Matérias Mais Lidas

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemVocalista do Gwar diz que integrantes do Maiden são "um bando de velhas britânicas"

imagemAdrian Smith e a volta ao Maiden: "queriam o Bruce e já tinham dois guitarristas"

imagemJonathan Davis, do Korn, explica qual seu problema com o Cristianismo

imagemVangelis, compositor de cinema e lenda do prog rock grego, morre aos 79 anos

imagemDez músicas muito legais do Iron Maiden que não são cantadas por Bruce Dickinson

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemO segredo da longevidade do baixista do Guns N' Roses tem inspiração nos Stones

imagemTico Santta Cruz sai em defesa de Juliette na polêmica com Samantha Schmutz

imagemJames LaBrie fala sobre a possibilidade de trabalhar novamente com Mike Portnoy

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemClassic Rock lista 15 músicas do saudoso Chris Cornell que você precisa conhecer

imagemComo o Lollapalooza desmereceu Ozzy Osbourne e ele deu a volta por cima

imagemStratocaster: A espada dos deuses

imagemPhil Campbell conta como era fácil "comprar" Lemmy pra fazer qualquer coisa


PRB

Melanie Klain: Um estilo único e quase impossível de ser rotulado

Resenha - Análise do Caos - Melanie Klain

Por Fabio Reis
Em 19/04/16

Cena nacional. Tema que sempre causa discussões e discordâncias. Enquanto algumas pessoas (e me incluo nesse grupo) tem a opinião de que o Brasil é um dos maiores celeiros de bandas do mundo, outros preferem simplesmente ignorar a nossa cena e não dar a devida atenção ao que é produzido em nosso país.

É neste cenário que clama por mudanças, que vez ou outra me deparo com grupos extremamente originais e competentes, capazes de me fazer ouvir um disco incessantemente e me ater aos mínimos detalhes. Quando ocorre tal situação, fico com a certeza de que estou diante de mais um trabalho que pode e deve ser reconhecido dignamente. É imprescindível que as bandas verdadeiramente competentes alcancem o maior número de ouvintes possível e sendo assim, aqui estou eu fazendo mais uma indicação.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Quando descobri por obra do acaso a musicalidade forte da Melanie Klain, minha reação inicial me fez perceber como o público headbanger ainda precisa amadurecer e deixar de lado certos dogmas enraizados em nossa cultura. Me deparei com a faixa "Abençoados por Deus" e mesmo sem nunca ter me importado com questões religiosas sendo retratadas na música, o puro achismo me fez pensar que a canção se tratava de algum tipo de pregação e demorei alguns dias para finalmente resolver escutar a canção.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A tal faixa "Abençoados por Deus" não possuía qualquer tipo de conotação religiosa e ao invés disso, fazia uma crítica muito inteligente e perspicaz sobre a sociedade brasileira e sua concepção erronia, de que mesmo com escândalos políticos, população vivendo em condições miseráveis e o capital nas mãos de uma minoria, ainda sim, nos consideramos um povo abençoado. Mais do que a temática, a banda me chamou a atenção por sua sonoridade, diferente da maioria dos grupos atuais, apresentam uma miscelânea de estilos impressionante, onde elementos que vão do Heavy mais tradicional, ao Hardcore, Groove, Thrash e muitas outras referências, compõe um estilo único e quase impossível de ser rotulado.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Passados alguns meses após o acontecido, finalmente o grupo lança o seu debut e mais do que depressa, fui conferir o álbum "Análise do Caos" na íntegra. O que já era esperado apenas se consolidou com as audições, que disco cabuloso!

Músicas fortíssimas produzidas de forma impecável, composições marcadas por mudanças de andamento, viradas, ótimos riffs, musicalidade extremamente abrangente e as letras ácidas, fazendo críticas e tratando de assuntos de extrema relevância, de maneira sarcástica e com toda a revolta que tal temática merece.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Apesar de ser o álbum de estréia da Melanie Klain, a banda demonstra a personalidade de uma veterana e através de composições matadoras como "Lavagem Cerebral", "Diálogo", "Fé Cega", "Guerra", "Rede Social" e a faixa título "Análise do Caos", vão surpreendendo o ouvinte a cada faixa.

Este trabalho é definitivamente, do tipo que se degusta aos poucos e diversas audições são necessárias para perceber e absorver todas as nuances e detalhes. As composições são complexas e possuem diversas passagens, não se tornando enjoativas e chamando a atenção para o ecleticismo empregado e pela criatividade dos integrantes.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tecnicamente, o grupo não deixa a desejar e desde a parte rítmica formada por Pedro (bateria) e Vick (baixo), até nos solos precisos de Viola, as bases, arranjos e backing vocals animais de Chapolim e os vocais intensos de Duzinho, demonstram uma coesão e um entrosamento que impressionam.

A arte da capa foi desenvolvida pela artista Carolina Melo e inspirada nas composições presentes no álbum. A idéia da artista era retratar em uma única imagem, uma junção de diversas mensagens, críticas sociais e demais temas abordados em "Análise do Caos". A gravação e mixagem aconteceu no Setestudio em Guaxupé, Minas Gerais e a produção ficou por conta de Fabio Dias e os próprios músicos das banda.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Com este trabalho, a Melanie Klain debuta na cena com muita força e apresenta além de músicas que convencem, idéias dignas e muita originalidade. Mais do que finalizar esta resenha indicando o trabalho a todos, finalizo com as palavras que encerram o álbum na faixa "Reflexão":

"Na verdade o que nós todos brasileiros temos que fazer urgente, é tirar essa venda que nos impossibilita de enxergar o que está tão bem exposto na nossa frente.

Nós lutamos tanto, a vida inteira, e parece que no final das contas a gente não fez praticamente nada. A corrupção começa quando nós mesmo deixamos de fazer o básico em nossas vidas, que é respeitar o direito do próximo.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Se isso não acontece, não adianta ficar reclamando que político é ladrão, pois os políticos são reflexo da população e seria uma puta hipocrisia sair nas ruas pedindo mudança e deitar no travesseiro sabendo que nosso dia foi cheio de situações erradas e que poderíamos ter evitado.

É por isso que a gente tá aqui e reclama tanto. Pra ver se alguém escuta e na verdade alguma coisa acaba mandando. Então eu acho que esse álbum foi feito pra isso, pra expor um pouco essas idéias.

Porque eu não odeio o meu país.
Odeio o que fizeram com ele."

Nota: o álbum ainda não se encontra disponível em formato físico, apenas virtual. Para adquirir, basta acessar o link abaixo, comprar os MP3 e fazer o download. O disco completo custa menos de 10,00 reais e o seu apoio garante a continuidade de um trabalho extremamente promissor:

https://onerpm.com/disco/album&album_number=107269786

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Integrantes:

Duzinho (vocal)
Viola (guitarra solo)
Chapolim (guitarra base, arranjos e backing vocals)
Vick (baixo)
Pedro (bateria)

Faixas:

1. Desrespeitável Publico
2. Abençoados por Deus
3. Diálogo
4. Fé Cega
5. Guerra
6. Marcas do Abandono
7. Lavagem Cerebral
8. Cartas de um Suicida
9. Colera-Nação
10. Rede Social
11. Análise do Caos
12. Reflexão


Outras resenhas de Análise do Caos - Melanie Klain

Resenha - Análise Do Caos - Melanie Klain

Resenha - Análise do Caos - Melanie Klain

Resenha - Análise do Caos - Melanie Klain

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Fabio Reis

Paulista, 32 anos, Editor do Blog Mundo Metal, fã de Rock Clássico e Diversos subgêneros do Metal. Banda favorita: Megadeth. Conheceu o Rock ainda quando criança por intermédio dos pais (amantes de Beatles) e com 11 anos já ia na galeria do Rock comprar seus primeiros LP's, desde sempre fez do Metal seu estilo de vida e até os dias de hoje essa paixão pela música só aumenta.

Mais matérias de Fabio Reis.