Matérias Mais Lidas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemNovo álbum do Krisiun será lançado em julho; veja capa e tracklist

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemMichael Anthony diz que "Van Halen III" foi "a coisa mais louca que a banda já fez"

imagemComo foram os últimos meses de Renato Russo e a causa da sua morte

imagemTobias Forge, do Ghost, diz que ABBA deveria receber um Prêmio Nobel

imagemBlind Guardian divulga vídeo oficial de "Blood Of The Elves"; veja aqui

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemA banda de forró que uniu Nenhum de Nós, Legião, Titãs e Paralamas na mesma música

imagemZakk Wylde relembra ídolo: "tão relevante quanto Bach, Beethoven e Mozart"

imagemMorre Andy Fletcher, tecladista e membro fundador da banda Depeche Mode


Cornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas canções

Por Marcelo Araújo
Fonte: Ogro do Metal
Em 09/03/15

Todos estão cansados de saber que o pagode carrega a sina de ser considerado o estilo preferido dos "cornos apaixonados", porém, no Rock também há relatos das derrotas protagonizadas por alguns músicos, que transformaram toda a dor (e o peso) da traição em belas canções. Confira abaixo três exemplos.

Em 1982, o guitarrista e vocalista da banda Kiss, Paul Stanley, através da canção "I Still Love You", cantou toda a sua dor pelo fim do relacionamento com a atriz Donna Dixon, que o trocou pelo ator Dan Aykroyd (Os Caça-Fantasmas). Versos como "You tell me that you're leaving, and I'm trying to understand, I had myself believing I could take it like a man, But if you gotta go, then you gotta know that's killing me" dão o tom da melancolia exposta pelo Starchild.


Em 1988, a banda Poison, lançou a música "Every Rose Has It's Thorn", e a inspiração para escrever essa "power ballad" veio através do término do relacionamento entre Bret Michaels e sua namorada, Tracy Lewis, de acordo com o que o próprio vocalista relatou em uma entrevista para o "VH1 Behind the Music".

Depois de tocar em um bar localizado em Dallas, Texas, Michaels fez uma chamada de um telefone público para o apartamento de Lewis, em Los Angeles, e ouviu uma voz masculina em segundo plano. No dia seguinte, devastado com a situação, Michaels levou seu violão para uma lavanderia e escreveu a canção em um bloquinho amarelo enquanto esperava as suas roupas ficarem secas. Quanto ao significado metafórico da rosa e do espinho no título da canção, Michaels explicou que a rosa era a sua carreira decolando, enquanto o espinho, foi o preço a se pagar pelo sucesso, o que acabou custando o seu namoro com Lewis.


Por último, deixamos essa que sempre foi (e ainda é até hoje) interpretada de forma equivocada. Em 1981, o cantor britânico Phil Collins lançou a música "In The Air Tonight", fruto do seu divórcio com a canadense Andrea Bertorelli, que o trocou por um decorador. Apesar de já ter sido negado pelo próprio músico em uma entrevista para a BBC, muitas pessoas alimentam a lenda urbana de que a canção nasceu após ele ver um homem deixando outro se afogar sem prestar socorro. O cantor de Rap, Eminem, chegou a citar esse fato na letra da canção "Stan":

"You know the song by Phil Collins, "In the Air of the Night"
About that guy who coulda saved that other guy from drownin'
But didn't, then Phil saw it all, then at a show he found him?"

Confira abaixo um excelente cover feito pelo Axel Rudi Pell.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Marcelo Araújo

Carioca da gema e fanático por música de qualidade, aprendeu a gostar de Rock aos 10 anos de idade por causa de bandas como Scorpions, Led Zeppelin e Guns N' Roses. A maior decepção foi ver uma de suas bandas preferidas, o Bon Jovi, mudar completamente de estilo e se tornar uma coisa bem chatinha de uns tempos pra cá, algo classificado como uma mistura de Sertanejo Universitário com Pop. Das bandas mais recentes, curte bastante Alter Bridge e Unisonic. Adora tudo relacionado com as curiosidades por trás das canções, álbuns e bandas, sempre escrevendo matérias a respeito desses fatos no blog Ogro do Metal.

Mais matérias de Marcelo Araújo.