HIM: fundadora e expoente de um estilo único, o "Love Metal"

Resenha - Love Metal - HIM

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Para quem não conhece, o HIM (sigla para His Infernal Majesty) foi uma banda finlandesa que misturou com maestria Heavy Metal, Hard Rock, Gothic Rock e Gothic Metal, além uma atmosfera sombria. As letras falavam sobre amor, morte e romance. O visual exagerado dos integrantes da banda, a voz peculiar de Ville Valo e a temática lírica transformaram o HIM em um fenômeno único até os dias atuais. Toda essa mistura fez com que a banda se tornasse fundadora e principal expoente de um estilo único, o "Love Metal", que também é o nome do quarto disco de estúdio da banda, e é sobre ele que falarei um pouco.

Legião Urbana: O dia em que Renato calou a plateia do Programa LivreMetallica: a lista de exigências da banda em 1983

"Love Metal" foi lançado em abril de 2003, e é o disco mais simbólico do HIM. O trabalho conta com grandes clássicos da carreira da banda, como "Buried Alive By Love", "The Funeral Of Hearts, "Soul On Fire" "The Sacrament".

O disco é um resumo perfeito de tudo o que caracteriza a banda: influências de nome como Anathema, Sentenced e outros nomes do metal noventista, tudo com um tempero até mesmo "pop", o que tornava o som da banda um "gótico acessível", com algumas músicas que poderiam facilmente tocar em rádios FM do Brasil, como a ótima "Beyond Redemption", uma das mais "pesadas" do disco (pesada para os padrões do HIM, se você não conhece, não espere ouvir algo parecido com um disco de Death Metal).

O ponto que mais chama a atenção neste disco é o contraste entre o romantismo e a melancolia, que por vezes, ganha tons de morbidez, como na já citada "The Funeral Of Hearts" e na estupenda "Circle Of Fear". Esse clima toma conta do álbum todo, e no final das contas, acaba prendendo a atenção do ouvinte, seja ele fã ou não.

Deve se também prestar atenção nas letras. Não se deixe enganar pelo título: você não vai encontrar declarações de amor ao ouvir um disco, tampouco músicas para postar nas redes sociais em Dia dos Namorados.

Um disco consistente, sólido, e muito autêntico. E até os dias de hoje, após algumas tentativas de cópia, nenhuma banda conseguiu chegar perto do que foi escrito em "Love Metal", clássico maior do estilo homônimo.

Para finalizar, vocês devem imaginar que a banda causou certa polêmica entre a turminha da pesada. De fato, causou uma relação "oito ou oitenta", sem meio termo. Ou você amava o HIM, ou odiava. Independente do "time" que você fazia (ou faz) parte é importante respeitar o legado da banda, que mesmo contra a vontade dos headbangers mais "Truezera", foi original a ponto de criar um estilo, o que é digno de honra, ainda mais em um universo onde tudo se copia.

"Love Metal" é um disco que mexe com quem o ouve, seja para o bem, seja para o mal.Se conhece, vale a pena ouvir de novo . Se você não conhece, ouça. Mas vá com a cabeça e o coração abertos, para não se assustar.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "HIM"


Ramones: bandas de metal que já gravaram versões da bandaRamones
Bandas de metal que já gravaram versões da banda

Memoráveis como a música: os 25 melhores logos de bandasMemoráveis como a música
Os 25 melhores logos de bandas


Legião Urbana: O dia em que Renato calou a plateia do Programa LivreLegião Urbana
O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

Metallica: a lista de exigências da banda em 1983Metallica
A lista de exigências da banda em 1983


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGoo336