Black Sabbath: O Disco "Solo" De Tony Iommy?

Resenha - Seventh Star - Black Sabbath (Featuring Tony Iommi)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira
Enviar Correções  

8

O Black Sabbath por si só já dispensa obvias apresentações, seja por sua tradição no estilo que tanto amamos, seja por seus inúmeros clássicos na pesada bagagem. No entanto, o disco a seguir, tecnicamente, não era para ser desta lendária banda, mas sim um trabalho 'solo' de Tony Iommi. Ficou curioso? Então leia mais um pouco!

Separados no nascimento: Ozzy Osbourne e Jim Carrey

Keith Richards: Metallica e Black Sabbath são "grandes piadas"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com a intenção inicial de lançar um disco solo, e após pressões exercidas pela 'major' Warner, Iommi 'resolveu' adicionar o nome/marca BLACK SABBATH, após adquiri-lo definitivamente, e para ficar mais a vontade, ou talvez ser mais honesto com os fãs e consigo mesmo, incluiu logo abaixo do nome os dizeres: 'Featuring Tony Iommi'.

Detalhes burocráticos a parte, o disco conta inusitadamente com os conhecidos Glen Hughes (ex-Deep Purple) e o baterista Eric Singer (futuro Alice Cooper, Kiss...), além do tecladista Geoff Nicholls (Quartz), que há alguns anos já acompanhava a banda de uma maneira 'discreta', e tendo sido trazido a luz neste trabalho, que é um genuíno disco de Hard'n Heavy de fazer cair o queixo, menos denso e mais revigorado, mostrando que um som feito por quem sabe fazer, é outra coisa.

Confesso que nunca me interessei (muito) pelo vocalista Glen Hughes e suas nuances Soul/Funk, mas ouvir-lo neste álbum é bem satisfatório, pois realmente o cara cantou muito e esbanjou 'feeling', o que com certeza ajudou na qualidade das canções. E, sendo Tony Iommi um dos maiores guitarristas do planeta, o cara não se limitou ao som clássico do grupo de outrora, e sim buscou por novos meios de se renovar e manter atualizado sem perder suas principais características.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A gravação poderia ter ficado melhor, levando em consideração a grandeza da banda, no entanto, nada que afete a diversidade das ótimas músicas presentes, tais como as inesquecíveis e poderosas 'In For The Kill'e 'Turn the Stone', a balada 'No Stranger to Love', a empolgante 'Danger Zone', a épica faixa título 'Seventh Star' e o emocionante (e pessoal final) com 'In Memory...', escrita em homenagem ao falecido pai de Tony.

Eis aqui uma boa dica, se procuras um som relevante, para ouvir sem receio de se decepcionar. Só não se esqueça de aumentar o volume e curtir pra valer!!

FAIXAS:
1. In for the Kill
2. No Stranger to Love
3. Turn to Stone
4. Sphinx (The Guardian) [Instrumental]
5. Seventh Star
6. Danger Zone
7. Heart Like a Wheel
8. Angry Heart
9. In Memory...

BANDA:
Glenn Hughes - Vocals
Tony Iommi - Guitars
Eric Singer - Drums
Dave Spitz - Bass
Geoff Nicholls - Keyboards
PARTICIPAÇÃO:
Gordon Copley - Bass (Faixa 2)

Lançamento: Janeiro de 1986 - Warner




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Separados no nascimento: Ozzy Osbourne e Jim CarreySeparados no nascimento
Ozzy Osbourne e Jim Carrey

Keith Richards: Metallica e Black Sabbath são grandes piadasKeith Richards
Metallica e Black Sabbath são "grandes piadas"


Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280