Matérias Mais Lidas

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemRegis Tadeu se garante e não retira uma palavra do que disse sobre Di'Anno e Iron Maiden

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemA inesperada música do Whitesnake que serviu de inspiração para "Carry On" (Angra)

imagemHelloween divulga vídeo de "Best Time", com participação de Alissa White-Gluz

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemEpisódio de Stranger Things 4 relembra Ozzy Osbourne e a "mordida do morcego"

imagemDavid Coverdale diz que hit "Is This Love" seria gravada por Tina Turner

imagemIggor Cavalera manda ver em "Dead Embryonic Cells" ao vivo; confira drumcam

imagemAC/DC: Angus Young recorda como fazia para ouvir rock em seus tempos de garoto

imagemMetallica libera vídeo da clássica "Fight Fire With Fire" ao vivo em Belo Horizonte

imagemQuando Chorão, do Charlie Brown Jr, quase levou porrada do Rick Bonadio


Coldplay: grupo volta à maturidade sem abandonar experimentações

Resenha - Everyday Life - Coldplay

Por Victor de Andrade Lopes
Em 28/11/19

Nota: 9

Ao avaliar A Head Full of Dreams (2015), sétimo trabalho de estúdio do quarteto inglês Coldplay, eu disse que o caminho que eles haviam seguido musicalmente era sem volta. Mas parece que me enganei. É o que se conclui após ouvir Everyday Life, sucessor do disco supracitado e objeto desta resenha.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Dado à luz após uma campanha que envolveu cartazes em cidades pelo mundo todo e cartas batidas à maquina de escrever, o oitavo lançamento de estúdio deste que é um dos nomes mais populares do mundo é duplo e vem dividido em "Sunrise" e "Sunset" - respectivamente, nascer e pôr do sol.

E por que me enganei? Porque a banda mostrou total disposição para retornar a um som mais encorpado e maduro. Mesmo assim, eu reluto em chamá-lo de "volta às raízes", como alguns vêm fazendo. Este trabalho tem incursões demais em terrenos novos ou mais ligados ao som recente deles para ser comparado apenas ao início da carreira dos caras.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por exemplo, "Broken" é um gospel puro e simples e o encerramento do primeiro disco, "When I Need a Friend", também tem um clima bem religioso, só que desta vez com mais destaque para as vozes que acompanham o vocalista Chris Martin. E temos ainda "WOTW / POTP", com qualidade propositalmente abaixo do normal para indicar algo rústico e, por que não, improvisado.

"Daddy" poderia ter sido lançada no horroroso Ghost Stories por sua grande leveza, com a diferença de que é uma leveza do tipo bom, e não do tipo "fomos convidados a tocar na cerimônia de abertura da Copa do Mundo de Sono" como foi o caso do álbum supramencionado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Arabesque" é de uma finesse grande até para o padrão do grupo, mostrando-se efetivamente uma das músicas do ano, pela surpresa, pela riqueza, pelo bom gosto, enfim. Chama a atenção especificamente o ritmo marchante, o baixo pulsante e muito vivo e os providenciais metais, que vêm com um toque de Jerry Martin que nos remete à trilha sonora do jogo SimCity 4.

Já as ligações com o passado recente vêm, por exemplo, na serena e sintética "Church", que contrasta com a belíssima e puramente acústica abertura "Sunrise", levada só nas cordas.

Ou então em "Guns", que lembra "Major Minus" de Mylo Xyloto. Essa conexão com o passado contrasta com o ineditismo de conter mais palavrões por m² que toda a discografia pregressa deles.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outras canções dignas de nota incluem a boba alegre "Cry Cry Cry" e o quase instrumental "Bani Adam" que desemboca no destaque já mencionado "Champion of the World". Separando os discos, temos um interlúdio de sinos de igrejas que, por algum motivo, veio separado em seis faixas curtíssimas.

Repetindo uma tradição recente, Everyday Life tem diversas participações especiais, mas de músicos bem menos conhecidos que as figurinhas pop com quem o Codlplay estava flertando. Trata-se de um seleto grupo de profissionais de diversos locais do mundo (principalmente de países muçulmanos).

Já faz um tempo que ressalto o fato do Coldplay não ser mais rock. Essa máxima continua válida aqui, mas não digo isso mais de forma pejorativa como antes. Agora, eu digo isso pelo simples motivo de que eles atingiram algo superior a categorizações.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se eu finalizei a resenha de A Head Full of Dreams dizendo que ele nos dava "uma luz no fim do túnel quanto ao futuro da banda", posso finalizar esta dizendo que a tal luz não desapontou.

Abaixo, o lyric de "Arabesque":

Track-list:
Sunrise (disco 1)
1. "Sunrise"
2. "Church"
3. "Trouble in Town"
4. "BrokEn"
5. "Daddy"
6. "WOTW / POTP"
7. "Arabesque"
8. "When I Need a Friend"

Sunset (disco 2)
1. "Guns"
2. "Orphans"
3. "Èkó"
4. "Cry Cry Cry"
5. "Old Friends"
6. "بنی آدم"
7. "Champion of the World"
8. "Everyday Life"

Fonte: Sinfonia de Ideias
http://bit.ly/coldplay2019

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Johnny Rotten: "Radiohead e Coldplay são mercenários!"

Coldplay: as 10 melhores canções, segundo o Watchmojo

Metromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rock



Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes.