Matérias Mais Lidas

imagemIron Maiden faz mais um show da "Legacy Of The Beast World Tour"; veja setlist

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemA definição de rock n roll segundo quem melhor entende do assunto: Mick Jagger

imagemKiko Loureiro explica efeito colateral da saída de Andre Matos que o fez crescer

imagemMetallica vai lançar toca discos super invocado, que obviamente custará uma fortuna

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagem"Eu realmente não tenho fé na humanidade", diz Schmier, vocalista do Destruction

imagemIrmãos Cavalera tocam "Beneath The Remains" em show nos EUA; assista vídeo

imagemTodos os discos do Nightwish, do pior para o melhor, em lista da Metal Hammer

imagemRockers lamentam e se enfurecem com tiroteio que resultou em 19 crianças mortas no Texas

imagemO dia que os membros do Black Sabbath foram amaldiçoados por uma seita satânica

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden


In Flames: Não temos um retorno às raízes e nem nada parecido

Resenha - Battles - In Flames

Por Fabio Reis
Em 21/12/16

O In Flames surgiu no início dos anos 90 e foi um dos grandes pioneiros do Death Metal melódico, de lá pra cá muita coisa aconteceu e apesar do grupo ter emplacado diversos discos clássicos nesse segmento, à partir da virada do século a banda resolveu dar uma guinada em sua carreira e a musicalidade mais tradicional contida em álbuns como "Whoracle" (1997) e "Colony" (1999), foi substituída por uma sonoridade moderna que desagradou grande parte dos fãs mais antigos.

É interessante mencionar que o Death Metal melódico que os suecos do In Flames ajudaram a elaborar, influenciou diretamente no estilo conhecido como Metalcore - uma espécie de junção do Metal com o Hardcore - surgido nos Estados Unidos, porém, de influente o In Flames se tornou influenciado pelo novo gênero e toda a mudança no som original da banda vem justamente desse fato.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Com foco em conquistar o mercado norte americano, o grupo se adaptou, mudou da água pro vinho, trocou a sua base de fãs e lançou trabalhos bem experimentais. Muitas críticas foram feitas a tais registros e uma série de erros e acertos aconteceram desde então. "Battles", a nova empreitada, sucede o disco considerado como o auge de toda essa mudança, o aclamado por muitos e odiado por tantos outros "Siren Charms" (2014).

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A diferença entre os dois é gritante, a veia Dark e até mesmo Industrial do trabalho anterior foi substituída por composições que mesmo mantendo uma linha bem comercial, soam muito mais pesadas e são detentoras de ótimos riffs, além de refrões de fácil assimilação. Pode-se dizer que a banda consegue finalmente equilibrar a fórmula adotada nos últimos anos com algumas referências a seus antigos discos e o resultado é bem satisfatório.

Obviamente não temos um retorno às raízes e nem nada parecido com isso, mas sim uma seleção de músicas que devem agradar aquele ouvinte que possua uma mente mais aberta e não espere que a banda simplesmente repita seus melhores momentos. Temos em "Battles", um In Flames que parece ter se encontrado novamente e a mudança que começou em 2002 com "Reroute To Remain", finalmente tem um desfecho, já que essa parece ser a sonoridade que o grupo tanto buscou.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Como destaque, temos as faixas "Drowned", com um clima denso e boas variações rítmicas, "The End" possui riffs muito bons e assim como em "The Thruth", evidencia os refrões grudentos, "Through My Eyes" é a mais veloz e talvez, a que mais se assemelhe ao velho In Flames. Ainda chamam a atenção "Underneath My Skin" e "Wallflower", ambas cadenciadas e detentoras de partes instrumentais muito interessantes.

Este é o primeiro registro desde 1997 que não conta com a presença do baterista Daniel Svensson e para substituí-lo, foi escolhido Joe Rickard (ex-Red e Starset). Com uma performance discreta, porém competente, o músico não compromete de maneira alguma o trabalho e demonstra ter sido uma escolha acertada. Outro que faz o básico é o baixista Peter Iwers, deixando as ressalvas positivas para a dupla de guitarristas formada por Björn Gelotte e Niclas Engelin. Ambos se mostram bem inspirados e só não superam a performance do vocalista Anders Fridén, que certamente é o ponto alto do álbum com excepcionais alternâncias entre timbres rasgados e limpos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A produção de "Battles" ficou a cargo de Howard Benson (Halestorm, Sepultura, Motorhead e Apocalyptica), o disco foi gravado no West Valley Studios (Califórnia) e lançado via Nuclear Blast. A versão nacional do CD é um lançamento da Shinigami Records, que ainda traz duas bonus tracks, "Greatest Greed" e "Us Against The World".

Integrantes:

Anders Fridén (vocal)
Björn Gelotte (guitarra)
Niclas Engelin (guitarra)
Peter Iwers (baixo)
Joe Rickard (bateria)

Faixas:

1. Drained
2. The End
3. Like Sand
4. The Truth
5. In My Room
6. Before I Fall
7. Through My Eyes
8. Battles
9. Here Until Forever
10. Underneath My Skin
11. Wallflower
12. Save Me


Outras resenhas de Battles - In Flames

Resenha - Battles - In Flames

Resenha - Battles - In Flames

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Suécia: 25 grandes bandas de metal que surgiram no país escandinavo

Pabllo Vittar: Com camiseta do In Flames no programa de Tatá Werneck



Sobre Fabio Reis

Paulista, 32 anos, Editor do Blog Mundo Metal, fã de Rock Clássico e Diversos subgêneros do Metal. Banda favorita: Megadeth. Conheceu o Rock ainda quando criança por intermédio dos pais (amantes de Beatles) e com 11 anos já ia na galeria do Rock comprar seus primeiros LP's, desde sempre fez do Metal seu estilo de vida e até os dias de hoje essa paixão pela música só aumenta.

Mais matérias de Fabio Reis.