Deus Otiosus: Inovando, mas mantendo a essência

Resenha - Sis Mortuus Mondo - Deus Otiosus

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


E os prolíficos dinamarqueses do Deus Otiosus retornam em pouco mais de um ano do lançamento de seu terceiro álbum “Rise” (2014). Neste EP os caras trazem dois sons, e é impressionante como eles conseguem inovar mantendo a essência da banda intacta.
5000 acessosPsicografia: uma suposta carta do espírito de Cássia Eller5000 acessosDane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhor

Uma dessas composições é Greater Horror, uma faixa inédita que será regravada para o próximo disco da banda que tem previsão de lançamento para 2016. A música mostra um Death Metal mais solto, com uma levada insana e tem um leve toque de Death ‘n’ Roll (nada exagerado).

A outra composição, Seperatio Leprosorum, foi composta em 2008 e para o EP foi totalmente rearranjada. Sua linha é mais ‘old school’, com um andamento mais cadenciado e um clima soturno. Destaque para o trabalho simples, mas muito eficiente nos riffs.

Com cara de que foi lançado para manter o nome da banda em voga (nome este que merece mais atenção dos brasileiros), “Sis Mortuus Mondo” acaba saindo melhor que a oferta. Afinal, mostra uma banda cada vez mais coesa, além de um vocalista (Anders Bo Rasmussen) que está urrando cada vez melhor.

http://www.deus-otiosus.com/
https://www.facebook.com/deusotiosus.dk

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Deus Otiosus"


PsicografiaPsicografia
Uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Dane-se Bruce DickinsonDane-se Bruce Dickinson
Simone Simons no metrô é muito melhor

MotorheadMotorhead
Destaques do funeral de Lemmy Kilmister

5000 acessosAC/DC: "aquela coisa Glam foi idéia do Malcolm"5000 acessosSeparadas no nascimento: Pitty e Amy Winehouse5000 acessosGuns N' Roses: banda se separou por causa de Michael Jackson, diz empresário5000 acessosJudas Priest: vão nos deixar um legado de grandes memórias5000 acessosBlack Sabbath: 7 momentos curiosos que nem todos sabem5000 acessosJethro Tull: Ian Anderson não sabia tocar flauta

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online