Bang: resgatando uma joia perdida do hard setentista

Resenha - Maze - Bang

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Após retornar com o controverso "Return to Zero" em 1999, o Bang soltou "The Maze" em 2004. E aqui, ao contrário do disco anterior, temos a banda soando como seus trabalhos iniciais, onde chegaram a ganhar a alcunha de "Black Sabbath norte-americano" devido ao peso e à semelhança com uma certa banda natural de Birmingham.

Uruca: Os 9 mais azarados da história do RockCradle Of Filth: Dani Filth explica seu conceito de religião

"The Maze" acaba de ser lançado pela primeira vez em edição nacional pelas mãos da Hellion Records e traz quinze faixas espalhadas por pouco mais de uma hora. O álbum estava fora de catálogo até no exterior, assim como o anterior, e esse resgate do grupo tem importância para repercutir não apenas entre colecionadores brasileiros, mas também de todo o mundo.

Contando com Frank Ferrara (vocal e baixo), Frank Gilcken (guitarra), Rick Bowen (teclado) e Mark Vaquer (bateria) - Ferrara e Gilcken são integrantes originais -, o Bang fez um disco na medida pra quem curte a sonoridade poeirenta do rock pesado produzido durante a década de 1970. O som é calcado em riffs de guitarra enquanto melodias e harmonias pontuam todo o trabalho, e a produção "na cara" imprime um ar de autenticidade totalmente alinhado com o rock and roll cru, pesado e direto ao ponto dos caras.

O disco traz uma nova versão para "RTZ", do álbum anterior, aqui bem mais energética, e também releituras para "Bow to the King" (originalmente no segundo disco, "Mother / Bow to the King", de 1972) e "Love Sonnet" (single gravado a época do terceiro disco da banda, "Music", de 1973). E para os fãs do primeiro álbum do então trio - o cult "Bang" (1971) -, canções como "413" caem como uma luva. Aliás, a semelhança entre o riff dessa faixa e de "The Queen", do debut, não é mera coincidência.

"The Maze" é um disco interessante e essa edição nacional da Hellion Records é histórica, pois resgata um álbum que nunca havia saído no Brasil e que está fora de catálogo no exterior há 15 anos, desde o seu lançamento.

Se você é fã de hard dos anos 1970 e coleciona itens do gênero, imperdível!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Bang"


Uruca: Os 9 mais azarados da história do RockUruca
Os 9 mais azarados da história do Rock

Cradle Of Filth: Dani Filth explica seu conceito de religiãoCradle Of Filth
Dani Filth explica seu conceito de religião

Religião: Top 10 citações sobre Deus e o DiaboReligião
Top 10 citações sobre Deus e o Diabo

The Voice: candidato faz power metal cantado em portuguêsGuitar World: os 100 piores solos de guitarra da históriaMúsica Brasileira: Quais os discos mais vendidos da história?Ghost: reagindo à roupa de Papa usada por Rihanna em evento

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336