Distant Sun: banda russa lança primeiro disco em maio de 2015

Resenha - Dark Matter - Distant Sun

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Haggen Kennedy
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


"Dark Matter", full length de estreia da banda russa de power/speed DISTANT SUN, é a continuação melhorada de "Sunless Citadel", EP de 5 músicas gravado em 2011 e lançado em 2012 pela Sublimity Records, gravadora do mesmo país. O grupo na época era apenas o projeto solo do guitarrista e vocalista Alexey Markov, que já passou pelo STARSOUP e pelo conhecido SHADOWHOST, um dos maiores nomes do speed/thrash russo. Atualmente já possui status de banda e um debute de qualidade.

Solos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NMERobert Plant: "quase saí do Led quando meu filho morreu"

Com data de lançamento para o dia 15 de maio de 2015 pela Metalism Records, "Dark Matter" traz 10 músicas no melhor estilo power europeu, fartamente recheadas de influências thrash dos EUA. Trata-se de uma mescla bem-feita de estilos que certamente agradará fãs das alemãs BLIND GUARDIAN e RAGE e das estado-unidenses ANNIHILATOR e ICED EARTH. Guitarras com distorção "na cara"; bases com palhetadas thrash; batera de levadas hardcore; passagens que por vezes estão mais para o power e outras, mais para o death; muitos momentos "crus" e outros tantos com refrões em coro de muitas vozes, tudo isso mesclado a uma produção realmente de primeira categoria.

O disco abre com o som etéreo de Prophet of the Mean, que logo se transforma numa pegada bastante thrash embebida nos ásperos vocais de Markov. A partir daí a jornada é bastante diversificada, com letras que versam sobre ficção científica, campos magnéticos, viagem no espaço, fantasia e aventura. Seja na melódica Kill the Fremen, que lembra o melhor de "Kill 'em All" do METALLICA no riff principal mas é a cara do IRON SAVIOUR nas pontes e em partes do refrão; na levada altamente contagiante da faixa-título, Dark Matter; no som mais cru de Godsdoom, que muito remete à sueca FALCONER; à pesada Matrix Hacked, com sua bateria death, pegada hardcore e solo robusto; ou até na balada Gifts of Journey, que poderia facilmente constar da track list do Somewhere Far Beyond (BLIND GUARDIAN); o fato é que Dark Matter é um disco de responsa, pensado e realizado com muita competência por Markov e pelos que lhe acompanham: o famoso baterista ucraniano Erland Sivolapov (endorser da Paiste, Premier e Vater) e do baixista Artem Molodtsov (SHADOWHOST). O disco conta ainda com Shattered Empire, com cara de Metallica antigo; Apocalypto, infuenciada pelo filme homônimo; Healer of Souls, com um baixo excelente; e a inesperadíssima Zero to Hero, de composição inusitada, mas muito bem-vinda.

O álbum é pesado do começo ao fim, sem teclados nem samplers de bateria, com a clara proposta de remeter ao que há (ou houve) de melhor nos anos 90, aliada a uma produção contemporânea habilidosa. É um material daqueles que você ouve e sabe que leva o sangue dos integrantes; daqueles que o ouvinte consegue reconhecer a sinceridade por detrás de cada acorde. A belíssima capa foi desenhada por W.Smerdulak (ARKONA), e, além de ser disponibilizado digitalmente na data de lançamento, uma edição deluxe em digipack será lançada mais tarde, trazendo alguns covers.

Faixas
1. Prophet of the Mean (4:37)
2. Kill the Fremen (3:43)
3. Dark Matter (5:04)
4. Godsdoom (5:03)
5. Matrix Hacked (5:29)
6. Shattered Empire (5:22)
7. Gifts of Journey (3:39)
8. Apocalypto (3:41)
9. Healer of Souls (4:52)
10. Zero to Hero (4:03)

Links relacionados:

Prévia do disco:

Facebook:
https://www.facebook.com/distantsunband
YouTube:
http://www.youtube.com/channel/UCFxZn4QLE7cHKkpbo64k7ig
VK:
https://vk.com/distantsun
Last.fm:
http://www.last.fm/music/Distant+Sun

EP "Sunless Citadel"
Itunes:
https://itunes.apple.com/us/album/sunless-citadel-ep/id95759...
Google.Play:
https://play.google.com/store/music/album/Distant_Sun_Sunles...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Distant Sun"


Solos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NMESolos de guitarra
Lista dos 50 melhores segundo a NME

Robert Plant: quase saí do Led quando meu filho morreuRobert Plant
"quase saí do Led quando meu filho morreu"

Iron Maiden: curiosidades sobre o The Number Of The BeastIron Maiden
Curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

Cornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas cançõesAnos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãsMarilyn Manson: A primeira vez em que ele usou cocaínaClipe mais bizarro do universo: seria blasfêmico e ficou cômico

Sobre Haggen Kennedy

Nascido ao fim dos anos 70 e adolescido em meio ao universo metálico, Haggen Heydrich Kennedy já trabalhou e atuou numa vultosa gama de atividades, como o jornalismo, o desenho, a informática, o design e o ensino, além de outros quefazeres. Atualmente vive em Atenas, Grécia, onde estuda História, Arqueologia e Grego Antigo na Universidade de Atenas. A constante nesse turbilhão de ofícios, todavia, sempre constituiu-se de dois fatores: as línguas (ainda hoje trabalha com tradução e interpretação) e a música - esse último elemento, definitivo alimento espiritual.

Mais matérias de Haggen Kennedy no Whiplash.Net.

adGooILQ