RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemDeep Purple: David Coverdale revela quem quis como substituto de Ritchie Blackmore

imagemAndi Deris tem problemas de saúde e shows do Helloween são adiados

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagem"Quem não gosta de Beatles bom sujeito não é", diz João Gordo

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemProdutor da turnê de Paul Di'Anno explica problemas no primeiro show

imagemVocalista do Fleshgod Apocalypse é pedida em casamento durante show da banda

imagemO motivo nada musical que fez Bruce Dickinson querer se juntar aos hippies

imagemZelador viraliza após incrível semelhança com voz de Steve Perry em "Don't Stop Believin'"

imagemTony Iommi conta quais são os riffs preferidos que ele escreveu

imagemShane Hawkins, filho de Taylor Hawkins, ganha prêmio de melhor performance do ano

imagemEm disputa acirrada, fãs batem recorde e elegem melhores discos de metal de 2022

imagemEloy Casagrande repete o feito sendo eleito melhor baterista de metal do mundo

imagemPaul Stanley sabia que seria um rockstar desde a sua juventude


Aversions Crown: Exarando brutalidade em novo álbum

Resenha - Xenocide - Aversions Crown

Por Junior Frascá
Postado em 17 de março de 2017

Nota: 9

A primeira coisa que há a dizer sobre "Xenocide", o novo álbum do AVERSIONS CROWN, é que a banda conseguiu criar o que talvez seja um dos discos mais brutais do deathcore! Sim, meus amigos, o THY ART IS MURDER já havia conseguido quebrar vários paradigmas do estilo com "Holy War", mas aqui a coisa é elevada para níveis ainda maiores.

Desde a primeira faixa, "Void", até a última, "Odium", não há descansos por aqui. O ouvinte é levado por uma viagem agressiva e brutal, como se levasse um soco no estômago em cada levada, cada andamento aqui presente. E tudo isso com um nível técnico absurdo, com um instrumental coeso, cheio de variações, e o uso de ótimas melodias.

Porém, o que prevalece é a velocidade, com os blast beats comendo solto, embora existam diversos (e muito bem encaixados) breakdowns por aqui, além de um clima épico de chaos que permeia todo o interregno de "Xenocide".

E um dos instrumentos que mais chama a atenção é o baixo, que confere um peso ainda mais cavalar às composições, sendo plenamente audível aqui, com uma timbragem excelente.

As linhas vocais também são extremas, com guturais que diversas vezes remetem aos insuportáveis pig squeals (para mim o único defeito do material).

A ótima qualidade de gravação, e a belíssima arte gráfica também são pontos a favor do material, do qual inclusive é impossível se indicar destaque, tamanha a homogeneidade entre as faixas.

Por isso, trata-se de um trabalho altamente indicado para todos os fãs de metal extremo, mesmo para aqueles que por algum motivo possuíam algum preconceito contra o deathcore, poisa surpresa será grande.

Sem dúvida um marco na história do deathcore, que será visto como "Panzer Division Marduk", do MARDUK é para o Black metal, ou "Conquerous of Armageddon", do KRISIUN, é para o death metal. Ouça e comprove. Mas fica o aviso, vá preparado...

Xenocide – Aversions Crown
(2017 – Shinigami Records)

1. Void
2. Prismatic Abyss
3. The Soulless Acolyte
4. Hybridization
5. Erebus
6. Ophiophagy
7. The Oracles of Existence
8. Cynical Entity
9. Stillborn Existence
10. Cycles of Haruspex
11. Misery
12. Odium


Outras resenhas de Xenocide - Aversions Crown

Resenha - Xenocide - Aversions Crown

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.
Mais matérias de Junior Frascá.