Bad Religion: Som punk clássico e filosofando como sempre

Resenha - True North - Bad Religion

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Matheus Albuquerque
Enviar Correções  

8

O álbum True North do Bad Religion resgatou um pouco das suas raízes do Punk. O álbum superou o seu antecessor The Dissent of Man e ganhou uma boa visibilidade. Foi o álbum que chegou mais longe no chart americano, chegando na 19ª Posição.

Bad Religion: Brian Baker toca seus riffs favoritos (vídeo)

Slash: chapação, a louca e atraente Fergie e Axl Rose

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum tem letras, como de costume, sobre problemas sociais, políticos e "comunicação", juntamente com seu ritmo acelerado.

O álbum começa com a música "True North", que dá nome ao álbum, que comenta sobre a diferença que as fronteiras trazem para o ser humano.

Seguida da música "Past Is Dead" que relata o quão as pessoas se importam com o passado sem ver o presente.

"Robin Hood In Reverse" trás um conto sobre como a igreja tira dinheiro dos pobres.

"Land Of Competition" é uma música que retrata o quanto as pessoas não conseguem ser elas mesmas.

"Fuck You" fala sobre o quão é fácil dizer "Foda-se" para tudo.

"Dharma and the Bomb" fala sobre a similaridade da lei natural e como os homens finalizam com ela através de guerras, etc.

"Hello Cruel World" relata o conto de um homem falando abstratamente com o mundo horrível no qual vive.

"Vanity" fala literalmente sobre a vaidade humana e como somos hipócritas ao negar isso.

"In Their Hearts Is Right" fala do sentimento em que sempre estamos certos.

"Crisis Time" relata muito sobre capitalismo e propaganda e como isso ruiu.

"Dept. Of False Hope" fala de como as igrejas dão Falsa esperança para os homens devotos ou com algum problema.

"Nothing to Dismay" fala de como temos que ter ânimo e como a vida tenta nos desanimar de viver.

"Popular Consensus" fala de como as pessoas acreditam em coisas tendo como base o senso comum.

"My Head Is Full Of Ghosts" fala sobre como nossa cabeça serve de templo para os mortos.

"The Island" fala sobre o lugar que a pessoa se esconde do mundo e como chega um dia no qual esse lugar não te esconde mais.

"Changing Tide" é sobre como as coisas mudam e precisamos saber quando devemos mudar se não estamos condenados ao esquecimento.

O Bad religion seguiu a mesma linha de pensamento nesse álbum, e trazendo o seu som punk clássico e filosofando como sempre. Toda a essência da banda está nesse álbum.

Tracklist
1-True North
2-Past Is Dead
3-Robin Hood In Reverse
4-Land of Competition
5-Fuck You
6-Dharma and The Bomb
7-Hello Cruel World
8-Vanity
9-In Their Hearts Is Right
10-Crisis Time
11-Dept. Of False Hope
12-Nothing To Dismay
13-Popular Consensus
14-My Head Is Full Of Ghosts
15-The Island
16-Changing Tide




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bad Religion: Brian Baker toca seus riffs favoritos (vídeo)


Vai-e-vem do mercado: o troca-troca entre Bad Religion e Avenged SevenfoldVai-e-vem do mercado
O troca-troca entre Bad Religion e Avenged Sevenfold

Loudwire: em vídeo, dez bandas clássicas que ainda detonam!Loudwire
Em vídeo, dez bandas clássicas que ainda detonam!


Slash: chapação, a louca e atraente Fergie e Axl RoseSlash
Chapação, a louca e atraente Fergie e Axl Rose

Rammstein: Se alguém rir das gordinhas, eu quebro a cara dele!, diz Till LindemannRammstein
"Se alguém rir das gordinhas, eu quebro a cara dele!", diz Till Lindemann


Sobre Matheus Albuquerque

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Goo336x280