Thunderstone: Quando Ainda buscavam por seu espaço

Resenha - Thunderstone - Thunderstone

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

Qualquer um que tenha o mínimo de conhecimento sobre Metal, sabe que a Finlândia é um dos seus principais centros do planeta, e como não devem fazer feio, inúmeras bandas satisfazem inúmeros ouvidos sedentos por músicas bem feitas, em todos os lugares. Ainda que não seja assim tão famoso, o Thunderstone não envergonhou sua pátria, tocando um Power Metal melodioso, sempre moderno e maduro.

Andre Matos: "Não estava preparado para cantar no Maiden!"Gene Simmons: sexo com vocalista do Linkin Park na cadeia?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O primeiro álbum é decisivo para a carreira de uma banda, assim
como para a vida de seus músicos, e por isso, todos tendem a fazer o possível e o impossível para realizar esta conquista de maneira digna, e nos proporcionar (quase sempre) o melhor. Dito isso, quem ouviu este CD desavisado, dificilmente imaginária estar se tratando da estréia da banda, até por que, músicas consistentes e uma boa execução e produção não deixam nenhuma pista clara sobre isso, e talvez esteja no DNA dos finlandeses produzir sonoridades que nos atraiam pela qualidade. Será?

Como destaques... A faixa "Let the Demons Free" abre o disco exibindo a velha e boa fórmula "velocidade+melodia+peso", enquanto que "Virus" apresenta algumas passagens de teclado (como as que iniciam a faixa) bem interessantes, além de ter tirando um pouco o pé do acelerador, mas só um pouco, 'Will to Power" realmente demonstra algum 'poder' por ser bem cativante, assim como a breve e profunda "Weak". Dando sequencia, a consistente "Like Father, Like Son", a cadenciada "Voice in a Dream" ou mesmo o fim com a balada "Spread my Wings"... Bom, acabei citando 70% do material... Sinal que você pode encontrar algo que realmente vale a pena investir seu tempo. E, não sei por que, mas as vezes este som me lembra um pouco de Masterplan, mas o curioso é que as duas bandas estrearam quase na mesma época!

Mesmo que não seja nada de inovador, tudo aqui é muito profissional, e mostra que assim como a banda estreou bem, os outros álbuns também seguiram esta mesma "linha de produção". Comprove por si mesmo!

Faixas:
1 - Let the Demons Free
2 - Virus
3 - World's Cry
4 - Me, My Enemy
5 - Will to Power
6 - Weak
7 - Eyes of a Stranger
8 - Like Father, Like Son
9 - Voice in a Dream
10 - Spread my Wings

Formação:
Pasi Rantanen - Vocais
Nino Laurenne - Guitarras & Backing Vocals
Kari Tornack - Teclados
Titus Hjelm - Baixo & Backing Vocals
Mirka Rantanen - Bateria

Lançamento: 2002 - Nuclear Blast




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Thunderstone"


Power Metal: 20 bandas para quem é fã do estiloPower Metal
20 bandas para quem é fã do estilo


Andre Matos: Não estava preparado para cantar no Maiden!Andre Matos
"Não estava preparado para cantar no Maiden!"

Gene Simmons: sexo com vocalista do Linkin Park na cadeia?Gene Simmons
Sexo com vocalista do Linkin Park na cadeia?


Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor