Deathstars: Um Culto (Quase) Perfeito

Resenha - Perfect Cult - Deathstars

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quando uma banda nos atrai a atenção e passamos a acompanhar, não existe nada mais frustrante do que aguardar por um novo lançamento, não é? E com o Deathstars foi assim, uma grande ansiedade que durou cerca de cinco anos, por um futuro CD que nunca era lançado. O resultado poderia ter ficado ainda melhor, mas definitivamente, merece boas audições.

Led Zeppelin: a inspiração por trás de "Kashmir"Rock Cristão: as principais bandas nacionais

Com toda a certeza, a saída do baterista Bone Machine exerceu um certo impacto na sonoridade abordada em 'The Perfect Cult' (quarto disco oficial do grupo), pois é notório a ausência de uma pegada mais dinâmica nas faixas, além da chegada do novo membro Vice, que é um pouco menos brilhante que seu antecessor, mas que deu conta do recado. O problema, é que faltou sim, mais peso do Metal no som, o que pode (e deve) ser sanado futuramente, pois é um recurso que ajudou muito no diferencial do Deathstars, e que por sua vez, optou por um maior uso de melodias provenientes dos teclados, soando as vezes ligeiramente mais Electro.

Os integrantes continuam executando bem as suas partes, mas o extravagante vocalista cada vez mais está abrindo mão dos vocais rasgados, preferindo se manter em uma zona de conforto proporcionada pelos graves e "limpos", até mais condizentes com esta proposta atual. Deixando de lado esses poréns, o trabalho é interessante e mantém o selo Deathstars de qualidade, pois basta uma simples conferida para "sacarmos" o esmero com o resultado final, sempre vistos em seus trabalhos.

Sempre teremos algumas faixas, em qualquer álbum, de qualquer banda, que nos conquiste mais, e que desde a primeira audição já sentimos algo de especial vindo delas, e aqui, "Fire Galore", "All The Devil's Toys" (que possui um vídeo oficial), "The Perfect Cult" e "Noise Cuts" mantem essa tradição. Provavelmente, o leitor também tem (ou terá) as suas.

Ficar comparando um disco atual com os anteriores, não é lá um hábito muito saudável, pois cada um contém o que de melhor uma banda pôde fazer, mas em vista dos dois trabalhos anteriores a este, é realidade que poderia se esperar muito mais do Deathstars, mas, como cada audição é uma nova experiencia, o tempo acaba sendo um bom aliado para fazer justiça a este "The Perfect Cult". Ouça sem receios, mais de uma vez!

Track List:
1. Explode
2. Fire Galore
3. All the Devil's Toys
4. Ghost Reviver
5. The Perfect Cult
6. Asphalt Wings
7. Bodies
8. Temple of the Insects
9. Track, Crush and Prevail
10. Noise Cuts

Line Up:
Emil Nödtveit (Nightmare Industries): Guitar & Keys
Jonas Kangur (Skinny Disco): Bass
Andreas Bergh (Whiplasher Bernadotte): Vocals
Oscar Leander (Vice): Drums

Lançamento: Junho/2014 - Nuclear Blast




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Deathstars"


Industrial: bandas do gênero que merecem atençãoIndustrial
Bandas do gênero que merecem atenção


Led Zeppelin: a inspiração por trás de KashmirLed Zeppelin
A inspiração por trás de "Kashmir"

Rock Cristão: as principais bandas nacionaisRock Cristão
As principais bandas nacionais

Guns N' Roses: a famosa trilogia de clipes do grupoGuns N' Roses
A famosa trilogia de clipes do grupo

Musas inspiradoras: as esposas mais lindas dos rockstarsMusas inspiradoras
As esposas mais lindas dos rockstars

Andre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?Andre Matos
O que ele faria se fosse mulher por um dia?

Van Halen: a capa punk do primeiro álbum que a banda rejeitouVan Halen
A capa "punk" do primeiro álbum que a banda rejeitou

Tarja Turunen: Passei dos 40, não sou mais aquela garotinha jovemTarja Turunen
"Passei dos 40, não sou mais aquela garotinha jovem"


Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336