Matérias Mais Lidas

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemJoão Gordo diz que não torce pela seleção brasileira de futebol

imagemNovo clipe do Megadeth foi filmado no litoral de São Paulo, veja fotos

imagemTravis Barker, do Blink-182, é hospitalizado às pressas e filha pede orações

imagemMike Portnoy e a música do Rush que virou um grande sucesso do Guns N' Roses

imagemAvenged Sevenfold e o álbum do Guns N' Roses que deveria ser mais valorizado

imagemDave Mustaine, eufórico, compara James LoMenzo com Cliff Burton

imagemCinco nomes do heavy metal que já gravaram músicas do ABBA

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais

imagemCuecão de couro: Rob Halford posa com suas "great balls of fire" em camarim


Melanie Klein: Não é psicanálise, mas é uma "doidera" pura

Resenha - Análise do Caos - Melanie Klain

Por Junior Frascá
Em 06/09/16

Nota: 8

Melanie Klein foi uma psicanalista austríaca, falecida em 1960, da era pós-freudiana, tendo sido responsável pela criação da teoria Kleiniana da psicanálise, que não vem ao caso aqui comentar. Todavia, embora tratemos aqui de música, talvez tenhamos que nos socorrer da referida ciência para entender um pouco da sonoridade "maluca" do quinteto que em seu nome homenageia a senhora acima citada.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Isso porque Duzinho (vocal), Viola (guitarra solo), Chapolim (guitarra base, arranjos e backing vocals), Vick (baixo) e Pedro (bateria) resolveram inovar quando criaram a banda, pois tudo aqui foge dos padrões pré concebidos dos diversos estilos da música, não só do rock. Há elementos que vão do funk (o original) ao thrash metal, do hardcore e punk ao soft rock, sendo impossível classificar o som da banda dentro de algum subgênero já existente.

E mesmo com essas vastas influências, e o clima de inquietação que permeia o trabalho, é possível perceber que a banda tem uma identidade sonora, lapida por uma temática lírica ácida, com letras inteligentes (a abertura com "Desrespeitável Público" mostra bem o que se seguirá dali para frente) e muito bom gosto nas composições.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Abençoados por Deus" e "Diálogo", por exemplo, são faixas que trazem bem clara a diversidade sonora da banda, com várias mudanças de andamento, muito peso, e linhas vocais que variam entre o falado e o cantado, o lírico e o gutural, de forma bem natural.

E assim como a banda traz faixas mais experimentais, como "Fé Cega", "Reflexão" (que letra!) e "Cartas de Um Suicida", que representam verdadeiros monólogos, sendo soturnas e pessimista, temos porradas ultra agressivas, como "Lavagem Cerebral" e "Guerra", que fazem cair o queixo de que curte thrash metal e hardcore.

E, além disso, temos aqui uma ótima produção, feita por Fabio Dias e pela própria banda, que fazem de "Análise do Caos" uma excelente estréia, de uma banda que tem todos os predicados para conseguir um lugar de grande destaque na cena.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Análise do Caos - Melanie Klain
(Independente - 2016)

1. Desrespeitável Publico
2. Abençoados por Deus
3. Diálogo
4. Fé Cega
5. Guerra
6. Marcas do Abandono
7. Lavagem Cerebral
8. Cartas de um Suicida
9. Colera-Nação
10. Rede Social
11. Análise do Caos
12. Reflexão


Outras resenhas de Análise do Caos - Melanie Klain

Resenha - Análise Do Caos - Melanie Klain

Resenha - Análise do Caos - Melanie Klain

Resenha - Análise do Caos - Melanie Klain

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá.