Paradise Lost: Vítimas do próprio passado

Resenha - Plague Within - Paradise Lost

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Diogo Azzevedo
Enviar Correções  

5

Numa entrevista à revista Roadie Crew, em 2002, Nick Holmes, frontman do Paradise Lost, deu a seguinte declaração ao ser questionado sobre a possibilidade da banda voltar a fazer um álbum nos moldes dos dois primeiros trabalhos ("Lost Paradise" e "Gothic"), quando o conjunto inglês ainda flertava com o death metal: "Não, porque se o fizéssemos não seria verdadeiro. (…) Eu não gostaria de ver o Paradise Lost voltando no tempo e não gosto de bandas que agem desta forma. Quem faz isso, faz por dinheiro e não com o coração. Nós iremos sempre olhar para frente!"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Aparentemente, Holmes e cia deixaram o discurso de lado. Após o guitarrista Greg Mackintosh criar o projeto Vallenfyre, voltado ao death tradicional, e o próprio vocalista emprestar sua voz ao Bloodbath, e com a boa repercussão de ambas as empreitadas, a dupla resolveu testar novamente a antiga fórmula em sua banda principal, como podemos conferir em "The Plague Within", 14º registro de inéditas do Paradise Lost, lançado no Brasil pela Voice Music. O resultado, porém, é aquém do esperado – e, vide o que foi dito no primeiro parágrafo, não se trata de nenhuma surpresa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se a cada lançamento o Paradise Lost se dedicava a explorar uma sonoridade diferente sem jamais perder a identidade - mesmo em sua fase eletrônica –, aqui a banda decidiu atirar para todos os lados – e poucas vezes consegue acertar o alvo. Desde a faixa de abertura, "No Hope In Sight", que traz vocais guturais aliados a vozes limpas que remetem ao álbum "Host"; passando pela clichê "Punishment Through Time" (até quando vão reciclar esse riff da "Pity The Sadness"?) e a desnecessária "Flesh From Bone"; até o desfecho com a burocrática "Return To The Sun", há uma total falta de direcionamento. O PL sempre se notabilizou por ousar e não se preocupar em prestar contas a ninguém; então, por que tanta forçação de barra desta vez? Alguns podem alegar que é exatamente isso o que estão fazendo agora (ousando sem pedir benção a ninguém); porém, este é um disco que já vem "mastigado", calculado para não correr nenhum risco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para não dizer que nada é merecedor de destaque, "Beneath Broken Earth", ainda que não prime pela originalidade, é uma bela composição doom; mesmo assim, é muito pouco para um trabalho que carece de unidade, coesão e, principalmente, inspiração. Ninguém esperava que "The Plague Within" soasse como "Lost Paradise" ou "Gothic", afinal, mais de 20 anos separam a mais recente obra dos dois primeiros trabalhos, e os músicos, obviamente, evoluíram. E é por conta dessa evolução que me parece estranho ver a banda dando passos para trás, essa roupagem atual para elementos "primitivos" não soa crível, diferentemente do Vallenfyre, cuja proposta é justamente soar "old school". Tornou-se, exatamente como o título de uma de suas recentes canções, uma vítima do passado.

Por fim, lembrei de uma outra entrevista, desta vez com Greg, para a Rock Brigade, em 1998, em que o guitarrista dizia estar cansado das acusações de que o Paradise Lost havia se vendido, coisa que ele ouvia desde o primeiro álbum. E, claro, com "The Plague Within" os ataques se repetem. A novidade é que, agora, os detratores parecem estar com a razão.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Faixas:

No Hope in Sight
Terminal
An Eternity of Lies
Punishment Through Time
Beneath Broken Earth
Sacrifice the Flame
Victim of the Past
Flesh From Bone
Cry Out
Return to the Sun


Outras resenhas de Plague Within - Paradise Lost

Paradise Lost: Álbum traz a faixa mais poderosa da banda

Paradise Lost: Os verdadeiros reis do Doom Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Paradise Lost: Draconian Times ganha edição comemorativa de 25 anos com faixas bônusParadise Lost
Draconian Times ganha edição comemorativa de 25 anos com faixas bônus

Paradise Lost: biografia oficial é lançada no Brasil

Consequence Of Sound: os melhores álbuns de metal lançados em 2020Consequence Of Sound
Os melhores álbuns de metal lançados em 2020

Metal Hammer: 10 álbuns lendários que fazem 25 anos em 2020Metal Hammer
10 álbuns lendários que fazem 25 anos em 2020


Bandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresaBandas extremas
10 álbuns que causaram surpresa

Lista: os melhores álbuns de metal lançados no primeiro semestre, segundo a Metal HammerLista
Os melhores álbuns de metal lançados no primeiro semestre, segundo a Metal Hammer


Classic Rock: revista elege 100 melhores músicas de rockClassic Rock
Revista elege 100 melhores músicas de rock

Ultimate Guitar: os 100 melhores solos de guitarraUltimate Guitar
Os 100 melhores solos de guitarra


Sobre Diogo Azzevedo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Goo336 Cli336 Goo336 Goo728 Cli336