da lesão
James Hetfield expondo parte da lesão

Segundo relatos dos integrantes, o ocorrido foi tão grave que James poderia ter falecido. Após Hetfield ser levado para o hospital, Lars Ulrich foi até o microfone principal e anunciou o fim do show do Metallica, passando para a próxima atração, o Guns N’ Roses. Vale ressaltar que, para o resto da turnê, o guitarrista John Marshall (Metal Church), que já havia sido roadie da banda no passado, assumiu o posto da guitarra rítmica enquanto James Hetfield se recuperava e apenas cantava nos shows. Marshall também fez isso no passado: em 1986, teve que tocar guitarra em algumas datas porque o frontman havia sofrido um acidente enquanto andava de skate.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Repertório do Metallica na noite de 08/08/1992:

01. The Ecstasy of Gold (Ennio Morricone song)
02. Creeping Death
03. Harvester of Sorrow
04. Welcome Home (Sanitarium)
05. Sad But True
06. Wherever I May Roam
07. Of Wolf and Man
08. For Whom the Bell Tolls
09. The Unforgiven
10. The Shortest Straw
11. Bass/Guitar Solos
12. Fade to Black

Acima, trecho do incêndio de James Hetfield + performance de Nothing Else Matters, com John Marshall, duas semanas após o ocorrido

Os problemas não pararam por aí. Um longo atraso precedeu a performance do Guns N’ Roses. Além dos costumeiros problemas de Axl Rose com seu relógio, o acidente anterior prejudicou a dinâmica da troca de palco. O público começava a ficar inquieto, mas a entrada da "banda mais perigosa do mundo" acalmou os ânimos dos presentes. Não por muito tempo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O início da apresentação foi tocado "na marra", pois os amplificadores de retorno não estavam devidamente programados para a banda. Ou seja, os músicos não conseguiam ouvir o que tocavam. Aparentemente, isso não foi resolvido e por volta dos 40 minutos de performance, Axl Rose alegou problemas de garganta e deixou o palco, forçando o show a acabar naquele momento. O problema com a garganta era verídico, segundo Lars Ulrich, que relatou em entrevista à MTV na época que o incômodo foi uma constante para Rose nas quatro datas anteriores.

Repertório do Guns N’ Roses na noite de 08/08/1992:

01. It’s So Easy
02. Mr. Brownstone
03. Live and Let Die (Paul McCartney & Wings cover)
04. Attitude (Misfits cover)
05. Nightrain
06. Perfect Crime
07. Bad Obsession
08. Double Talkin’ Jive
09. Civil War

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As apresentações das bandas headliners, que costumavam durar pouco mais de quatro horas, não passaram de duas horas dessa vez. Os fãs, revoltados, começaram uma confusão no local e saíram pelas ruas quebrando tudo. Carros foram virados, janelas foram quebradas e estabelecimentos comerciais foram saqueados por toda a cidade, além da tentativa de promover incêndios. Nem mesmo as autoridades de Montreal conseguiram conter o ato de vandalismo com eficácia. Além da destruição material, 13 populares e três policiais foram feridos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net



publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.