Charles Bradley: Presente para os ouvidos (e para fãs do Sabbath)

Resenha - Changes - Charles Bradley

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar Correções  

publicidade

A história de Charles Bradley parece um filme. Em 1962, após assistir a uma das performances incendiárias de James Brown no Apollo Theater, o jovem Bradley sentiu o impacto e começou a cantar e a desenvolver uma linguagem corporal inspirada em seu ídolo. Pobre pra caramba, conseguiu espaço e tocou algumas vezes em clubes, mas viu o sonho acabar quando foi convocado para a Guerra do Vietnã.

Separados no nascimento: Paul Stanley e Sidney Magal

Mike Portnoy: a reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream Theater

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Então voltou para os Estados Unidos após o fim do conflito, seguiu perseguindo o objetivo de ser um cantor de soul, mas era preciso conseguir viver. E, aos poucos, o sonho foi ficando de lado. Charles acabou se estabilizando como cozinheiro de um restaurante nova-iorquino, e viveu durante anos assim. Mas aquela pulga sempre esteve atrás da orelha, e o cara foi conseguindo espaço cantando em bandas tributo a James Brown aqui e ali.

Até que, em uma dessas noites que parecem saídas da cabeça de um roteirista, a vida deu uma virada quando Gabriel Roth, um dos fundadores da Daptone Records, assisti e ficou impressionado com Bradley, tanto que o levou para a gravadora, apresentou-o ao produtor Tom Brenneck e ao pessoal da Menahan Street Band. A turma fez um ensaio, Charles soltou a voz e deixou todos de queixo caído.

Foi só aí, aos 62 anos, que Charles Bradley viu o sonho de viver de música se transformar em realidade. Seu primeiro disco, "No Time for Dreaming", foi lançado em 2011. O segundo, "Victim of Love", saiu em 2013. E "Changes", seu terceiro trabalho, acaba de vir ao mundo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Batizado com a clássica canção do Black Sabbath - e que está no disco em uma releitura simplesmente sensacional -, "Changes" segue a sonoridade apresentada por Bradley nos álbuns anteriores, ou seja, um soul orgânico e cru, com forte presença de metais e doses de funk pra fechar o tempero. Com 11 faixas, o álbum mantém viva a tradição da música negra em um resultado pra lá de bonito, construído com canções contemplativas e fortemente emocionais.

Com "Changes", Charles Bradley segue sua tardia e deliciosa carreira musical, e mais uma vez deixa uma lição: nunca é tarde pra acreditar e, sobretudo, viver nossos sonhos.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Separados no nascimento: Paul Stanley e Sidney MagalSeparados no nascimento
Paul Stanley e Sidney Magal

Mike Portnoy: a reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream TheaterMike Portnoy
A reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream Theater


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280