Matérias Mais Lidas

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemDez ótimas músicas do Iron Maiden escritas pelo agitado guitarrista Janick Gers

imagemRegis Tadeu se garante e não retira uma palavra do que disse sobre Di'Anno e Iron Maiden

imagemQuando Chorão, do Charlie Brown Jr, quase levou porrada do Rick Bonadio

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagemA opinião de Herbert Vianna sobre a crítica musical e sua imagem de "bom moço"

imagemA inesperada música do Whitesnake que serviu de inspiração para "Carry On" (Angra)

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemA "traumática" e "desagradável" experiência de ser preso, segundo Arnaldo Antunes

imagemAC/DC: Angus Young recorda como fazia para ouvir rock em seus tempos de garoto

imagemThe Rolling Stones: 5 músicas para provar que Mick Taylor é um gênio

imagemNando Reis: Como falta de luz e jogo de cartas inspiraram arranjo de "Malandragem"

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemRafael Bittencourt interpreta "Supera", de Marília Mendonça, com vocal da Malvada


Overkill: Years of Decay soa como se tivesse sido lançado ontem

Resenha - Years of Decay - Overkill

Por Leandro Fernandes
Em 09/06/17

Nota: 9

Todos nós sabemos que o Overkill tem uma grande importância no cenário do Metal Mundial e mais precisamente dentro do Thrash Metal, pode-se considerar até um pouco injustiçada em certos momentos de sua carreira. A banda encerrou a década de 80 em grande estilo, dando ao mundo o diversificado "The Years of Decay" de presente aos amantes de um som rápido, direto e pesado.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Passados 28 anos após seu lançamento, o disco soa como se tivesse sido lançado ontem. Aqui se encontra uma verdadeira aula de Thrash, Heavy, Speed e chega até mesmo se esbarrar de forma suave em um Doom. O potente e alinhado vocal de Bobby se encaixa perfeitamente aos riffs e cozinha (esse baixo é de arrepiar!). Aqui se encontra muita técnica, entrosamento e agressividade, "Time to Kill" que abre o disco, explica muito bem essa parte de entrosamento, a sincronia é algo incrível.

"Elimination" é empolgante pelo refrão "grudento" e o Speed Metal escancarado do início ao fim, diferente de "I Hate" que se mostra mais técnica e mais direta na proposta. "Nothing to Die For" possui um riff matador assim como os vocais que possuem uma técnica acima do demonstrado nas anteriores, mostra-se uma faixa completa e alinhada em tudo, grande destaque do álbum e uma das melhores.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

A "saraivada" de riffs que o disco possui (não só isso, mas a obra por completo) é digna de deixar o mesmo nas cabeças como um dos grandes do estilo e "Birth of Tension" dá uma excelente aula de como agredir ouvidos de uma forma indolor, possui um belo e trabalhado solo. "Who Tends the Fire" é algo a parte das demais, se mostra mais trabalhada e técnica devido a "calmaria" imposta mas com um peso Overkill de ser. A faixa título "The Years of Decay" procura seguir a mesma linha da anterior só que de uma forma mais melódica e introspectiva mas sempre com muito peso e agressividade nos vocais que progride a cada instante.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Finalizando com "Evil Never Dies", resolveram voltar da forma que iniciara o disco, agressividade, velocidade e peso, muito peso, fazendo com que o disco realmente é hoje: um verdadeiro petardo do Thash Metal. Em meio a grandes discos lançados no mesmo de bandas como Sepultura, Morbid Angel e Testament, o Overkill também deu a sua contribuição e seu recado, se firmando no mesmo patamar.

Banda:
Bobby "Blitz" Ellsworth – Vocal
D. Verni – Baixo
Bobby Gustafson — guitarra
Sid Falck — bateria

Músicas:
1. Time to Kill
2. Elimination
3. I Hate
4. Nothing to Die For
5. Playing With Spiders/Skullkrusher
6. Birth of Tension
7. Who Tends the Fire
8. The Years of Decay
9. E.vil N.ever Dies

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


2000 a 2002: 10 shows/turnês pouco comentados



Sobre Leandro Fernandes

Conheci o rock em 1992, tendo o primeiro disco do Iron Maiden. Com o passar dos anos me apeguei ao rock progressivo e tenho bandas como Pink Floyd, Jethro Tull, Rush e Uriah Heep sendo as favoritas. Profissional da área de T.I, casado e uma filha. Sempre buscando conhecimento no rock/metal em geral.

Mais matérias de Leandro Fernandes.