In Flames: Voltando mais pesado que no disco anterior

Resenha - Battles - In Flames

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

Como disse na resenha do álbum anterior do IN FLAMES, "Siren Charm", a banda, principal precursora do death metal melódico sueco, cresceu muito e angariou uma legião de fãs mundo afora, conseguindo um contrato com uma major, e tendo mudado sua sonoridade. E mudou tanto que muitos dos antigos fãs sequer reconhecem na banda qualquer semelhança com o antigo IN FLAMES, que revolucionou a cena do metal extremo em meados dos anos 90. E digo novamente, caro amigo leitor, você tem duas opções ao ouvir os novos álbuns dos caras: compará-los com os primórdios da banda (e, já adianto, se decepcionar miseravelmente), ou procurar escutá-los com a mente aberta, e procurar vislumbrar o que essa nova fase tem a oferecer.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em "Battles", 12° disco da banda, temos um pouco mais de peso que no álbum anterior, com os elementos mais metálicos flertando com vários experimentalismos, inclusive com diversas influências mais comerciais, o que torna o som da banda, sem dúvida nenhuma, mais acessível, porém sem deixar de lado suas raízes na música pesada.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Enfim, é claramente uma fase da banda que visa um mercado mais abrangente, inclusive o mercado norte americano.

A produção limpa e cristalina de Howard Benson e Mike Plotnikoff colabora também para esse clima mais comercial do trabalho, sendo uma das melhores qualidades sonoras já conseguidas pela banda em todos os anos de carreira.

Embora existam aqui diversos riffs metálicos bem interessantes, e resquícios de vocais mais guturais por parte de Andres Fridén, como na trinca de abertura, formada pelas ótimas "Drained", "The End" e "Like Sand", e em "Under My Skin" e "Through My Eyes", a tendência maior aqui é algo mais variado e introspectivo, com melodias fortes, soturnas e energéticas, refrãos pegajosos e arranjos muito bem construídos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"In My Room" (que tem um belíssimo solo), "Save Me" e "Battles", são exemplos de faixas experimentais bem interessantes, retratando bem essa nova fase do IN FLAMES.

Vale mencionar que, em todo o álbum, o trabalho de vozes chama a atenção, com diversos coros sobrepostos, muito bem encaixados, como nunca usados anteriormente pela banda, e fazendo toda a diferença por aqui.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A versão nacional do álbum, lançada pela Shinigami Records, traz ainda dois bônus, "Greatest Greed" e "Us Against the World"

Portanto, não adianta comparar "Battles" com clássicos como "Clayman", "Colony" ou "Soundtrack to Your Escape", até porque hoje a proposta da banda é outra, e a banda tem todo o direito de mudar (e você de não gostar!). Mas se você estiver disposto a ouvir o trabalho com a mente aberta, sem comparar com o passado, certamente encontrará um trabalho viciante, que tem seus tropeços mas, no geral, exara música de qualidade, independente de estilos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Battles – In Flames
(2014 – Shinigami Records)

Tracklist:

1. Drained
2. The End
3. Like Sand
4. The Truth
5. In My Room
6. Before I Fall
7. Through My Eyes
8. Battles
9. Here Until Forever
10. Underneath My Skin
11. Wallflower
12. Save Me
Bônus:
13. Greatest Greed
14. Us Against the World


Outras resenhas de Battles - In Flames

In Flames: Battles é uma batalha contra o passado

In Flames: Não temos um retorno às raízes e nem nada parecido




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Playlist: 50 músicas de bandas de metal que poderiam tocar em rádios FMPlaylist
50 músicas de bandas de metal que poderiam tocar em rádios FM

Metal Hammer: os 20 melhores discos lançados no ano 2000Metal Hammer
Os 20 melhores discos lançados no ano 2000

Loudwire: 13 bandas de rock e metal que não possuem nenhum integrante originalLoudwire
13 bandas de rock e metal que não possuem nenhum integrante original

In Flames: todas as faixas de abertura, da mais fraca para a mais matadoraIn Flames
Todas as faixas de abertura, da mais fraca para a mais matadora

Eddie Van Halen: guitarristas de Testament, In Flames e outras bandas prestam homenagensEddie Van Halen
Guitarristas de Testament, In Flames e outras bandas prestam homenagens

Pabllo Vittar: de Death a Immortal, veja 8 camisetas de metal que a drag já usouPabllo Vittar
De Death a Immortal, veja 8 camisetas de metal que a drag já usou

Quadrinhos: qual banda de rock os heróis da DC ouviriam?Quadrinhos
Qual banda de rock os heróis da DC ouviriam?

The Agonist: vocalista Vicky Psarakis grava cover de "Only for the Weak", do In Flames

Em 03/09/2002: In Flames mudava radicalmente sua trajetória com Reroute To Remain

Metal Hammer: os melhores discos de rock e metal lançados em 2002Metal Hammer
Os melhores discos de rock e metal lançados em 2002


Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia

In Flames: conheça o 2112, bar dos membros do grupoIn Flames
Conheça o 2112, bar dos membros do grupo


Separados no nascimento: Phil Lynott e TiriricaSeparados no nascimento
Phil Lynott e Tiririca

Vocalistas: cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy MetalVocalistas
Cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy Metal


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336 Cli336 Goo336 Goo336