Soilwork: em 2003, o trabalho definitivo da banda

Resenha - Figure Number Five - Soilwork

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

"Figure Number Five" é o quinto álbum de estúdio da banda sueca Soilwork, que começou fazendo um death metal melódico rápido, veloz e muito técnico, e que foi evoluindo com o passar dos anos.

Separados no nascimento: Steven Tyler e Márcia GoldsmichThrash Metal: 10 novas promessas - incluindo uma brasileira

Depois de três bons lançamentos, o ótimo "Natural Born Chaos", lançado em 2002, fez com que o nome da banda se consolidasse na Europa. Porém, foi com seu sucessor, o excelente "Figure Number Five", que o Soilwork saiu da Europa para se tornar uma banda conhecida mundialmente.

Lançado em 22 de abril de 2003, o disco foi o primeiro a contar com composições do tecladista Sven Karlsson, e possivelmente, foi por isso que "Figure Number Five" é o disco da banda onde mais se nota a influência do teclado. Porém, a composição da maioria esmagadora das músicas tem nome e sobrenome: Peter Wichers, ex guitarrista da banda, e o principal compositor de parte dos maiores sucessos do Soilwork.

O disco mostra certa influência de ritmos mais alternativos, além do que, foram utilizados sintetizadores e até mesmo efeitos eletrônicos. É claro, óbvio e evidente que alguns fãs começaram a torcer o nariz para o trabalho da banda, e chegaram até mesmo a falar que o Soilwork estava fazendo um som mais comercial (como se isso fosse algo ruim, mas deixemos isso pra lá).

A primeira música, "Rejection Role", é perfeita para se abrir um disco, e sua levada gruda na cabeça logo na primeira audição. Vale a pena destacar o vídeo da música, muito divertido, e com referências ao vídeo de "Trigger", do In flames, lançado um ano antes.

Outros grandes destaques do disco são: "Overload" (riffs e refrão marcantes", a nervosa faixa título", "Departure Plan" (a primeira balada da banda), "Brickwalker" (uma das canções mais subestimadas da carreira da banda), e "Distortion Sleep", que tem um dos refrãos mais legais já escritos pela banda.

É inegável que após o lançamento de "Figure Number Five" o Soilwork subiu de patamar. A banda mostrou que não ficaria parada no tempo, e utilizou da melhor maneira possível todas as influências modernas da época para tornar o seu som mais rico e agradável. Se perdeu alguns fãs mais antigos, certamente trouxe muitos novos seguidores (inclusive este que vos escreve). Até hoje, talvez seja ao lado de "The Panic Broadcast" o disco que melhor conciliou o peso e a melodia no processo de composição da banda.

Se você conhece a banda, certamente ama "Figure Number Five". Se não conhece, aproveite o mês dos Namorados e dê uma chance, quem sabe você não se apaixona?

Ano de lançamento: 2003

Formação

Björn "Speed" Strid: vocal
Peter Wichers: guitarra
Ola Frenning: guitarra
Ola Flink: baixo
Sven Karlsson: teclado
Henry Ranta: bateria

Faixas

1 - "Rejection Role"
2 - "Overload"
3 - "Figure Number Five"
4 - "Strangler"
5 - "Light The Torch"
6 - "Departure Plan"
7 - "Cranking the Sirens"
8 - "Brickwalker"
9 - "The Mindmaker"
10 - "Distortion Sleep"
11 - "Downfall 24"


Outras resenhas de Figure Number Five - Soilwork

Resenha - Figure Number Five - SoilWorkResenha - Figure Number Five - Soilwork




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Soilwork"


Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia

Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2002Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2002


Separados no nascimento: Steven Tyler e Márcia GoldsmichSeparados no nascimento
Steven Tyler e Márcia Goldsmich

Thrash Metal: 10 novas promessas - incluindo uma brasileiraThrash Metal
10 novas promessas - incluindo uma brasileira

Overkill: mandando recado ao Avenged SevenfoldOverkill
Mandando recado ao Avenged Sevenfold

Death On Two Legs: a declaração de ódio de Freddie MercuryDeath On Two Legs
A declaração de ódio de Freddie Mercury

Serguei a Morrison: Os estranhos relacionamentos de Janis JoplinSerguei a Morrison
Os estranhos relacionamentos de Janis Joplin

Guns N' Roses: Without You, o conto de Del JamesGuns N' Roses
"Without You", o conto de Del James

Steve Terreberry: 10 guitarristas que seguram a palheta de forma bizarraSteve Terreberry
10 guitarristas que seguram a palheta de forma bizarra


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336