RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemDavid Coverdale relembra parceria com Jimmy Page, e fala sobre relançamento

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAlém do Moonspell, São Paulo Metal Fest anuncia Beyond Creation em seu cast

imagemAngra parabeniza a aniversariante Sandy nas redes sociais

imagemJimmy Page sobre o "Presence": "Não se faz músicas como aquelas caindo de bêbado"

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março


Stamp

Anthrax: Em 2004, John Bush mostrava quem manda

Resenha - Greater Of Two Evils - Anthrax

Por Mateus Ribeiro
Postado em 05 de julho de 2019

Nota: 9

É um pouco esquisito fazer uma resenha sobre uma coletânea, mas no caso de "The Greater Of Two Evils", do Anthrax, é mais do que válida a tentativa. Afinal de contas, não se trata apenas da compilação de antigos sucessos em um único lançamento, mas sim, da regravação de músicas que fizeram o Anthrax grande, mas cantadas em outra voz.

O excepcional John Bush (Armored Saint) colocou sua voz em clássicos outrora gravados por Neil Turbin e Joey Belladonna. Longe de qualquer romantismo dos fãs mais radicais, é quase uma unanimidade que Bush coloca ambos (que são ótimos vocalistas também) no chinelo, principalmente por ser mais versátil. E apesar do apego que alguns possuem com a fase inicial da banda, é inegável que com Bush nos vocais, o Anthrax ganhou muitas alternativas. Apenas a título de curiosidade, basta ver quantas músicas da fase Bush são cantadas por Belladona. Pois bem...

Falando sobre o disco, a proposta é simples: colocar roupa nova em músicas que fizeram o Anthrax se tornar um dos nomes mais conhecidos do thrash metal mundial. É claro que a diferença de quase duas décadas entre as gravações favorece o álbum gravado em 2005, mas tem que ser muito imbecil para achar que apenas por isso as versões ficaram ótimas.

Não há dúvidas que John Bush ajudou o Anthrax a se reinventar durante um período que o metal não estava tão em alta, e mesmo com todas as dificuldades que a banda passou no final dos anos 90, não dá para negar a importância de seus trabalhos, muito menos seu alcance vocal.

É justamente no poder da voz de John que está a cereja do bolo. Apesar da ótima produção e do trampo incrível dos demais músicos, o vocal mudou a cara das músicas. Eu não sou nenhum idiota de esquecer do mérito das composições originais, mas o "punch" das regravações é algo avassalador.

Desde o início, com "Deathrider", passando pelas ótimas "Among The Living", "Indians", "Keep It In The Family","A.I.R.", "Madhouse", "Efilnikufesin", "Belly Of The Beast" e "Caught In A Mosh", é impossível não se impressionar com o peso, groove e lapidação que esses verdadeiros hinos ganharam. Outro ponto alto do álbum é "Lone Justice", faixa escondida, que é uma baita de uma "bonus track", e encerra o disco de maneira muito honrosa.

Como nem tudo é tão perfeito, pouco tempo depois o casamento entre Anthrax e Bush acabou, ocasionando, entre inúmeras idas e vindas, o retorno definitivo de Belladonna, que ocupa com muita segurança o posto de vocalista até os dias de hoje.

Seja como for, "The Greater Of Two Evils" fica como a despedida de agluém que fez um grande trabalho e mostrou para os radicais que mudar faz bem.

Ano de lançamento: 2004

Faixas:

"Deathrider"
"Metal Thrashing Mad"
"Caught in a Mosh"
"A.I.R."
"Among the Living"
"Keep It in the Family"
"Indians"
"Madhouse"
"Panic"
"I Am the Law"
"Belly of the Beast"
"Efilnikufesin (N.F.L.)"
"Be All, End All"
"Gung-Ho"
"Lone Justice"

Formação:

John Bush: vocal
Rob Caggiano: guitarra
Scott Ian: guitarra
Frank Bello: baixo
Charlie Benante: bateria


Outras resenhas de Greater Of Two Evils - Anthrax

Resenha - Greater Of Two Evils - Anthrax

Resenha - Greater of Two Evils - Anthrax

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze

Iron Maiden: As top 10 da banda segundo Scott Ian, do Anthrax


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Mateus Ribeiro

Fã de Ramones, In Flames e Soilwork. Ouve (quase) tudo, desde rock clássico até black metal.
Mais matérias de Mateus Ribeiro.